História The way we used to be - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ben 10
Tags Gwen, Gwevin, Kevin
Visualizações 12
Palavras 1.117
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem a demora e não desistam de mim.
Espero que gostem,
Boa leitura ❤️

Capítulo 14 - Kevin 11


Já estava quase amanhecendo quando eles chegaram de volta a cabana, Kevin mais que depressa sai no carro e entra vendo Ben dormindo no sofá, Kevin então chama Ben algumas vezes até que o mesmo comece a se mexer e abrir os olhos 
Kevin-aonde ela está? 
Ben-dormindo no quarto, aonde você estava? 
Kevin-eu tenho o Dominus Librium, podemos salvá-la 
Ben-como? 
Kevin-eu pensei em absorver seu relógio como antes e passar a energia pra ela  
Ben-Kevin, não acho que essa seja a melhor ideia do mundo, lembra da última vez? 
Kevin-lembro.-ele diz seco-mas eu estou melhor e não consegui pensar em nada além disso e você? 
Ben-também não, mas ainda acho arriscado  
Verdona-o que é arriscado? 
Ben e Kevin olham para a porta fazendo cara de criança que fez uma travessura 
Ben-nós estávamos só... 
Kevin-eu sei como salvá-lá
Kevin disse se levantando e tirando o objeto dourado das costas 
Verdona-meus conhecimentos não incluem armas alienígenas 
Kevin-não é uma arma, ele transporta energia de um corpo para o outro 
Verdona-mas de onde tiraríamos essa energia? 
Kevin-na verdade quando você chegou eu tive uma ideia, o mana é a melhor fonte de energia já vista, então porque você não passa parte do seu para Gwen 
Verdona-vocês acham que eu não tentei? O poder de Gwen é superior ao meu e além do mais eu não sei curar 
Kevin-vocês anoditas podem curar!? 
Verdona-é algo especial, somente alguns anoditas conseguem 
Ben-ótimo, voltamos à estaca zero 
Kevin-meu plano ainda é o mesmo, me deixa absorver o relógio 
Ben-é perigoso Kevin 
Kevin-você a ama tanto quanto eu? 
Ben-você sabe que sim 
Kevin-então deveria saber que é nossa única chance. 
Verdona vai até o quarto ver Gwen e a encontra em pé apoiada na cama, ela gemia baixo de dor, Verdona rapidamente a ajudou a deitar-se 
Gwen-eu não aguento mais segurar, estou sentindo dores desde ontem, desde que a bolsa estourou 
Verdona-a sua bolsa já estourou? 
Gwen-ontem à noite -Gwen dizia entre os dentes 
Verdona-e porque não disse nada? 
Gwen-porque vocês me deixaram aqui sozinha com o Ben, que desmaiaria só de ver minha bolsa estourar 
Verdona-me desculpa por isso, seu avô precisou buscar ajuda, ainda está buscando 
Gwen-seria bom uma ajuda agora, de alguém que soubesse fazer um parto 
Verdona-puxou essa petulância da parte de sua mãe, espere um pouco, vou pegar umas coisas 
Verdona sai do quarto e assim que a porta se fecha ela aperta o passo indo até um armário pequeno na sala, tirando de lá algumas coisas que colocou em uma bolsa, Kevin e Ben olhavam-na como se a mesma estivesse louca, mas Verdona os ignora e volta para o quarto, sendo seguida pelos mesmo 
Verdona-vocês não podem entrar, ao invés disso vão fazer o que vocês têm que fazer, agora! 
Ela diz entrando no quarto e batendo a porta atrás de si, Kevin tenta entrar, mas Ben o segura 
Kevin-eu quero ver a Gwen 
Ben-ela vai ter o bebê Kevin, precisamos ir.
Kevin assente com a cabeça e caminha até o lado de fora da casa com Ben 
Kevin-preciso de um tempo, pra organizar um plano na minha cabeça 
Ben-ainda acho arriscado demais 
