História They don't know about us - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Tags Drama, Harry, Larry, Louis, Romance, Truelove
Visualizações 73
Palavras 2.980
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Imaginem que a garota da mídia seja a Evelyn. E não odeiem a garota...

Capítulo 3 - Don't forget where you belong


Fanfic / Fanfiction They don't know about us - Capítulo 3 - Don't forget where you belong

 

Estive longe por muito tempo

Mas eu tenho tudo que preciso

Eu passei as paginas

Que eu escrevi em minha memória

Eu sinto que estou sonhando

Oh, então eu sei, eu sei, eu sei

Que eu nunca irei embora

Não, eu não irei

 

  Holmes Chapel…

  Harry não tinha ideia de quanto tempo ficou ali, deitado em sua cama e se sentindo miserável, perdido em suas dolorosas lembranças.

Abriu os olhos e percebeu que estava chorando. Vinha chorando muito nos últimos tempos e odiava se sentir assim.

 Limpou os olhos com raiva, foi até o banheiro e olhou-se no espelho. Estava com uma aparência horrível.

    __ Você é patético Harry Styles! – disse para seu reflexo.

     __ Eu discordo disso!

    Harry levou um susto ao perceber Evelyn sentada no parapeito de sua janela. Aparentemente esteve ali o observando todo aquele tempo.

      __ Como você... – ele tomou folego – o que está fazendo aqui? Há quanto tempo está aí me espionando?

      __ Primeiro, não estava espionando...segundo, só estou retribuindo o favor e invadindo seu quarto – e ela deu de ombros –  e fiquei preocupada com você.

       Harry deixou os ombros caírem e se juntou a ela no parapeito da janela.

        __ Eu fui um canalha com você Eve! – ele disse cabisbaixo – me perdoa? Não tenho sido eu mesmo ultimamente.

         __ Está tudo bem Harry – ela segurou as mãos dele com carinho e o olhou com atenção – você está bem?

         __ Eu não sei. – ele admitiu.

        __ Posso perguntar uma coisa? – disse meio sem jeito.

         __ Claro.

         __ O que houve com Louis?

         Harry a encarou e a garota notou as lágrimas presas ali. Havia tanta dor, tanta angústia, tanta confusão naqueles olhos. Ele estava sofrendo e isso a incomodou, porque sentia-se impotente diante disso.

         __ Tudo bem se não quiser falar sobre isso – Evelyn entendeu o silêncio – eu li alguma coisa na internet...sobre a gravidez da Brianna...

         Harry tremeu um pouco ao ouvir o nome da namorada de Louis. Uma lágrima solitária escapou de seus olhos. Uma bola enorme pareceu se formar em seu peito, mas mesmo assim não era capaz de falar sobre isso.

         __ Não posso Eve! – ele murmurou ainda segurando as lágrimas bravamente – não aguento...falar sobre isso...não agora.

         Evelyn o abraçou e Harry chorou até não poder mais. A garota acariciava seus cabelos sedosos e o confortava da melhor maneira que podia. Deixou que ele colocasse tudo pra fora e aliviasse aquele peso de seu coração.

         Harry sentiu como se seu peito fosse estourar, tamanha era a dor contida ali. Com o rosto escondido nos ombros de Evelyn, deixou as lágrimas correrem livremente...precisava colocar aquilo pra fora ou entraria em colapso.

 

 

         ( uma semana se passou...)

         Harry desenvolveu uma rotina diária. Acordava muito cedo e saía para dar uma corrida. Precisava dessa adrenalina para começar o dia.

        Às vezes, caminhava pelas ruas tranquilas e pacatas de sua cidade. Aproveitava o fato de poder fazer isso sem um batalhão de paparazzis ou seguranças seguindo seus passos. Era como voar livre, sem restrições.

         É claro que muitas pessoas o reconheciam. Mas, a maioria das pessoas, conhecia Harry por ele ter crescido ali e não por ser mundialmente famoso. As pessoas, mesmo as fãs, respeitavam seu espaço. Harry apreciava isso.

         O café da manhã, quase sempre era na confeitaria, próxima da casa de sua mãe. A mesma onde havia sido funcionário quando era garoto, antes do One Direction.

