História Tipo Assim - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Felipe Z. "Felps", Isis Vasconcellos (Heeyisis), Kéfera Buchmann, Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Lukas Marques & Daniel Mologni (Você Sabia?), Patricia "Pathy" dos Reis, Rafael "CellBit" Lange
Personagens Alan Ferreira, Daniel Mologni, Felps, Isis Vasconcellos, Júlio Cocielo, Kéfera Buchmann, Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Lukas Marques, Patricia "Pathy" dos Reis, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange
Tags Tipo Assim
Visualizações 22
Palavras 1.585
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente...VOLTE [email protected]! SENTIRAM MINHA FALTA?! SEI QUE SIM.

DEIXA EU ME EXPLICAR.

Bom...Eu tô no Brasil uhulll. Eu voltei pra cá e vou ficar aqui por uns tempos né k. Por isso que eu não pude postar muito pois estava ocupada demais com uns negócios aí.

Mas o bom é que eu volte né?

FIQUEM COM ESSE CAPÍTULO SUPER DEPRESSIVO E UM POUCO ROMÂNTICO E TEM UM TOQUINHO DE SUSPENDE KKK

ATÉ! ^ & ^

Capítulo 37 - Mas que porra...?


Fanfic / Fanfiction Tipo Assim - Capítulo 37 - Mas que porra...?

Coloquei a lâmina perto do meu pulso e fiz um pequeno corte. Não doeu nada. Fiz outro corte agora um pouco mais fundo. O sangue já pingava na pia branca. Algumas lágrimas se acumularam nos meus olhos e a primeira caiu pingando em cima de um pingo de sangue. Coloquei a lâmina de lado e lavei meus pulsos. Ardeu? Sim. Doeu? Nem um pouco.

Enrolei um esparadrapo no pulso estancando o sangue. Sai do banheiro e não havia mais ninguém lá, sai do quarto e encontrei Harry, não queria vê-lo, não queria ver ninguém.

- O que aconteceu?! - ele olhou para meus pulsos. Sai correndo ara algum canto afastado de todos. Subí algumas escadas até chegar no terraço, estava ventando e meus cabelos já cinzas flutuavam batendo contra meu rosto. Eu não vou me matar, se é isso que está pensando. Me sentei no chão deixando meus pés flutuarem, era bem alto.

Senti um pingo de chava cair em minha cabeça e depois vários. Não liguei, sempre gostei da chuva. Peguei meu celular em meu bolso, ele estava tocando, as gotas de agua logo tocaram na tela. Era Rafael.

- Alô. - digo com a voz falhada e trêmula.

- Oi, Alice, tá tudo bem? - perguntou preocupado.

- C-Claro, por que não estaria? - minha voz vacilou.

- Me conta o que aconteceu. - insistiu.

- Eu não quero ficar aqui Rafael, eu quero ficará aí, com você, Anne, Sofia e minha...Irmã. - digo chorando.

- Oh linda, fica calma, você está para seu bem. Pensa nisso. Quando você voltar a gente pode até ser casar e ter dois filhos e viver em uma casa qualquer. - disse fazendo eu soltar uma risada. Quase deu para sentir ele abrindo um largo sorriso.

- Obrigada Rafa. Você é a melhor pessoa, Te amo. - digo. Vejo como essas palavras soaram com facilidade e leveza.

- Te amo. - disse.

- Eu vou ter que ir; está chovendo pra caralho aqui. - digo rindo e me levantando do chão.

- Tudo bem, tchau.

Desliguei e sai correndo pelo terraço mas parei no meio dele. A água da chuva me enxarcava sem pudor algum, meu cabelos estavam colados em minha testa. Fechei os olhos e levantei a cabeça deixando a água molhar meu rosto.

Eu estava bem, vai ficar tudo bem.

...

Eu estava agora em meu quarto junto com Chloe e Valency. Cada uma em sua própria cama mexendo no celular, eu estava escutando música. Elas não perguntaram sobre meus cortes, ainda bem. Não queria explicar nada. Oliviah passou o resto do dia todo sem falar comigo. Claro! Eu a chamei de doente! Talvez eu também seja doente...Não sei.

Amanhã seria a tal da "Atividade Emocional", confesso que estou bem ansiosa para isso.

- Hey, Alice. - Chloe me chamou. -, você é lésbica. - ela ainda estava focada na tela do aparelho em sua frente.

- An...Não? - digo insegura.

- Esse vídeo diz ao contrário. - me mostrou o vídeo do Tipo assim, era o vídeo que eu beija Anne.

- Ah, esse vídeo. - revirei os olhos - Digamos então que eu sou Bisexual, algum preconceito.

- Não. - elas responderam em uníssono. Revirei os olhos e neguei com a cabeça. Prestei mais atenção em minha conversa com Sofia.

Sofia - 20h34

Aí é legal? Eles te tratam bem? Te dão comida? Tem garotas bonitos? Tem garotas bonitas? Como você tá?

Meu Deus do céu! Que garota preocupada.

Alice Monroe - 20h35

Calma garota! Aqui é legal sim, me dão comida! Tem garotas bonitos rs, meninas também. Eu tô bem caralho!

Você já me perguntou isso umas cinquenta vezes!

Sofia - 20h36

Kkkkk, desculpa. E que eu me preocupo com você, eu te amo aliali.

Ri com meu novo apelido. Sofia era craque nessas coisas.

Alice Monroe - 20h37

Te amo An.

Conversamos até umas 00h00, ela me disse que não foi para minha casa em Los Angeles pois soube que eu seria "internada" aqui.

Me ajeito na cama. Valency e Chloe já estavam dormindo. Não pude ver mais nada depôs por que o sono havia me consumido.

