História The Second Chance - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Álvaro Morata, Francisco "Isco" Suárez, Marco Asensio
Personagens Álvaro Morata, Francisco Román Alarcón Suárez, Marco Asensio
Visualizações 101
Palavras 1.423
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vamos deixar um pouquinho os problemas de lado e curtir a surpresa do Asensio, e um lugar a sós no sossego era tudo o que Valisco precisava pra se tornar real oficial. Lá vem a primeira vez do nosso
otp ❤

Capítulo 24 - Nosso amor em alto mar.


Madrid, Espanha. Capítulo 24.

Eu e ele nos encaravamos seriamente enquanto ela colocava sua mala no meu carro, dava pra ver em seus olhos o tanto de raiva que ele estava de mim mas eu não me importava tanto. Assim que fechei o porta-malas abri a porta do carona pra ela que entrou sem dar nenhuma palavra, eu posso ter sido expulso do resort pela confusão — bem grande — que causei ontem a noite mas ela quem decidiu vir junto comigo sem que eu dissesse nada.

Lembro das palavras que falei para dele depois que ele disse que eu só estava com ela porque jogador solteiro acha que todas as mulheres são fáceis, e talvez ela tenha preferido vir comigo depois que abri meu coração bem na frente dela. Asensio me encheu de mensagens assim que eu liguei para ele explicando tudo o que aconteceu, e ele disse que havia uma outra bomba a minha espera em casa.

- Você já foi expulso de algum lugar? - ela perguntou.

- Do campo, duas vezes. - eu ri.

- Sabe que disse umas coisas pesadas pra ele, né? - perguntou e eu assenti.

- Eu sei, mas eu não gostei do modo como ele falou...outros caras podem ser assim mas eu não sou. Se eu estou com você é porque eu gosto de você, não tiro proveito de condição alguma. - expliquei.

- Eu sei. - ela sorriu acariciando minha perna.

- Você é uma garota apaixonante, eu super entendo os caras estarem afim de você. Eric, Asensio e agora esse Gustavo. - comentei.

- Eu não ligo pra nenhum deles, quem eu quero é um baixinho ciumento que foi expulso de um resort. - brincou e eu sorri.

- O que você acha que pode ser a bomba que o Asensio falou? - perguntei.

- Não sei, será que ele falou sério? - questionou e eu fiquei na dúvida.

Assim que chegamos na frente do meu prédio eu vi que estava cercado de paparazzis com suas câmeras nas mãos esperando por mim, percebi o quanto aquilo assustava a Vale então parei distante e liguei pro Asensio.

- O que eu faço? - foi a primeira pergunta que fiz.

- Eu já acertei tudo. Vem pelos fundos, pega uma mochila que eu preparei pra você e tem um carro preto com placa de final 2345 que vai levar vocês dois pra um lugar mais reservado. - ele explicou.

- O que você tá aprontando, Asensio? - perguntei confuso.

- Confia em mim, e vem. - ele disse antes de desligar.

Eu precisava confiar, ele é um dos meus melhores amigos. Corri para os fundos do prédio e lá estava ele com a minha mochila nas mãos e o carro a nos esperar, Vale estava confusa e eu segurei sua mão lhe passando a confiança que Asensio me passou quando conversamos. Entramos no carro que nos esperava e ele nos guiou para um lugar longe da cidade e eu não estava entendendo muito bem e comecei a trocar mensagens com o Asensio pelo celular.

"Eu sei que vacilei no começo, mas quero a felicidade de vocês dois. E nada mais privado e justo do que um lugar longe dos paparazzis." — enviou.

"Você é demais, Marco Asensio!" — enviei, rindo.

"Divirtam-se, e me agradeçam depois!" — enviou por último.

Assim que vi o carro parar num cais a Vale — que cochilava no meu ombro — despertou e nós descemos do carro, já passava do meio dia e o motorista do carro nos guiou até um barco grande e branco. Um rapaz estava a nossa espera na frente do barco e nós fomos caminhando até ele que sorria animadamente para mim.

- Senhor Alarcón, seja bem vindo a nossa embarcação de luxo para os dois dias de passeio. Espero que goste. - ele disse apertando a minha mão.

- Eu sou o Alejandro e estou ao seu dispor. - finalizou e eu encarei a Vale que estava surpresa.

- Asensio! - precisei sorrir. Meu amigo é incrível.