         Quase sempre pulava para dentro do balcão e surpreendia alguns clientes. Era divertido e ele gostava disso. Ali não era Harry Styles do One Direction. Era apenas Harry, o garoto atencioso e divertido que todos conheciam e amavam.

         Ninguém queria saber de suas aventuras amorosas, não faziam perguntas constrangedoras sobre Louis...queriam apenas saber qual era a torta do dia!

         Depois de muitos dias, Harry podia dizer que estava em paz. Ainda de coração partido, mas em paz.

         Parte do processo de cura se devia a companhia constante de Evelyn. Os dois passavam boa parte do tempo juntos. Visitaram velhos amigos, foram ao cinema, foram a festas, conversavam muito.

         Ainda invadiam o quarto um do outro pelas janelas e algumas vezes acordavam um na cama do outro.

         Harry adorava a ligação que tinham, mas não voltou a beijá-la ou tocá-la de maneira inapropriada. Sim, dormiam juntos, acordavam enroscados um no outro. Era uma sensação boa, mas mantiveram as coisas assim.

         Não falaram mais do beijo trocado na primeira noite. E após desabafar tudo o que o atormentava em Londres, também não falaram mais sobre Louis.

         Apenas estavam se divertindo juntos. Harry não queria estragar isso e sabia que não estava disponível emocionalmente. Mesmo que não falasse sobre Louis, ele ainda o amava. Odiaria magoar Evelyn.

         ­__ Bom dia Hazza! – a garota beijou sua bochecha.

         __ Bom dia Eve! – ainda doía ser chamado assim.

         __ Quais os planos para hoje? – ela sentou-se ao lado dele – é sábado. Dia de farra!

         __ Tem sido dias de farras em toda a semana Eve! –ele riu do entusiasmo dela.

         __ É verdade. Mas as férias acabarão logo Harry e quero aproveitar tudo. Nem sei quando vou voltar a ver você novamente, senhor “superstar” !

         __ Não vou perdê-la de vista nunca mais! – ele prometeu  com aquelas covinhas marcando seu rosto – moramos na mesma cidade Eve! Vamos dar um jeito de mantermos contato.

         __ Eu moro em Londres. Você apenas tem uma casa lá. – Evelyn corrigiu revirando seus belos olhos verdes  – você quase nunca está na cidade Harry.

         __ A banda vai ficar um tempo de férias, sem sair em turnê. Temos a divulgação do novo Cd...e eu tenho alguns projetos pessoais que quero experimentar...

         __ Como eu disse! – Evelyn o interrompeu. – vai continuar com sua vida agitada e agenda disputada.

         __ Serão coisas rápidas e terei muito mais tempo livre. Eu prometo.

         __ Não me deve nada Harry. Além do mais é Londres. As coisas serão um pouco mais complicadas por lá. – disse dando de ombros, meio cabisbaixa.

         __ Diz isso por causa do Lou? – ele a olhou com atenção.

         __ Sei que não  quer falar disso, mas...- ela hesitou  e o garoto continuava a olhando sério – e não é apenas o Louis. Tem a imprensa, as suas fãs enlouquecidas. Aqui tudo parece mais simples...sei lá. Aqui podemos andar pelas ruas de mãos dadas sem que isso seja o inicio da terceira guerra mundial. Em Londres, provavelmente nem vou conseguir chegar perto de você sem ser morta pelos fãs ou barrada pelos seguranças.

         __ Vamos lidar com isso quando precisarmos voltar, certo? – Harry sorriu – por hoje, vamos ao show da minha antiga banda.

         __ Parece um bom programa. Estou dentro.

 

 

         Horas mais tarde...

        Harry estava diante do espelho tentando domar seu longo cabelo. Talvez fosse hora de cortá-lo afinal. Seu celular começou a tocar sobre a cama. Era Liam. Hesitou mas acabou atendendo.

