História The Saga XX - Antes de tudo - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Baseado Em Fatos Reais, Colegial, Drama, Ecchi, Escola, Fanfics, Luta, Musical, Original, Policial, Survival, Suspense, Yaoi, Yuri
Visualizações 3
Palavras 987
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Harem, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Slash, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mais um capítulo, esse vai ser de chorar.

Capítulo 2 - TSXX - Desespero


Fanfic / Fanfiction The Saga XX - Antes de tudo - Capítulo 2 - TSXX - Desespero

TSXX - Desespero

Nós dormimos... Eu abri os olhos devagar para conseguir enxergar direito, eu estava num corredor escuro do colégio. Era de noite... A luz escandescente piscava e os portões estavam trancados ao cadeado... Eu subi ás escadas para ver onde é que estava todo mundo e quando eu procurei por alguém, minhas palavras transmitiam um eco assustador, eu entrei no auditório que estava com a mesma decoração da peça teatral com o tema bullying. Eu tirei os panos dos bonecos mas quando eu fui tirar o pano de que o manequim estava pendurado eu percebi que havia sangue escorrendo. E não era um manequim... Era uma pessoa de verdade... Era a Anna Luiza, no primeiro ato. Por sinal tentei tocar em sua pele que estava flácida e úmida de tanto sangue. Estava descascando... Era horrível aos meus olhos ver algo tão horroroso á ponto de lágrimas escorrerem. Ao tocar eu seu rosto, eu á vi rasgando minha pele como plástico e eu dando vários gritos de dor, em minha frente estava o Pietro e a Mendes quebrando a taça e eu engolindo toda aquela poeira e morrendo aos poucos e no fundo sussurros "É tudo culpa sua...", "Você é estúpida, nunca gostamos de você...", "Você não é minha melhor amiga, nunca foi... Idiota!".

Eu acordei gritando e a Isabelly estapeando meu rosto levemente para não me machucar, as garotas em volta de mim para verificarem se eu estava bem. Com a respiração ofegante me levantei devagar com a mão sobre a cabeça sem saber o que estava acontecendo naquele exato momento.

-Você está bem? - Perguntou a Lívia me ajudando á levantar.

-Um pouco... - Eu estava tonta.

-Quer água ou algo assim? - Perguntou a Mendes.

-Não, obrigada. 

===

Era outro dia na escola, penúltima sexta e os coordenadores decidiram fazer um acampamento longe da cidade no mesmo hotel fazenda que fizemos um passeio... Ia ser U$10,00. Finalmente algo legal para fazer, todos estavam ansiosos para irem, mas eu estava preocupada com esse vírus, a Anna ia mas não sei se ela ficaria bem. Eu apenas fiquei calada fazendo prova e criamos um grupinho para nos falarmos de maneira mais fácil. Eu só conseguia pensar em como íamos para lá com um vírus tão grande em nossos narizes.

===

Finalmente chegou o dia do acampamento, eu ficava cada vez mais pensativa quando entrei no ônibus. Eu sentei no fundo para poder conversar sobre um plano, a Bruna e o Pietro sentaram na minha frente de novo assim como no último passeio, a Lívia e a Ludmila sentaram da frente do banheiro e a Anna e a Isabelly sentaram á frente delas. 

-Eu vi num noticiário do jornal que os cientistas que estudaram sobre esse vírus estão perto do Hotel Fazenda mais ou menos no meio das floresta. - Eu falei bem baixo para somente as pessoas do nosso grupo escutarem.

-O quê que tem? - Perguntou o Pietro se virando.

-Nós temos que avisar á eles sobre essa célula o mais rápido possível, tem que ser essa noite. Se alguém se infectar vai ser culpa sua...

-Minha?! Por que minha?!

-Você quem foi teimoso e fez a Mendes quebrar o vidro...

-Não vamos brigar agora... Tem pessoas prestes á virarem ZOMBIES! - Disse a Bruna impaciente.

-Concordo com a Bruna... - Ludmila olhou para nós, o ônibus finalmente parou e então colocamos a máscara de ar.

===

Já era de noite, todos na fogueira e eu chamei as pessoas para a fuga. Arrumamos nossas mochilas pois a viajem seria muito longa, e então chamei todos ás escondidas pela trilha que vai até a fonte d'água, eram quilômetros e mais quilômetros de caminhada mas não podíamos parar de jeito nenhum.

Chegamos á um ponto muito longe do acampamento e então a Ludmila parou junto á Anna que ficou mais fraca do que já estava... Não poderíamos parar mas já que todo mundo parou eu resolvi parar também.

-Temos que dormir aqui... - Disse a Ludmila ofegante.

-Aqui é muito livre, cheio de animais, as doenças se espalhariam muito mais rápido. - Eu disse enquanto sentava ao lado delas.

-Sem contar que estamos com fome... - Disse a Mendes sentando igualmente. Nós olhamos para a Anna Luiza que estava deitada no chão frio.

-E-Está c-calor... - A Anna tirou a máscara de ar e o casaco.

-Não Anna... Vista-se... - Antes do Pedro V. encostar nela, ela deu um chute nele.

-N-Não... - A pele dela começou á ficar cinza, estava descascando em carne viva. Começava á ficar muito magra e seus lábios incharam, bactérias consumiam todo o seu corpo, estávamos horrorizados e saímos de perto dela mais rápido possível. 

-Anna nos escute por favor... - A Lívia disse enquanto ia para trás.

-EU JÁ DISSE MIL VEZES QUE NÃO!!! - Sua voz engrossou e transmitiu um eco assustador que espantou vários pássaros. Todos caímos para trás. Todos ficavam calados enquanto ela tentava se levantar mas seus ossos apodreciam, ainda estava viva mas seus orgãos se machucavam mais e mais.

-... - Todos engolimos seco, a respiração da Anna ficava muito mais forte, eu tive uma ideia... - Temos que fugir...

-Vamos deixar ela assim? - Perguntou a Mendes.

-Temos que deixar ela assim.  - Disse a Lívia se virando para nós. - Não tem cura, nem volta.

-Mas... - A Lívia puxou o Pedro V.

-Sem mas! - Começamos a correr e começou a chover naquela maldita noite. A Mendes estava correndo até a máscara de ar dela prender no galho de árvore. 

-MERDA!!! - Ela tentava tirar a mascará de ar mas ela quebrou, a Mendes perdeu completamente seu controle, sua respiração mudou e ela inalou o ar intoxicado. Caiu no chão tossindo e cuspindo sangue. - R-RÁPIDO... - Ela desmaiou e nesse exato momento a Anna á pegou por trás e arrastou criando rasgos de sangue por todo o seu corpo. 

CONTINUA....

===


Notas Finais


Tenso.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...