História The supernatural love story (Imagine Park Jimin) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Lendas Urbanas
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Anjos, Demonios, Hentai, Imagine Bts, Imagine Jimin, Jungkook, Seres Sobrenaturais, Sexo, Sobrenatural, Terror, Universo Alternativo
Visualizações 138
Palavras 1.632
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Hentai, Lírica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VOLTEIIIII ♥
Era pra esse capítulo ter saído semana passada mas não deu muito certo e também tem esse lance do Jimin então ficou difícil eu escrever e não pensar na saúde dele. Mas finalmente consegui — isso não significa eu eu não ligo mais tá?!
Uns avisinhos rápidos:
A maravilhosa pessoa que está na capa é a Tia Amara. Hunters irão sabem de quem estou falando e se não sabem, assistam Supernatural e se não gostar, assiste de novo porque você viu errado.
Ali em baixo tem a parte que apareceu no capítulo 5 e eu não reescrevi ela porque ia ficar muito grande esse capítulo.
Então chega de enrolação.
Boa leitura! ❤

Capítulo 7 - Sieben


Fanfic / Fanfiction The supernatural love story (Imagine Park Jimin) - Capítulo 7 - Sieben

Park Jimin P.O.V

Hoje o dia estava cansativo. Eu tinha o caso de Tayra para resolver, a identidade de (S/N) para descobrir e mais uma porrada de coisas para resolver. Se eu não morrer de estresse hoje, posso ser considerado um ser imortal. Misericórdia!

Vocês devem estar se perguntando: "Por que essa importância na Tayra, Jimin?". Bom, eu vou explicar.

Tayra, como vocês sabem, é minha prima e também a pessoa que quem amo. É exagerado dizer isso, até porque eu não estou perdidamente apaixonado por ela só gosto dela e ela, eu não tenho certeza.

Tudo começou quando ela foi lá para casa depois de uma briga com o namorado – ou ex-namorado. Ela estava toda chorosa e eu a aconselhei – como qualquer um faria – então, do nada, ela me beijou e eu a retribui. O clima foi esquentando e a gente acabou transando.

Depois daquele dia a gente começou a se aproximar mais e mais até que um dia ela foi presa por suspeita de cumplicidade de imigração ilegal, por causa de seu belíssimo ex-namorado que fazia imigração ilegal. Ela ajudava e eu sabia disso, mas digo que não sei de nada até o fim.

— Jimin?! — Hoseok disse impaciente na minha frente.

— Você prestou atenção no que eu falei?!

— Claro...

— Então, o eu disse? 

— A-ah... — Hoseok suspirou e negou com a cabeça.

— O que aconteceu? Você não é de ficar na docelândia andando num arco-íris em cima de unicórnio colorido enquanto está pelado e comendo algum algodão doce cor-de-rosa. — Ri com seu comentário.

— É só o caso da Tayra que está me deixando cansado. — Me encostei na cadeira e fechei meus olhos. 

— E?

— E o que? — Eu o encarei.

— E o que mais? Tem mais farinha dentro desse saco. — Hoseok sorriu e colocou seus braços na minha mesa como se estivesse me interrogando.

— Como pode tirar conclusões precipitadas? — Engoli seco e arqueei as sobrancelhas.

— 1°: Já faz meses que você está nesse caso da Tayra e você nunca ficou assim, 2°: você engoliu seco e usou o termo "como pode usar conclusões precipitadas" como desculpa para tentar disfarçar seu nervosismo e você não diria isso se não houvesse alguma coisa, ou seja, há sim um motivo, 3°: eu te conheço muito bem e sei quando está mentindo. — Ele sorriu vitorioso e eu estava boquiaberto com suas conclusões.

Caramba, ele é bom mesmo! Não é atoa que ele um dos melhores investigadores de Seul.

— E então, vai falar ou não? 

— Certo, você me pegou. — Levantei as mãos para cima em forma de rendimento e sorri.

— Tem sim um outro motivo, mas não é importante.

— Se não fosse importante você não ficaria aéreo. — Suspiro.

— Caramba, você é insistente, em! — Revirei os olhos.

— Ontem eu conheci uma garota que se chama (S/N) e ela está na casa do Jungkook. Ele me pediu para ver a identidade dela, só que eu não sei o sobrenome dela. 

