História The piece there i wanted - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Rap Monster
Tags Namjin, Projetoyaoibts, Romance
Visualizações 47
Palavras 2.834
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Shonen-Ai, Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então né , espero que gostem dessa oneshot deliciosa, com aqueles romances saudáveis para vida (▰˘◡˘▰).
Vou voltar para Lua ◕‿↼ , então me desculpe qualquer erro e
Boa Leitura...

Capítulo 1 - Capítulo único


Eu, um jovem narrador anônimo, vou contar a história de um casal de rapazes apaixonados, onde podemos encontrar um dono de uma loja de bolos e cafeteria-chamada "sweet dreams"- atrapalhado e um estilista famoso romântico.
 

   Kim NamJoon, o dono da loja e confeiteiro, vivia os seus 27 anos, ainda solteiro, ele achava que ninguém se encaixaria para aquele posto que era muito cobiçado, todo dia várias mulheres de todas as idades que você pudesse imaginar iam ao seu estabelecimento tentando tirar uma casquinha do pobre e conquista-lo que retribuía com um sorriso gentil sem nenhum interesse. No momento a sua única paixão era fazer bolos, tinha acabado o curso de chefe de cozinha há uns quatro anos atrás enquanto trabalhava em um bar limpando as mesas para finalmente dois anos depois abrir sua amada loja onde poderia produzir o que quiser. De início foi difícil, não aparecia muita gente, as contas estavam ficando mais pesadas e não estava conseguindo cobrir os gastos, pensando até seriamente em desistir antes que estivesse endividado demais, mas ele não desistiu, se reergueu e se esforçou fazendo o seu melhor para tornar a sua confeitaria a melhor da cidade ,todos iam lá, mesmo que fosse apenas para tomar um café e relaxar naquele ambiente receptível e pacífico. Nesse momento de paz, sua felicidade só estaria completa se encontrasse alguém especial, isso estava o corroendo essa semana não sabera o porquê, mal sabia que a dois quarteirões da li teria essa pessoa especial que tanto desejava.
 

 Kim Seokjin era um estilista de renome, aos seus 27 todos o admiravam, não só por sua profissão, mas também por sua gentileza e educação, sempre sorrindo para todo mundo sem nenhum pingo de discriminação. As pessoas adoravam suas roupas, pois se encaixava perfeitamente em cada um mostrando sua beleza que ninguém conseguia ver, com certeza um mestre no que fazia, um dos seus lemas é "faça tudo com amor e tudo irá da certo" e seguia o mesmo com rigidez. Não tinha muito tempo para sair e paquerar, e as opções que tinha por perto não eram as melhores, principalmente depois que se assumiu gay. Jin, como era popularmente conhecido, era uma pessoa muito carinhosa e se dizia um pouco carente, principalmente com a morte da sua mãe por um câncer de mama, uma grande perca para o rapaz que se foi quando ainda era um jovem menino, ele ficou sobre os cuidados do seu pai que não o deu tanta atenção e não apoiou seu sonho de ser um grande estilista de moda e muito menos apoiara para cursar moda, o que fez ele se esforçar e conseguir uma bolsa na faculdade que tão sonhava e sair de casa, estudando de manhã e a tarde e trabalhando como caixa de uma farmácia a noite, no final de semana deva algumas saidinhas para descontrair e relaxar. Com força e fé se tornou o que era hoje, e era todo orgulhoso de si por vencer essa batalha, mas sempre tratando todos como iguais e com toda atenção que fosse possível ser dada por ele. Agora o que se tornava importante era encontrar alguém que o compreendesse e cuidasse dele. No sábado seria seu aniversário -o que tornava ele mais velho que o Namjoon- e não podia estar mais animado, não iria fazer festa, só queria reunir os amigos para comer um torna que tinha encomendado na sua bolaria favorita a Sweet Dreams, mesmo que nunca tivesse ido lá, sempre pedia para buscarem um pedaço de torta com um café para ele.