         __ E aí cara!

         __ Finalmente Harry! Já estava ficando preocupado com você.

         __ Eu estou bem Liam... – não pode evitar o sorriso pela preocupação do amigo - só precisava de algum espaço.

         __ Eu sei – o outro disse – como você está?

         __ Me curando aos poucos, eu diria. – Harry olhou pela janela – como estão as coisas  por ai?

         Liam hesitou e Harry percebeu isso, mas permaneceu em silencio. Não perguntaria por Lou. Recusava-se  a fazer isso, embora seu coração apaixonado desejasse algum noticia.

         __ Estamos todos bem – Liam disse finalmente – sentimos sua falta cara. E não é justo que não queira nem mesmo falar com nenhum de nós. Niall está me enlouquecendo, sabia?

         __ Eu também sinto falta de vocês. – Harry confessou – tenho que ir agora, me desculpe ,mas, eu estava de saída. Prometo que vou ligar pro Niall e mandar que ele te deixe em paz.

         __ Tem um encontro Styles? – o outro brincou.

         __ Mais ou menos. – Harry riu – estou indo ao show da minha antiga banda...

         __ Que máximo Harry. Eles ainda estão juntos?

         __ Estão sim...colocaram um novo vocalista no meu lugar... – Harry contou.

         __ Não vai se empolgar no show  e tentar pegar seu lugar de volta na banda. Nem pense em nos abandonar.

         __ Relaxa porque isso não vai acontecer.  – Harry garantiu e podia jurar ter ouvido um suspiro de alivio do outro lado - Nos vemos em algumas semanas para a divulgação do CD.

         __ É verdade. Mas aproveita cara, leve o tempo que precisar para colocar seus sentimentos no lugar. Apenas não se isole de nós, ok?

         __ Ok. – Harry concordou – mande lembranças a...todos.

         __ deixa comigo. Amo você. Te cuida cara!

         __ Amo você também. Tchau.

 

         Londres...

         __ Ele está bem? – Louis perguntou ansioso.

         __ Parece estar – Liam encarou o amigo – me pareceu calmo e relaxado. Estava indo ao show de sua antiga banda.

         __ Perguntou por mim? Ele disse alguma coisa?

         __ Nada Lou.  – disse, vendo o pequeno se encolher - Na verdade, tivemos sorte por ele ter atendido ao telefone.

         __ Sinto falta dele. – foi dito quase como um lamento.

         __ Eu sei. – Liam sentiu pena do amigo – todos nós sentimos. Harry é um ser humano muito especial. Mas ele garantiu que vem para a divulgação do CD, então poderá vê-lo dentro de algumas semanas.

         __ Ainda não sei se isso será bom ou ruim Liam!

         __ Vão ter que conversar sobre isso Lou. Serão vistos juntos em publico e vão ter que lidar com isso, da melhor maneira possível.

         __ Ele me odeia, Lee.

        __ Harry jamais seria capaz de te odiar. Ela está magoado e lidando com isso do jeito dele. – Liam disse e Louis assentiu – tenha paciência e aposto que algum dia ainda vamos rir de todo esse drama.

      

        

         Holmes Chapel...

          Harry tocou a campainha da casa de Evelyn e esperou sentado na varanda. Ficou pensando no telefonema de Liam e agora admitia  uma curiosidade secreta de saber como Louis estava se saindo.

          Sentia tanta falta dele que era quase uma dor. Aqueles olhos azuis cativantes. Aquele senso de humor idiota e desmedido que ele tinha. A maneira como o olhava, como se ele fosse a única pessoa na Terra. Amava a maneira como ele revirava seus cabelos, como o abraçava enquanto estavam sozinhos, como o beijava de forma desesperada. Como se encaixava contra seu peito como se fosse um gatinho pedindo carinho...

         Passou as mãos pelo próprio cabelo, nervoso. Tinha que esquecer isso ou ficaria maluco.

         __ Harry? – Evelyn estava parada diante dele – tudo bem?

         __ Perfeito. – ele a olhou com atenção – você está linda.

         __ Você é sempre lindo! – ela retribuiu o elogio.

         __ Então vamos ser “lindos” na companhia dos nossos amigos e aproveitar a noite. – disse lhe oferecendo o braço, como um cavalheiro.

         O show era em um pequeno clube no centro da cidade e estava lotado. Harry e Evelyn dançaram a noite toda, totalmente esquecidos do mundo lá fora e das horas que passavam rápidas...