— Então você vai procurar todas as (S/N)s para ver qual é ela? — Suspirei e assenti.

— Cara, isso vai levar dias talvez semanas ou meses! São 7,5 bilhões de pessoas no mundo e no mínimo 1 milhão tem esse nome. Boa sorte, hahaha. — Eu o fuzilei com o olhar. 

— Você não tem um caso para resolver não? — O sorriso dele sumiu e ele fez uma cara de cansado.

— Cara, se esse não fosse o meu sonho, eu juro que já teria pulado fora e investido na minha vida de vendedor de picolé na praia. — Soltei uma gargalhada baixa.

— Mas falta 5 minutos para o final do expediente então vou ficar esses 5 minutos aqui te amolando porque eu gosto. — Ele sorriu e eu revirei os olhos.

— Mereço mesmo. — Neguei com a cabeça.

10 minutos mais tarde...

— Aeeeee! Finalmente! Casa, paz, felicidade, comida!!! — Sorri com o modo escandaloso que Hoseok fez ao sair da delegacia. 

— Cara, você não sabe ser discreto mesmo. — Disse ao ver algumas pessoas nos encarando estranho. Hoseok notou também os olhares e deu de ombros.

— Eu não devo nada a ninguém então vou ser eu mesmo. — Neguei com a cabeça.

— Bom, até mais, mon amour. — Hoseok disse com um biquinho tentando um sotaque francês e mandou um beijo no ar. 

— Até mais. — Acenei e fui até meu carro. 

Assim que entrei no carro decidi ir na casa de Jungkook saber como ele e a peguete estão. 

Estacionei meu carro e entrei na casa.

— Voltei, pombinhos! — Vi (S/N) revirar os olhos.

— Ah, oi, Minah! — Sorri fazendo meu eyesmile aparecer e (S/N) também acabou sorrindo.

Eu sou contagiante, hah.

Quebra de tempo

Aquela garota pensa que é quem?! Achar que consegue me intimidar com uns efeitos baratos e um e um modificador de voz. Eu sou o grande Park Jimin! 

Estava de noite e eu estava cansando. Eu não vou pegar o caminho pelo centro que é muito barulhento e irritante, ainda mais essas horas. Vou pegar o caminho que passa de perto da floresta. Tá que ela é medonha, mas é calma e é isso o que importa.

Eu estava passando em frente a floresta até que ouvi gritos de socorro de dentro da floresta. Parei imediatamente o carro e peguei minha arma e minha lanterna, e parti em direção à floresta. 

Os gritos começaram a ficar mais altos e – do nada – pararam.

— Olá? Tem alguém aí? — Olhei em volta e não tinha absolutamente nada e nem ninguém.

— Que ótimo! Me perdi.

Me virei e tinha um monstro horrendo com olhos brancos, dentes afiados, pele esticada e cinzenta e tinha pelo menos uns 2 metros de altura. Arregalei os olhos e a criatura veio correndo até mim. Fechei os olhos e fui jogado para longe. Por sorte — ou não — eu não bati em uma árvore ou em um espinho, mas minha cabeça e minhas costas latejavam igual meu rosto.

Abri os olhos suficientes para ver que a criatura vinha até mim numa velocidade incrível. Ela teria chegado até mim se não fosse uma mulher de vestido preto entrasse na frente e feito um escudo quem cobriu nós dois. Assim que o monstro tocou no escudo voou para longe e um pedaço de madeira atravessou seu estômago, mas ele não morreu. 

Ele soltou um rugido muito alto e a mulher que antes estava na minha frente pegou uma katana e cortou a cabeça do monstro. Assim que a mulher se virou eu vi quem era. 

Era a (S/N). Ela salvou minha vida.

Ela se ajoelhou ao meu lado rapidamente e colocou as mãos no meu peito e seus olhos ficaram completamente brancos e as dores sumiram. Todas elas, sem exceção. (S/N) pegou minha mão e me ajudou a levantar.

— Temos que sair daqui antes que os outros wendigos cheguem. — Ela disse começando a andar.

— Você está de carro? — Assenti. — E sabe onde ele está? — Neguei.

— Certo, imagine seu carro e envolta dele. Pode ser apenas o que você lembra. — Fechei os olhos. 