   A sexta a noite começou chuvosa o que o desanimou sobre o dia seguinte, pois vinham deixar seu bolo hoje e se acontecesse algo com ele? Decidiu ir ao estabelecimento, quase desistiu ao perceber que tinha perdido seu guarda-chuva, porém nada o faria desistir de pegar o seu bolo, morava em seu ateliê, pois achava melhor e mais confortável, então significava que a loja só ficava a dois quarteirões dali, dava para correr e dando paradinhas em certos locais para não se encharcar. Arrependeu-se profundamente quando deu sua primeira parada abaixo de uma sacada, pois a chuva tinha engrossado mais do que imaginada, o que não passava de uma garoa se transformou em uma tempestade em poucos minutos. Ficou ali esperando ver se passava, ou de criar coragem de sair correndo de volta para casa, até que em meio à escuridão alguém começou a se aproximar em sua direção com rapidez o que o assustou o fazendo se encolher quieto, não queria morrer antes do seu aniversário principalmente na flor da idade, viu um homem surgir em sua vista, muito bonito por sinal, que sorriu fazendo aparecer uma covinha marota em sua bochecha, seus cabelos loiros descoloridos molhados pela chuva e um olhar fascinante tinha roubado sua total atenção. O mais novo se aproximou e começou a falar. 
 

     — Nossa que temporal, estava indo entregar um bolo, mas minha moto fez questão de não pegar, acredita?
 

O mais velho surpreso se pronunciou.
 

        — E você acreditaria que estava vindo correndo na chuva, pois perdi meu guarda chuvas e precisava pegar um bolo na confeitaria? – disse com já risonho.
 

Os dois começaram a rir pela coincidência que tinha acontecido.
 

     —Seu nome é Jin? -perguntou para o dos cabelos castanhos.
 

    —Sim sou eu mesmo, e esse é o meu bolo? - Disse atrevido.

 

    —Sim é ele mesmo, que tal eu lhe acompanhar até em casa, daí eu entrego o bolo e o entrego a salvo em casa.
 

O mais velho deu uma leve risadinha e continuou a conversa 
 

   — Claro, então vamos? - ditou se levantando do chão que havia sentado pelas pernas doidas.
 

    Os dois se juntaram até ficarem coladinhos para caber em baixo da sombrinha o que os deixou muito envergonhados e se dirigiram para o edifício em questão. Ao chegar lá Jin fez uma proposta irrecusável para o que tinha o ajudado.
 

   —Não quer entrar para tomar uma xícara de chocolate quente e trocar de roupa? Eu lhe empresto uma e logo após eu peço um táxi para você voltar, não quero que uma pessoa tão gentil pegue um resfriado, principalmente por um desleixo meu.  – disse com um tom preocupado e protetor.
 

   Nam, sem nada contra, aceitou a proposta e adentrou o ateliê seguindo o jovem, observava o local, que era bem organizado, tudo separado em seu devido lugar, tesouras, tecidos lindos estavam sobre a mesa. Entrou em outro lugar, pequeno, mas bem aconchegante, um sofá pequeno em frente a uma TV e uma estante com livros, ao lado tinha mais duas portas, uma levava ao quarto e a outra para o banheiro a cozinha era aberta para sala, também era todo organizado, admirava muito isso no rapaz, pois ele mesmo era a personificação da bagunça, se não fosse por seus funcionários seu café era uma bagunça, se sentou no sofá enquanto Seokjin foi para o quarto atrás de umas roupas secas para emprestar, assim que achou um moletom quentinho preto com detalhes brancos e uma calça moletom cinza entregou e o direcionou para o banheiro e foi preparar o chocolate quente, não queria se gabar, mas era muito bom na cozinha, pois por um tempo teve que cozinhar para ele e para o seu pai, principal depois que foi morar sozinho. Levou as bebidas acompanhadas com alguns biscoitos doces até o centro a frente do sofá e deixou lá, notou a saída do banheiro do moço e sentaram juntos no divã. Tiveram uma longa conversa, muito divertida, recheada de risos e conhecimento sobre cada um, Nam olhou o relógio e arregalou os olhos, já era meia noite e nem tinha visto o tempo passar tão rápido, se levantou apressado e agradeceu ao seu novo amigo e pegou um táxi que estava a procura de um cliente, indo para casa.