- Obrigada Alejandro, mas para onde esse barco vai nesses dois dias? - perguntei.

- Bom, o Senhor Asensio nos disse que poderiam passear entre as duas cidades dos arredores. Toledo e Segóvia. - explicou e eu assenti.

- Você quer ir? - perguntei pra Vale.

- Quero. - ela sorriu.

Entramos no barco e eu fiquei apaixonado pelo mesmo, o lugar é lindo e grande e mesmo com um certo medo de como seria essa viagem eu estava empolgado. Dois dias sozinho com a Valentina no mar longe dos paparazzis e da parte midiática de ser um jogador de futebol de Madrid, e assim que partimos ela se deitou na cama do andar de baixo do barco e ficou olhando pro teto.

- Quando esses paparazzis vão parar? - perguntou enquanto eu estava trocando minha camisa.

- Daqui a pouco eles esquecem. É chato né? - perguntei deitando ao lado dela.

- Sim, parece que a vida vai ser exposta a qualquer segundo e onde você estiver eles também vão estar com mil e uma câmeras apontadas pra você. - ela disse enquanto eu brincava com seus dedos.

- Se arrependeu de me conhecer? Quer dizer, daquele beijo no estádio? - perguntei e ela virou de frente pra mim.

- Não, de jeito nenhum. - ela disse.

- Preferia um cara com a vida normal tipo o Eric ou o Gustavo? - perguntei e ela acariciou meu rosto.

- A gente não manda no coração Isco, e se ele te escolheu é porque não poderia haver ninguém melhor do que você. - ela disse e eu sorri.

- Topa esse desafio? Enfrentar a parte um pouco chata da fama? - perguntei e ela entrelaçou nossos dedos.

- Eu topo qualquer coisa com você, Isco. - ela disse com um sorriso nos lábios.

Nossos lábios se encontraram no meio do sorriso e ali eu me perdi, Valentina era a minha perdição e eu demorei um pouco pra perceber. Ela caiu na minha vida com um propósito e eu que achei que era um engano acabei cedendo aos encantos dela e agora que a conheço dos pés a cabeça, não quero longe de mim nem por um segundo; e isso inclui todos os outros dias da minha vida. Dormimos um pouco por conta do cansaço e quando acordei ela não estava mais na cama e eu resolvi tomar um banho e acabei encontrando-a na frente do espelho do banheiro a pentear seus longos cabelos.

- Como és linda! - eu disse parado na porta.

- São seus olhos, que eu amo. - ela disse sorrindo.

- Meus olhos? - perguntei.

- Eu amo seus olhos castanhos. - ela disse me envolvendo num abraço.

- Eu amo seu cheiro. - eu disse inalando seu cheiro doce enquanto beijava seu ombro.

- O Alejandro disse que daqui a pouco o jantar fica pronto, ele disse que o jantar é sempre por conta dele. - ela disse e eu senti meu estômago roncar.

- Só vou tomar um banho. - avisei e ela me soltou.

- Vou te esperar aqui. - ela disse e eu assenti.

Tomei um banho rápido e nós dois subimos para onde Alejandro estava, o barco estava parado e ele desceu assim que subimos deixando o nosso jantar preparado numa mesa toda caprichada. Havia vinho e flores espalhadas e assim que nós sentamos pudemos observar a lua brilhante e cheia no céu, tudo estava perfeito e eu só queria que aquele dia não acabasse nunca.

- O Asensio planejou tudo mesmo. - ela disse rindo enquanto bebericava seu vinho.

- O moleque é romântico quando quer. - sorri.

- Esse lugar é incrível. - ela comentou olhando o céu.

- Estamos fora de Madrid. - expliquei.

- Isco, eu quero te perguntar uma coisa. - ela disse e de repente uma música começou a tocar atrapalhando o que ela ia dizer.

Levantei puxando-a junto comigo e nós fomos para a frente do barco onde vinha a música e quando chegamos lá meus olhos brilharam. Havia uma toalha enorme estendida e pétalas vermelhas, tudo estava iluminado e um cartão estava pregado na lateral do barco; Vale o pegou e ao abrir seu sorriso se alargou.

"Quando o amor irradia a sua vida, tudo o que se pode fazer é deixá-lo entrar. Tenham uma noite mágica. O amor é lindo." — ela leu e foi a minha vez de sorrir.

Nós nos entreolhamos e ela assentiu com a cabeça. Essa noite vai ser a melhor de todas.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...