Ela colocou a palma da mão na minha cabeça e, do nada, estávamos dentro do carro. Eu olhei assustado em volta.

— O que está acontecendo?!

— Cala a boca e dirige. Rápido! — Ela disse ao ouvir estrondos de passos se aproximar. Liguei o carro e acelerei. 

Meu coração estava muito acelerado e eu estava confuso. Eu só sabia dirigir e não sabia se ia para casa ou se ia para qualquer lugar. Decidi ia a casa de Suga porque estava mais perto daqui.

— O que era aquilo? — Perguntei depois de um bom tempo de silêncio.

— Um wendigo. 

— E o que é um wendigo?

— Um wendigo é um humano qualquer, que passou muita fome durante um inverno rigoroso, e para se alimentar, comeu seus próprios companheiros. Após perpetuar atos canibais, acaba se tornando este monstro e ganha muitos atributos para caçar e se alimentar, tais como imitar a voz humana, escalar árvores, suportar cargas muito pesadas, e além disso tem uma inteligência sobre-humana. A vítima humana do espírito do wendigo, após cometer os atos de canibalismo começa a transformar-se. Os olhos ficam brancos, os dentes afiados e a pele estica-se à volta do esqueleto do ex-humano, daquela forma horrenda que você viu. O Wendigo também pode de hibernar por anos, e para suportar os invernos, estoca suas vítimas em cavernas subterrâneas onde as devora lentamente. 

— E-e como que mata isso?

— Para destruir um Wendigo é preciso queimá-lo, porque ele tem uma pele sobre-humana que também lhe permite sobreviver a qualquer tipo de ferimento inconstante, tais como esfaqueamento ou ferimentos provocados por balas. — Ela se calou. 

O silêncio voltou a se instalar entre a gente.

Eu estava muito tenso para falar alguma coisa e acho que (S/N) também – ou não já que quem afastou a coisa foi ela. Eu ainda não estou acreditando que minutos atrás eu não acreditava em nenhum ser sobrenatural e agora eu quase fui morto por um. A vida é mesmo uma caixinha de surpresas!

Chegamos na casa do Suga e vi que Jungkook estava também. Alguma merda deve ter acontecido. Desci do carro e (S/N) me acompanhou. Bati na porta e Suga me atendeu com uma expressão confusa.

— Oi, Jimin. Quem é ela? 

Não falo nada e apenas entro dentro da casa dele. 

(S/N) fica parada no mesmo lugar como se estivesse com medo de entrar. Faço um sinal e ela acaba entrando dentro da casa e Jungkook olha incrédulo para ela.

— O que essa garota faz aqui?! — Ele se levanta.

— Graças a essa vadia, minha casa está destruída! — (S/N) abaixa a cabeça.

— Não fala assim com ela Jungkook! — Me aproximei dele.

— O quê?! Você fez alguma magia negra para ele ficar do seu lado?! Hein?! — Ele estava muito nervoso.

— Para com isso! Ela não fez nenhuma magia negra ou alguma merda do tipo!

— Então porque está defendendo ela se horas atrás você a odiava? — Ele cruzou os braços.

— Porque ela salvou a minha vida.


Notas Finais


Desculpem pelos erros ortográficos (se tiver) eu juro que amanhã eu reviso tudinho e tiro essas merdinhas. Hehehe.
A história do Wendigo eu tirei da Wikipédia, tá? Se procurar lá vai ter a mesma descrição (e em Supernatural também).
Falando em Supernatural, eu odiei o último capítulo da 12° temporada. Não vou dar spoiler e se quiser saber do que eu tô falando, assistam tudo, hehehe.
Eu escrevi esse capítulo graças a mamis quê me ajudou. Hehehe, te amo mãe! ❤
O próximo capítulo provavelmente vai demorar mais um pouquinho (talvez não) porque eu não tenho a menor ideia do que escrever e minhas ideia aparecem do nada em algum momento da vida. Vou rezar pra que essa ideia venha logo hehehe.
Tenho uma outra estória também, bom não é bem uma estória é mais para uma poema hehehe: https://spiritfanfics.com/historia/viver-9792243 tá aqui ela dêem muito amor e carinho ❤
Kisses, alienspandacórnios! ❤
Até o próximo capítulo.❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...