 

   O aniversário do Jin passou, tinha aproveitado cada segundo com seus amigos e familiares a pequena confraternização que tinha   arrumado. Chegou à segunda feira tão desejada por ele já que o café não era aberto no final de semana queira entregar a roupas do recém-conhecido, e conversar mais com ele, tinha gostado de cada segundo da conversa que tinham tido. Com sua beleza envolvente e sua visão do mundo tão linda, seu jeito gentil e educado, talvez só talvez ele estivesse apaixonado até o cheirinho de torta que o homem tinha o atraía. Então caminhou para o estabelecimento que pela primeira vez conhecia, era muito bonito, as cores tons pastéis bem detalhadas, as mesas brancas num estilo mais jardim, com um cheirinho de bolo misturado ao um cheiro de café expresso que passeava pelo ambiente entrando em seus pulmões, tudo isso dava um efeito inesquecível para aquele local, juntava casa de vó com algo mais intelectual e pacífico, não sabia descrever direito como descrever a sensação de estar ali, só que era muito boa. Seguiu para o balcão perguntando onde estava o seu amigo, mas recebeu uma triste notícia que ele tinha viajado para a casa de sua mãe no interior, pois sua tia mais próxima tinha estado muito mal e ele iria aproveitar para resolver outras coisas com a família já que não os via faz um tempo, e isso duraria duas semanas. Com uma cara emburrada Jin, mesmo querendo ficar mais um pouco na loja, comprou um café para viajem e foi para o ateliê, pois tinha muito trabalho pela frente.
As duas semanas incansáveis demoraram a passar, entre seus devaneios os Kim's se lembravam um do outro.

   Namjoon não tinha esquecido o rapaz, ele tinha roubado um espaço considerável de sua mente e consequentemente de seus pensamentos. A gentileza do rapaz, a organização, o seu sorriso contagiante o seu olhar penetrante, cada detalhe o fazia querer velo cada vez mais e observar seu rosto que nunca  enjoaria, mesmo que fosse uma eternidade. Ao chegar a Seul foi direto para a confeitaria para deixar tudo preparado para ir para o ateliê do costureiro mais lindo que tinha visto em sua vida inteira, mas seus planos foram interrompidos ao saber que um dos seus funcionários tinha ficado doente e não pudera vir, tendo que substitui-lo,  o que não deixou ele muito animado. Jin se encontrava a uma rua da cafeteria todo animado, saltitava pela calçada feito uma criança que acabara de receber um doce, chegando a o lugar localizou o homem pelas paredes de vidro, mas não quis acreditar no que via, uma jovem que aparentava seus 20 anos estava dando em cima dele e o jovem sorria como se a correspondesse, com toda sua alegria amassada e jogada pelo ralo retornou ao seu apartamento com raiva pura, se você parasse escutaria seus nervos fervendo, um dos defeitos do mais velho era seu ciúme um pouquinho exagerado, ele até tentava controlar, mas ele não conseguia evitar. 
 

Nam ficou chateado quando viu que era muito tarde para visitar o amigo então decidiu esperar ansioso pelo dia seguinte. Amanheceu há pouco tempo e os dois trabalhadores já estavam de pé, organizando tudo para abrir seus comércios, o mais novo teve a brilhante ideia de chama-lo para almoçar e como não tinha sei número iria pessoalmente. Quando chegou foi logo recebido por um dos atendentes, onde perguntou onde estava seu chefe e escutou uma resposta rápida e clara que ele estava ausente. Então decidiu voltar outra hora e para não perder a ida foi almoçar ali perto antes de voltar ao trabalho. O restaurante escolhido era bem simples, mesas de madeira com almofadas de acento com duas janelas grandes que deixavam entrar os raios de sol e a brisa do dia,  você poderia escolher o self service  ou pedir algo e foi o que ele fez, pediu uma de suas comidas favoritas, naengmyeon, uma sopa fria tradicional da Coreia, a massa era feita com farinha de trigo-mourisco ou araruta e batata, e para tomar uma Fanta laranja. Esperando o pedido acabou visualizando o Seokjin e se levantou em sua direção que o olhou e saiu em direção a saída, quase que conseguia fugir se não fosse a mão do outro que segurou o seu pulso.
 

    — Fugindo de mim? Estou magoado. - disse forjando uma falsa tristeza.
 

   — Eu? Claro que não. Você deveria voltar para sua loja e dar atenção para as menininhas assanhadas. - ditou com um tom debochado.
 

 —  Nossa, com ciúmes e nem me namora ainda. - colocou a mão na boca e deu uma risada marota.


— Eu não estou com ciúmes - sim ele estava, se roendo por dentro, puxou sua mão e entrelaçou os braços emburrado. 
— Venha, não me deixe mais magoado, almoce comigo e eu explico tudo. - falou apontando para mesa.
— Que proposta irrecusável, estou me referindo a comida. - disse fazendo os dois rirem.
Se sentaram e o Jin pediu o mesmo que seu parceiro, pois também gostava muito daquele prato.

