História Timidez, pra quê te quero? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chen, D.O
Tags Baeksoo, Exo, Namoradinhos, Soobaek
Visualizações 190
Palavras 2.067
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLAR
o plot é da milena (@isthismi) muito obrigada, adorei escrevei esse plot fofo e gostosinho
boa leitura e desculpa qualquer erro! 💕💕

Capítulo 1 - Capítulo único;


A tensão e desconforto era palpável, Kyungsoo preferia focar  nos guardanapos temáticos do que em Baekhyun. Este que dava olhadas discretas ao primo de Jongdae e depois jogava o olhar para a porta da lanchonete. Jongdae estava atrasado, e não era a primeira vez que falhava com os amigos, desde que começou a se enrabichar com Minseok estava abandonando os amigos a própria sorte.


O trio de amigos só se mantinha unido por Jongdae, que já era amigo de Baekhyun a longos anos e primo de Kyungsoo. Não é como se o melhor amigo e primo do Kim se odiassem, só existiam alguns problemas de comunicação. Quando Jongdae estava por perto riam e conversavam normalmente mas bastava o loirinho se afastar para que toda a afinidade se findasse de vez, ficando um clima no mínimo estranho.

Isso acontecia por Kyungsoo ser a timidez em pessoa, daquelas que não conseguem sequer dizer um “bom dia” . Só era amigo de Jongdae, seu primo, e colega de classe de Baekhyun, não tinha certeza se poderia chamá-lo de amigo. Kyungsoo é o mais novo do trio e Baekhyun o mais velho(pode-se dizer que o Byun vem encontrando dificuldades em se formar), Jongdae  sofreu um acidente que o fez perder um ano letivo, assim o trio da pesada se encontrava na mesma série.


Baekhyun era o sucesso do colégio, com os fios escuros um pouco mais longos pintados com mechas vermelhas chamativas. Quando desejava fazer um charme a mais usava um piercing falso no lábio inferior, arrancando risadas dos amigos. Byun era daqueles que foi abençoado com a falta de vergonha, falava de tudo e com todos, a simpatia com certeza usa jeans e ouve reggae.


Jongdae era sorridente e amigo, não tinha problemas em se comunicar ou fazer algo. Era o MC do show de talentos a dois anos, e não havia alguém no colégio que não o conheça ou já ouvira o nome “Chen”.


Kyungsoo era considerado “ o patinho feio” do grupo, não pela sua aparência mas sim por não se destacar em nada; notas medianas, bom comportamento e calado. Poderiam até lhe dar um “bom dia” que apenas acenaria com a cabeça. Não conseguia responder, a timidez e insegurança eram maiores, o Do era introvertido ao extremo e todos sabiam disso, só o viam sorrir e falar uma vez ou outra e só quando o trio estava reunido.


— Vamos embora, Soo. O Jongdae furou, mais uma vez. - Sentenciou decepcionado enquanto pagava os milkshakes consumidos.


Kyungsoo se levantou, desenrolou as notas jogadas em cima da mesa enquanto tirava algumas de seu bolso traseiro, depois devolveu algumas a Baekhyun. Não gostava que os outros gastassem dinheiro consigo, e se sentia ainda mais tímido. Baekhyun continuou incrédulo, cada dia Kyungsoo o surpreendia mais e o tum-tum do seu peito quando o mais novo sorria não era um bom sinal.


Caminhavam em direção à praça, mesmo não sabendo o que fariam por lá. Estavam em um silêncio crucial quando Kyungsoo percebeu o mais velho sério, sem nenhum riso ou piadinha.


— Não fica triste, Baekhyun-hyung. Você deve saber que o Dae não fez por mal, ele se apaixonou novamente. - Kyungsoo e sua mania de formalidade irritando a Baekhyun.



— Eu sei que não, mas poxa! Hoje era o nosso dia, a gente sempre se encontra nas sextas. E pode me chamar de Baek! Somos amigos. - Baekhyun chutou uma pedrinha no caminho para ver se descontava um pouco da frustração que sentia.


— Como assim “amigos”? Eu não fui informado disso, senhor Byun Baekhyun  - Kyungsoo chutou a pedrinha novamente, segurava o riso mas por dentro sentia um turbilhão de sentimentos.


— Ué, amigos! Como eu e o Jongdae. Você não me considera um amigo depois desse tempo todo? - Chutou a pedrinha novamente a jogando mais longe.



Kyungsoo ficou sem palavras, gostava de Baekhyun mas não sabia se realmente era como um amigo. Repassou seus momentos juntos e percebeu que pelo seu conceito de amizade eram sim amigos. Não queria dar o braço a torcer, por pura vergonha, adiantou alguns passos chutando a pedra para longe de vez.


