História Tinha que ser você - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Juliana Paiva
Tags A Força Do Querer, Carol Duarte, Ivan, Juliana Paiva, Novela, Romance, Simone, Transexual
Visualizações 45
Palavras 1.426
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem e uma boa leitura pra todos.

Capítulo 2 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction Tinha que ser você - Capítulo 2 - Capítulo 2

POV Simone

Assim que terminei de me vestir ouvir o meu celular toca rapidamente corri até ele tive esperanças de ser Ivan, mas para meu desânimo era o Te avisando que estava me esperando lá embaixo, fiquei fitando o meu celular por alguns segundos na minha mão pensando onde o Ivan deve estar neste exato momento, será que ele estava em casa ou com o Cláudio fazendo sabe-se lá o que, respiro fundo e resolvo ligar para a casa da tia Joyce e Zu atende, pergunto pelo o Ivan e ela me dar a mesma desculpa de sempre que ele saiu com Cláudio, mas ela não sabe pra onde ou quando volta.

-Droga! — Falo em voz alta.

Por que será que tenho a estranha sensação de que Zu estar me escondendo alguma coisa, quem sabe a Dita não sabe de alguma coisa as vivem conversando quem sabe Zu deixou alguma coisa escapar sobre Ivan.

Vou até a cozinha e vejo que Dita estar falando não sei com quem no telefone assim que vê desliga, então resolvo perguntar logo de cara.

-Dita o que você sabe sobre o Ivan?

-Como assim dona Simone? —Ela vai até o fogão fingindo olhar alguma panela sem me encarar.

-Dita eu não sou idiota sei que você e Zu vivem de conversinhas pra cima e pra baixo então por favor me diz o que você sabe.

-Você sabe que ele não quer falar comigo e estar me evitando já faz dois meses isso, e estou muito preocupada com ele, por favor.

-Bom eu sei, e não entendo por que seu Ivan este agindo assim com você Simone, ele nunca foi disso nem quando era você sabe Ivana.

-Por isso estou preocupada isso significa que ele estar me escondendo algo muito grave e eu preciso saber o que é.

-Bom dona Simone que isso não sai daqui.

-Tudo bem eu não conto para ninguém você tem a minha palavra.

-Tem a minha palavra agora anda fala.

-Bom tudo que Zu me disse era que também estava achando estranho o comportamento do menino Ivan com a senhorita, e não sabe porque ele estar agindo assim, e disse que ele este muito estranho.

-Estranho como?

-Não sei só que estava muito estranho.

-Era com ela com que você estava conversando agora?

-Sim, senhorita Simone.

-E sobre o que vocês estavam conversando ainda pouco?

-Bom ela tava falando que não aguentava mais dar sempre a mesma desculpa para senhorita.

-Ela por acaso comentou se o Ivan estava lá?

-Ah acho senhorita Simone.

-Tem certeza Dita? —Pergunto estreitando os meus olhos.

-Tenho sim senhorita Simone.

-Humm já basta tudo que você escondeu da minha mãe e deu no que deu ou por acaso não se lembra.

-Eu me arrependi eu sei que deveria te dito o que sabia, mas eu não queria prejudicará a dona Silvana.

-Eu sei vamos deixar pra lá essa historia já passou, o importante é que ela estar bem agora por falar nela, onde ela estar que ainda não chegou?

-Ah ela ligou avisando que não viria almoçar estar com uma cliente.

-Eu também não vou almoçar, vou pra praia com o Te. —E falando nele o meu celular começar a tocar dentro da minha bolsa imediatamente atendo dizendo que já estou descendo.

-Se você soube de alguma coisa não hesite em me ligar.

-Pode deixar dona Simone.

-Tchau Dita.

Falo saindo de casa encontrando com o Te que tenta me beijar na boca quando adentro carro, mas desviu o meu rosto fazendo ele beijar a minha bochecha, meio sem graça ele.

-Então vamos.

-Sim vamos. —Falo colocando o meu óculos escuro tentando me concentrar e não pensar no Ivan.

Ficamos na praia de Copacabana estava tentando evitar o Te a todo custo enquanto ele tentava me beijar novamente quando vejo de repente Cláudio passar com um pessoal e tento vê se Ivan estar com eles, mas não vejo ele por impulso me levanto imediatamente e vou na direção de Cláudio deixando Te sem falar pra onde eu ía.

-Cláudio. —Chamo ele que para imediatamente de andar e se vira pra mim.

-Oi Simone. —Ele fala com certo aborrecimento em sua voz.

-Oi Cláudio. —Ficamos em silêncio nos fitando por longos segundos até que ele fala.