  Namjoon esclareceu tudo para o que tentava impressionar com o charme que foi entendido pelo outro jovem como um jogo de atração é continuaram assim até o fim do almoço, depois de pagar a conta o mais novo caminhou até o ateliê, desejou que não tivesse chegado para não se despedir, mas o tempo não para então antes da despedida final criou coragem passou sua mão na cintura do menor e retirou espaço entre os dois em um selar de lábios calmo e envolvente, ainda tímido pediu passagem para boca do outro que logo cedeu tornando o beijo mais intenso e caloroso. Tiveram que se separar em procura de ar, o rosto dos dois estavam corados e ainda tímidos trocaram números e se despediram.

 
De encontro em encontro, se conhecemos mais e se envolvendo mais transformando o que era uma pequena chama de paixão em um amor imensurável que os preenchia aquilo que estavam desejando desde o início, que os completava e tornava suas vidas completas. Quando o primeiro pedido foi feito o Jin chorou.

Numa noite de luar o mais velho recebeu uma carta misteriosa que dizia que o Nam estava em encrenca e ele sem pensar duas vezes saiu desesperado para socorrê-lo chegando ao local um pouco afastado da cidade, encontrou um chalé abandonado, ficou apreensivo em entrar, mas faria tudo para ajudar o amor da sua vida, adentrou o local e encontrou uma caixa vermelha chamativa em meio a nada, dentro tinha uma carta no estilo psicopata de letras recortadas de revista escrita "Suba as escadas e achará o que procura", com muito medo subiu receoso cada degrau, mas não desistiu. Quando abriu a porta que o separava de algo totalmente desconhecido. Chorou ao ver seu namorado que começou a tocar e cantar com seu violão a música Love song da Adele abaixo de uma faixa rosa escrito "Namore comigo, eu não existo sem você”
              
                                                          “Whenever I'm alone with you”

                                       “You make me feel like I am home again”

  A cada trecho Jin chorava mais, e começou a cantar a música junto a ele.

 

                                     “However far away I will always love you”

                                   “However long I stay I will always love you”

                                  “Whatever words I say I will always love you”

                                                  “I will always love you”

 

 Ao final da música eles se juntaram em um longo beijo com o tão esperado "sim" de seu amor.
 

 

O segundo pedido foi até engraçado, os dois tinham combinado de jantar no mesmo restaurante onde foram em seu, mesmo não oficial, encontro.  Nada de anormal aconteceu de início o Namjoon pediu um vinho para os dois e o Seokjin outro  duas porções de naengmyeon mal sabiam que dentro da comida um do outro tinha um presentinho especial de cada um. Foi quando um mordeu algo duro demais e o outro se engasgou cuspindo o anel para longe. A única reação dos dois  foi rir fazendo os estômagos doerem um pós o anel no dedo do outro depois de limpos e brigaram para escolher qual programa da noite romântica iriam seguir. Então decidirem ficar em casa, aconchegados um no outro comendo besteiras que tinham comprado e cantando suas musicas favoritas um para outro e saciando seus desejos carnais,  não tinha noite melhor que essa, nenhuma superaria o quanto especial e perfeita essa pedaço de dia pode ter sido.
 

Dois anos passaram voando, se mudaram para uma cada maior e adotaram dois meninos, eles eram irmãos de sangue e o Jin se apaixonou pelos dois, cada um com seu temperamento diferente, o mais novo tinha 3 anos, se chamava Jungkook e o mais velho 4 era e é o mais bonito ate hoje, Taehyun. Os dois bagunceiros corriam pela casa e só se escutava os berros da cozinha do Jin para tomar cuidado, enquanto seu marido a ajudava com o jantar. Sentiam-se completos, amados e que tinham vencido suas batalhas dia após dia com apoio um do outro. 

"Um para o outro, pois amar não é se apoderar do outro para completar-se, mas dar-se ao outro para completá-lo"

                                                                                                                                                        (Lao Tsé)

Agora o narrador anônimo se despede porque a janta está pronta e a Omma Jin fica com raiva quando demoro a descer, ops... Escapuli-o. 


Notas Finais


Eai gostaram?
Caso queiram escutar a musica, que claro é muito linda:

(☞゚∀゚)☞ https://www.youtube.com/watch?v=MjJUxczKAYE ☜(゚ヮ゚☜)

Ate a proxima (づ ̄ ³ ̄)づ bjss...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...