         Era alta madrugada quando se deram conta que as pessoas estavam deixando o lugar. Já estavam um pouco alterados pelos drinks quando Harry a puxou para uma dança lenta, prendendo-a em seus braços de maneira possessiva.

         Talvez fosse pela bebida ou talvez porque havia certa tensão sexual entre os dois, mas os  dois não conseguiam tirar  os olhos um do outro. Tinha sido assim a noite toda.

         Mesmo quando estavam separados e conversando com os amigos, o olhar de Harry a procurava pelo clube e sempre a encontrava olhando de volta.

         __ Eu já disse que você está linda essa noite? – ele sussurrou em seu ouvido enquanto dançavam.

         __ Sim, você disse. – ela sorriu, embaraçada.

         __ E você sabia que, nesse momento, eu quero muito beijar você?

         __ Harry...

         O rapaz não esperou que ela dissesse mais nada e a beijou. Começou suavemente, aproveitando a maciez dos lábios dela. Dando-lhe a chance de se esquivar, caso quisesse.

         Evelyn não se afastou. Pelo contrário, envolveu sua nuca com ambas as mãos e entregou-se ao beijo, que tornou-se mais intenso. Foi um beijo longo e sedutor. Os corpos muito colados provocando murmúrios abafados em ambos.

         __ O que acha de sairmos daqui? – ele disse malicioso, ainda com os lábios colados nos dela.

         __ O que está pretendendo Harry? – ela estava hesitante.

         __ Um pouco de privacidade apenas.

         __ E para que exatamente precisa de privacidade?

         __ Quer mesmo que eu responda isso? – ele a desafiou.

         Evelyn se perdeu assim que viu o desejo claro nos olhos dele. Harry não estava brincando. E ela não conseguiria resistir.

         __ Eu espero no carro, enquanto você paga a conta. – rendeu-se.

         Harry sorriu de uma maneira que a deixou tonta. Aquele sorriso era golpe baixo. Quantas mulheres no mundo haviam se rendido aquelas covinhas naquele rosto de anjo? Não, não queria pensar nisso. Não queria pensar quais os motivos de Harry e não queria pensar no que aconteceria no dia seguinte. Iria seguir a maré e ver aonde isso chegaria.

         Saiu dos braços dele e foi para o estacionamento. Menos de um minuto depois lá estava Harry sentado ao seu lado e a olhava de uma maneira que a fez corar. Ele dirigiu até a casa dela em silêncio e hesitou quando desligou o carro.

         __ Seus pais... – ele a olhou embaraçado-  talvez devêssemos ir para outro lugar.

         __  Não se preocupe com eles.

         Harry a seguiu para dentro da casa, sem tirar os braços do corpo dela. Enquanto subiam as escadas, ele a encurralou no corredor e a beijou com paixão, deixando a garota sem folego.

         __ Aqui eu sou como  um vampiro – ele brincou quando estavam diante do quarto dela – só entro se você me convidar.

         __ Vai me morder? – Evelyn entrou na brincadeira.

         __ Se você quiser... – ele disse malicioso.

         __ O que deu em você hoje? – ela riu, sentindo as faces afogueadas.

         __ Acho que fiquei no clima...você se vestiu para matar hoje Eve! – ele recostou-se no batente da porta, de maneira sedutora – mas como eu disse, só entro se der sua permissão. É sua ultima chance de se livrar de mim essa noite.

         Evelyn sorriu e o puxou para dentro do quarto.

         Beijaram-se e acabaram na cama, enquanto Harry a despia lentamente, sem para de beijá-la. Era uma sensação maravilhosa sentir suas peles se tocando agora que ambos estavam livres das roupas.

         A visão do corpo despido de Harry a excitou. Ele estava bem mais musculoso do que havia notado e aquelas tatoos pelo corpo eram sexy.

         O rapaz a beijou no pescoço e foi deslizando  a língua até alcançar seus seios. A garota gemeu quando sentiu o hálito quente da boca dele contra seu mamilo e quando ele deslizou a língua devagar, ela arqueou o corpo, querendo mais.