— Sabe, Soo, se caso ainda não me considerar um amigo daqueles do peito, podemos nos tornar o que acha? - Baekhyun oferecia seu melhor sorriso a Kyungsoo enquanto levantava as sobrancelhas , tentando o convencer.


— Pode ser, Baek. - Kyungsoo sorriu sem mostrar os dentes ao contrário do mais velho que sorria felicíssimo.  Kyung sentia se leve, não por Baekhyun mas por si próprio, conseguiu vencer mais uma barreira interna.



— Amanhã passo na sua casa, às 3 em ponto. - Se despediu Baekhyun dando um abraço sem jeito em Kyungsoo, que ficou sem saber o que fazer com a ação repentina.


No meio da calçada, com as bochechas gordinhas quentes, Kyungsoo processava o ocorrido parecia até que teria um encontro. Deus o livra mas quem dera também.


                     ***

Kyungsoo estava sentado no sofá se distraindo com algum jogo que Jongin, seu outro primo, havia o viciado. A campainha soou, o fazendo sentir vontade de correr para debaixo das saias de sua mãe.


Infelizmente, era honesto demais para conseguir fingir uma doença de última hora, decidiu não adiar, acabou se levantando e caminhando tenso até a porta.


Tentou sorrir para Baekhyun, porém pareceu mais uma careta assustada. Perguntou se o mais velho desejava entrar, mas recebeu uma resposta negativa e um puxão na mão.


— Vamos, Kyung, não é como se eu fosse te comer no jantar. - “Mas também não é como se eu não quisesse” Completou mentalmente.


Kyungsoo riu nervoso e deixou ser levado por Baekhyun. Caminhavam lado a lado, ainda com a mão de Baekhyun, entrelaçando a de Kyungsoo. Bizarro. Depois de dez minutos, pararam em frente a casa do Byun, Soo se limitou a revirar os olhos.



— Por que não me disse que íamos vir pra` sua casa? Eu sei o caminho. - Tomou coragem para questionar.


— Mas aí não teria a mesma emoção.- Baekhyun e suas ideias sem pé nem cabeça.


Entraram e Kyungsoo se surpreendeu quando foram para a parte de trás da casa; havia ali um fliperama  que só se viam em filmes clássicos, e Kyungsoo como um grande fã dos mesmos faltou chorar com a visão.


— Onde conseguiu isso, Byun Baekhyun?


— Calma aí, Soo. Vovô Byun era dono de fliperama, depois que fecharam a muitos anos, as tralhas ficam aqui. - Explicou, mexendo em algum jogo já familiarizado.


— Tralhas não! Relíquias, meu caro. - Kyungsoo corrigiu enquanto achava o jogo mais icônico de todo o mundo.


Foi a melhor tarde da vida de Kyungsoo, nunca se sentira tão bem em um ambiente, nunca esperava que massacraria Baekhyun em todos os jogos possíveis. Queria ver o Byun ter moral pra se gabar no League of Legends, sendo que nem em jogos de máquinas era bom.


— Aceita que eu sou o melhor, Baekhyun! - Kyungsoo provocava mais uma vez ao mais velho, enquanto caminhavam de volta a sua casa.


Baekhyun se limitava a sorrir olhando o sorriso de Kyungsoo, estava encantado. Soo não fazia nada, mas a cada dia o tum-tum  do coração de Baek aumentava.


                    ***


Se dissessem a Do Kyungsoo e Byun Baekhyun que algumas semanas depois eles estariam como melhores amigos,eles ririam até chorar litros. Agora choravam mas não era de rir, era a semana de Kyungsoo, ou seja a que veriam filmes na casa de Kyungsoo e o maldito teve a brilhante ideia de assistirem a Titanic,  e agora estavam dois marmanjos com os olhos molhados enquanto se acabavam em pipoca e doce.


Já tinham uma grande intimidade porém Kyungsoo, às vezes. ainda se sentia tímido ou envergonhado perto de Baekhyun. Principalmente quando o mesmo fazia piadas bobas ou de duplo sentido, até porque Baekhyun ainda é Baekhyun.


Não abandonaram Jongdae, o loirinho só estava ocupado demais com o namoro a três (se enfiou num poliamor com Minseok e Junmyeon) para dar atenção aos amigos que aprenderam a conviver e mantinham uma amizade gostosa.


— Vem ser a Rose do meu Jack, Soo. - Baekhyun não perde a oportunidade nunca.


— Vê se me erra, Baek. - Engoliu mais pipoca e continuou - Só aceito se você morrer no final como no filme.   