...

- Bom dia! - um Chloe gritou. Levantei minha cabeça bruscamente batendo também bruscamente na dela nos causando dor. - Aí...

- Aí digo eu, o que caralhos você estava fazendo de frente de meu rosto? - digo sentando na cama passando a mão na festa que nem ela.

- Te acordando, já são 9h e o teste emocional começa as 11h. - fiz cara de tédio e ela me olhou arqueando uma sobrancelha. - Anda logo gata! Você tem que tomar café ainda.

Me apressou, me dá votei da cama e foi ao banheiro, tomei banho e escovei os dentes,troquei os esparadrapos do meu pulso, saindo só de toalha do banheiro. Coloquei um vestidinho florido que vinha até a metade das minhas coxas e  meu All Star azul. Arrumei o cabelo.

- Tô pronta. - digo. Chloe que estava mexendo no celular se levantou da cama. Ela vestia um short jeans com uma blusa azul escrita "Dreams" e um tênis que eu não sei o nome. Saímos do quarto, minha barriga já estava roncando e para minha infelicidade aquela mesma garota loira parou na minha frente. Isso já está parecendo uma escola que tem a vilã que é ela é a garota que é perturbada pela vilã que dou eu.

- Olha que está vestida de mendiga. - disse com seu tom arrogante de sempre.

- Olha quem está cuidando da vida dos outros. - rebati passando por ela dando um empurrão com o ombro, Chloe veio ao meu lado.

- Corajosa. - sussurrou. Dei de ombros. Chegando no "refeitório" me alimentei bem e depois todos foram para o salão onde tinha um palco pequeno. Aline está lá em cima batendo no microfone desesperadamente.

- Esse merda não pega?! Que calúnia. - disse sem perceber que o microfone já estava ligado. Todos começaram a rir. - Okay, okay. Vamos começar a atividade. Eu irei explicar pois, mesmo tendo pessoas que já sabem, tem também pessoas novas que não sabem.

Disse com tédio e quase todas bufaram.

- Vamos lá! Atividade emocional é da seguinte maneira: Vocês vão ara o terceiro andar e lá terá varia salas. E lá terão seus monitores, eles irão fazer a atividade com vocês, eles colocaram um negócio em sua cabeça e vocês vão ter que tomar um líquido que farão vocês se aprofundarem e suas mentes, e seus monitores vão poder ver tudo o que você passou desde a data que você nasceu até aqui hoje, assim podemos ver seus sentimentos e ver como eles foram desenbaralhados para que possamos embaralha-los do novo. Essa atividade ocorrerá uma vez por semana.

Ela terminou de explicar. Fiquei com medo da parte que eles verão tudo, tudo mesmo. Fomos todas para o terceiro andar e lá retamente tinha um montão de salas. Entrei na minha e lá era extremamente frio. Tinha uma garota de cabelos negros e olhos da mesma cor.

- Eu sou Lorena, pode se sentar ai. - apontou com a cabeça para a cadeira. Sentei na mesma me relaxando por completa. - Isso mesmo! Relaxe.

Senti algo gelado encostar em minhas têmporas.

 - Beba. - ela me entregou um líquido azul, bebi o mesmo. Não tinha gosto de nada. - Vamos começar agora.

Tudo começou a ficar turvo e eu não pude ver mais nada.

Eu estava vendo meu pai, mas não era eu. Quero dizer, era eu mas era em terceira pessoa. Ele estava brincando comigo de boneca em meu quarto. Sorri.

O cenário mudou, meus pais estavam brigando na sala. Provavelmente por algo que eu fiz. Quando eu tinha dezesseis eu fazia muita merda.

O cenário mudou novamente. Agora era o casamento de minha mãe com meu padrastro. Só de olhar para a cara daquele homem meu estômago embrulhou.

Mudou. Eu estava naquele mesmo dia, da borboleta e o piquenique. Não! Eu não quero ver isso! Eu estava na casinha e meu padrastro estava lá...comigo...fazendo.

Eu gritei, mesmo sabendo que ele não iria me escutar eu gritei o mais alto que pude e por incrível que pareça a Alice de 11 anos me encarou perplexa e surpresa. Ela podia me ver? Quero dizer, eu podia me ver? Quer dizer...você estendeu.

- Alice... - ela me chamou. - Alice! Alice!

Voltei para a realidade, Lorena estava me chamando, meus olhos ardiam junto com meu nariz por conta das lágrimas.

- Como você vez aquilo? - perguntou incrédula.

- Aquilo o que? - desencostei minhas costas das costas da cadeira a encarando.

- Aquilo! Você se chamou! A Alice do passado te ouviu! Isso não é possível, nunca aconteceu antes. - ela me puxou pelo braço me deixando de frente para o computador. - Olha só isso! Quanto tempo você acha que ficou em seu mente?

- Sei lá, um dez minutos...? - perguntei insegura.

- Você ficou Três minutos lá.

Eu não sabia o que falar, eu não sabia o que estava acontecendo. O que está acontecendo?!

- Sai daqui, você não pode ficar aqui por muito tempo. - disse me empurrando para a porta. - Não diga nada sobre isso okay? Eu te encontro no terraço as 2h da madrugada.

Ela abriu a porta me empurrando para fora.

- Diga que você passou mal e eu te liberei.

- Mas... - ela fechou a porta na minha cara não deixando eu terminar minha fala.

Mas que porra...?


Notas Finais


Foi isso.

Vai sair um hoje, creio eu que sai kk.

Comentem por favor, façam uma atira feliz por favor. Vocês gostaram da nova capa? Eu amei demais kk, simples mais bonitinha kk.

Tchauzinho crushs ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...