         Harry mordiscou seus seios de leve e ficou observando a expressão de prazer no rosto dela. Evelyn tinha seios perfeitos! Continuou explorando aquele corpo sensual e se deliciando com cada gemido dela diante de seus avanços...

         Alojou-se entre suas pernas e a beijou em seu ponto mais sensível, fazendo-a estremecer de desejo.

         __ Harry...não faça isso... – gemeu perdida.

         __ Quer que eu pare? – ele a olhou, seus olhos de um verde profundo.

         __ Sou toda sua, meu doce vampiro. – ela suspirou.

         Harry sorriu e voltou a deslizar a língua entre as pernas dela, arrancando gemidos roucos que ela tentava abafar com o travesseiro. Os movimentos feitos por ele, enquanto a chupava nos locais certos , a tiraram de orbita e arqueou as costas quando não pode mais se conter e sentiu seu corpo todo estremecer como se tivesse sofrido uma descarga elétrica. Não existia palavras suficientes para descrever aquelas sensações.

         __ Você é uma delicia... – ele murmurou antes de beijá-la.

         __ Não diga isso... – ela ficou embaraçada, tapando o rosto.

         Harry a beijou longamente e ela começou a explorar mais o corpo dele. Adorava aquela boca, a maciez da pele dele, seu cheiro tão característico. Beijou a curva de seu pescoço e foi deslizando a língua pelo peito, passou a língua em seu mamilo e ele arfou. Continuou descendo pelo seu abdômen, perfeitamente reto e o sentiu gemer quando seus lábios alcançaram seu membro.

         Era excitante ver a maneira como ele se contorcia quando ela colocou todo seu volume na boca e começou a sugar. As mãos de Harry se agarravam as beiradas da cama e ele mordia os lábios, claramente se esforçando para não gritar.

         Quando percebeu que ele estava prestes a se descontrolar, ela se colocou sobre o corpo dele e se encaixaram perfeitamente. Ambos gemeram quando seus corpos se fundiram e os movimentos seguiram seu ritmo, levando os dois ao limite de seu desejo.

         Harry a beijou enquanto a possuía com paixão. Segurava seu quadril para ditar o ritmo e os dois chegaram ao orgasmo juntos e ficaram um nos braços do outro por algum tempo, suados, exaustos, mas saciados.

         Momentos depois, ela rolou para o lado e ficou olhando fixamente pra ele, encantada. Harry era absolutamente lindo.

        Ela afastou as mechas do cabelo dele que insistia em cair nos seus olhos. Os longos cabelos estavam na verdade molhados de suor e seus olhos tinham um brilho encantador. Ele sorria e seu rosto estava relaxado.

__ Não me diga que se arrependeu. – ele a puxou para seus braços.

__ Nunca! – ela sorriu – sei que estou em um lugar privilegiado agora.

__ Você está em um lugar que é apenas seu – ele disse carinhoso – e eu estou no lugar ao qual pertenço.

Evelyn o beijou e se aconchegou mais contra seu corpo. Se amaram novamente antes de caírem no sono e dormirem com seus corpos enroscados.

O que aconteceria no dia seguinte realmente não lhe importava naquele momento porque a ultima lembrança que teria daquela noite, era o sorriso de Harry antes de dormir.

 

 

Luzes apagadas e elas deveriam estar acesas

Até mesmo as estrelas no céu estão erradas

Dias pequenos onde as noites são longas

Quando eu penso nas coisas que eu fiz

Não importa o quão longe eu esteja

Eu sempre estarei por perto, oh

Não esqueça onde você pertence,

sua casa!


Notas Finais


Eu sei que alguns vão dizer "eca, smut hetero!". Lamento informar que vai ter muito smut hetero por aqui. E não odeiem a Evelyn por isso. Ela realmente não tem culpa pelas trapalhadas entre Louis e Harry. E ela realmente gosta do Hazz, que foi sua paixão de adolescência.
Mas não se desesperem porque Larry também não vai ser apenas drama e sofrimento e vai rolar alguns capitulos pecaminosos desses dois indecisos.
Só peço que não desistam antes de ver o desenrolar da coisa toda.
E fiquem a vontade para comentar porque isso deixa essa autora dando pulos de alegria.
Love always


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...