-Então Simone?

-Cadê o Ivan ele não tá com você não?

-Bom Simone ele deve estar na casa dele ou sei lá porque?

-É que...

Eu explico pra ele o que o Ivan tenho feito comigo esses dois meses enquanto ele me escuta impaciente.

-Simone eu não sei porque ele tá agindo assim com você e sinceramente não quero saber, porque não fala com ele.

-Bom não sei se você estava prestando a atenção no que eu acabei de contar, mas ele não quer falar comigo estar me evitando.

-Olha Simone eu não posso te ajudar com isso tá, eu já vou.

-Espera Cláudio pensei que vocês tivessem voltando?

-Tá Simone a gente havia voltado, mas Ivan terminou comigo um mês depois sem me dar nenhuma explicação e dei um tempo e tentei conversar com ele pra saber o que eu havia feito de errado, mas ele não disse nada.

-E sinceramente essa história entre a gente já deu o que tinha que dar, por isso eu não quero mais saber dele, se você quer saber porque ele ta te tratando assim aconselho que deve procurar ele ou sei lá.

-Como se isso fosse fácil.

-É Simone eu preciso ir os meus amigos estão me esperando tá.

-Espera mais uma pergunta, quando foi a última vez que você viu ele?

-Hoje de manhã.

-Então quer dizer que ele estar em casa e Zu mentiu pra mim.

-Bom eu não sei, mas boa sorte tá eu já vou indo.

-Tá obrigada.

-Tchau Simone e foi bom te vê.

-Também foi bom tê ver Cláudio tchau.

Neste momento vou até onde Te tá sentando e pego as minhas coisas e falo pra ele que já estou indo, ele insiste para eu ficar, mas como não quero ele insiste para me levar para onde eu quero ir, mas não aceito a sua carona ele para de insitir sabendo que não vai me convencer do contrário, eu pego o primeiro táxi que vi, e vou direto para casa da tia Joyce tirar essa história a limpo.

Assim que saio do carro pergunto para o porteiro se a minha tia Joyce estava, ele me disse que ela saiu, então pergunto do Ivan e ele diz não que viu o Ivan sair hoje de casa não, agradeço a ele e subo, mas peço pra ele não avisar que estou subindo invento uma desculpa e digo que vou fazer uma surpresa para o meu primo, como ele sabe que sou da família, me deixou subir sem me questionar.

Estava me sentindo um pouco nervosa pelo qual motivo eu não sei, talvez pelo fato de não tê-lo visto por tanto tempo, vai vê é isso, só pode ser isso não tem outro motivo para eu me senti tão nervosa assim.

Quando eu ia tocar a campainha Zu abre a porta ela estava saindo e se assusta quando me e diz.

-Aí que susto menina Simone!

-Me desculpe Zu pelo susto.

-Tudo bem minha querida.

-Mas que estranho o porteiro não avisou que a senhorita estava subindo.

-Bom é por que eu pedir para ele não avisar e você sabe muito bem o porque.

-É eu sei senhorita.

-O Ivan estar aí não estar?

-Ah senhorita Simone.

-Zu não precisa, mas mentir pra mim eu sei que ele estar.

-Sim ele estar.

-Ótimo é hoje que eu tiro essa história a limpo e não tem como ele se esconder de mim.

-Tudo bwm a senhorita tem todo o direito de querer saber, então eu vou ao mercado a dona Joyce não estar, nem o senhor Eugênio e o Ruy.

-Então quer dizer que só estar o Ivan? —Ao perguntar isso por um instante pensei que Ivan estivesse com alguma garota sei lá, ao falar isso sinto o meu estômago embrulhar só de pensar neste possibilidade afinal de contas ele dispensou o Cláudio né.

-Sim dona Simone claro que o menino Ivan estar sozinho.

-Ótimo assim será melhor.

-Sim, mas seja paciente com ele dona Simone.

-Isso vai depender dele, mas prometo que vou tentar.

-Tudo bem já vou indo então.

Zu sai de casa e vou direto para o quarto de Ivan e antes de abri a porta sinto o meu coração bater tão acelerado sem motivo, respiro fundo e abro a porta me deparando com uma cena que eu não esperava prendo a respiração quando vejo Ivan de costas para mim só de cueca box enchugando os cabelos com uma toalha branca distraidamente, e vejo que seu corpo mesmo de costas estava bastante diferente fico estática analisando dos pés a cabeça e sinto algo estranho no meu corpo que se arrepiar por inteiro, fico tanto tempo analisando a sua fisionomia que me assunto quando ele se vira de repente e fala o meu nome.

-Simone!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...