— Mas não vai ter graça, esse filme é sem graça por isso mesmo; o cara morre no final.


— Não vou gastar saliva discutindo com você.


— Mas em um beijo?


— O quê Baekhyun?


— Me dá um beijinho? - Baekhyun já se levantava, desvencilhando do edredom pesado indo para o lado da cama de Kyungsoo. O mais velho mantinha o bico nos lábios, se aproximando cada vez mais do amigo, que o olhava desacreditado. Quando Baekhyun alcançou Soo, levou um chute o fazendo perder o equilíbrio e cair novamente na cama. Kyung ria  e enxugava as lágrimas dos cantos dos olhos, enquanto cutucava o mais velho que fingia de morto ao seu lado.



— Para de drama, Baek! Você quer o que?  Um beijo? - Kyungsoo saiu debaixo do edredom e foi em direção a Baekhyun que ainda estava estatelado no colchão.


Colocou o corpo sobre o de Baekhyun, apoiando os braços perto da cabeça do mesmo e os joelhos no colchão. Seu rosto estava quente como o inferno, decidiu começar agora terminaria.


Abaixou a cabeça até os fios de cabelo mais longos fazerem cócegas em Baekhyun e o mesmo soltar uma risadinha, abrindo os olhos. Kyungsoo teve a sensação de que a temperatura de seu rosto aumentou no mínimo mais cinquenta graus.


Os olhos de Kyungsoo focaram nos de Baekhyun tentando de alguma forma escapar da situação super ultra mega constrangedora em que estavam  mas ao invés disso Baekhyun só piorou tudo deixando seus olhos transmitirem um sentimento tão bom, além de umedecer os lábios com a língua sapeca, como em um espelho Kyungsoo fez o mesmo.


Baekhyun levantou um pouco a cabeça, o suficiente para seus lábios alcançarem os grossos de Kyungsoo. Quando os lábios se juntaram Baek sentiu estar no paraíso, e o tum-tum chato estava lá no seu peito cada vez mais forte.


Kyungsoo sentiu o rosto ainda mais quente com Baekhyun enfiando a língua em sua boca, mas estava tudo tão bom para que parassem. Com um movimento brusco e rápido Baekhyun logo estava por cima, tomando fôlego e voltando a beijar Kyungsoo que puxou seus cabelos ao sentir o caminho que sua boca  fazia até alcançar o pescoço onde marcou um pouco.


Os cabelos já não eram os mesmos, muito menos os lábios que estavam avermelhados seja por mordidas ou por beijos cada vez mais afoitos. Baekhyun apertava onde podia e aproveitava o quanto podia do corpo abaixo de si. Kyungsoo não ficava para trás apalpava com gosto a bunda de Baekhyun.


A temperatura do quarto já não era mais a mesma a muito tempo com o roçar dos corpos cada vez mais intenso, fazendo com que Baekhyun enfie as mãos espertas dentro das calça de Kyungsoo, que gemeu satisfeito com o apertão deixado por Baekhyun. O mais velho retirou suas calças enquanto observava Kyungsoo fazer o mesmo, estava adorando ver o amigo daquela forma,sem muita vergonha.


Kyungsoo parecia sem saber o que fazer, então Baekhyun decidiu tomar a iniciativa, deu um selo nos lábios gordinhos enquanto agarrava as duas ereções, tocando ambas as glandes fazendo com que soltasse suspiros deleitosos, começando a masturba-las em conjunto. Sorriu satisfeito ao ouvir os gemidos do mais novo cada vez mais altos, estavam quase lá. Baekhyun partiu para o pescoço de Kyungsoo, deixando alguns beijos e sussurros ao pé do ouvido. Sentiu Kyungsoo agarrar o lençol e se deliciar com o orgasmo, murmurando o nome de Baekhyun com gemidos já mais controlados. Baek não demorou mais que um minuto a gozar também, melecando ainda mais sua mão e o lençol.


Já mais calmos e talvez menos envergonhado  deitados lado a lado, trocavam olhares cúmplices e sorriam observando como os dois pareciam bestas. Baekhyun sentiu o tum-tum do seu coração ir cada vez mais alto até explodir numa sensação gostosa dentro do peito, Do Kyungsoo estava mexendo demais consigo. Kyung se sentia envergonhado mas com uma sensação boa dentro do peito,  Byun Baekhyun mexe muito com seu coraçãozinho. Estava feliz pois  havia vencido mais uma barreira própria.


Se serem amigos for incluir isso que acabaram de fazer, Kyungsoo gostaria de ser amigo de Baekhyun pro resto de sua vida. Timidez, pra quê te quero mesmo?





Notas Finais


obrigada <333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...