Kevin-eu sou melhor do que era antes, vou controlar a sede-ele se aproxima de Ben-preciso que me prometa que se algo der errado você não vai pensar duas vezes 
Ben-eu não... 
Kevin-prometa 
Maia-prometer o que? 
A morena se aproxima sorrindo e se apoiando nos ombros de Ben que se afasta 
Ben-o que ela faz aqui? 
Maia-vim pegar minha parte do acordo 
Kevin-história longa, pouco tempo, Maia preciso que ajude Ben, se ele precisar, depois que tudo acabar eu dou sua parte do acordo 
Ben-que acordo? 
Kevin-não é relevante agora. 
Gwen já estava em trabalho de parto a horas, mas Verdona não conseguia ajudar, sabia fazer um parto, mas o bebê parecia querer ficar lá, o fato de Gwen não ter forças também não ajudava, não importava o quão fundo Gwen respirava ou o quanto sua avó dizia para ela ficar calma, ela nunca havia sentido tamanha dor, já tinha apanhado de todos os tipos de alienígenas, mas nada se comparava aquilo, eram ondas de dor que voltavam cada vez mais rápido, sua avó parecia assustada e isso só a deixava mais nervosa, tudo o que Gwen queria era que Kevin estivesse ao lado dela. 
Kevin toca o relógio de Ben como se perguntasse se havia ou não consenso, logo, o mesmo assente e então Kevin volta a sentir, o poder passando por cada músculo, cada célula, Kevin podia sentir a transformação chegando, mas ainda era ele o que fez ele parar quando se deu conta de que a energia já era suficiente, o que faz Ben ficar boquiaberto 
Ben-Kevin? 
Kevin-traga ela aqui, sem o bebê 
A voz de Kevin havia mudado e embora não gostasse de admitir Kevin sentia lá no fundo que o controle, era passageiro, enquanto esperava Ben, Kevin andava de um lado para o outro, já Maia, o observava 
Maia-eu quero esse poder 
Kevin-você terá parte dele em forma de energia 
Então ambos ficam em silêncio, o único som ouvido do lado de fora da casa era os pesados passos de Kevin. 
Ben entra no quarto de maneira brusca, fechando os olhos no mesmo segundo, não era como Ben via nos filmes, era muito mais desconfortante ver pessoalmente 
Ben-eu preciso dela, sem o bebê, quanto tempo ainda falta? 
Verdona-eu não consigo pega-la
Gwen gemia de dor e ambas suavam bastante, na cama haviam vários instrumentos médicos o que só deixava Ben mais apreensivo. 
Do lado de fora, Kevin escuta um barulho vindo das árvores, mas não parecia haver nada incomum e quando estava voltando escuta um grito, ele então volta correndo para a cabana encontrando lá Aaron segurando sua irmã pelo pescoço 
Aaron-Kevin 11, é um prazer tê-lo aqui para ver o show 
Kevin-eu já deixei o número 11 para trás a algum tempo, você sabe, números em nomes são tão cafonas 
Aaron-eu não seria tão petulante se fosse você, depois de matar Maia posso entrar e matar sua mulher e criança, isso é, se ela não morrer sozinha, porque pelo o que eu vi da janela, ela não me parece saudável 
Aquilo foi a gota d'Água para Kevin que se aproximou de Aaron que, no mesmo segundo, tirou uma arma da cintura e pôs na cabeça de Maia, fazendo a mesma gritar para que Kevin parasse e ele o fez 
Kevin-solta a minha irmã
Maia sorri ao ouvir isso de Kevin 
Aaron-vocês dois mataram meu melhor amigo e querem me pedir algo? 
E então Aaron dispara fazendo o sorriso de Maia se apagar, pôde-se ouvir um barulho de choro, a mente de Kevin se embaralha e tudo em sua visão fica turvo.

 

 


Notas Finais


Espero que estejam gostando do rumo das coisas
Até o próximo ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...