História To Be free - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Emmaswan, Onceuponatime, Ouat, Reginamills, Swanqueen
Visualizações 267
Palavras 1.599
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 26 - 26


Uma semana tinha se passado desde que Emma tinha conversado com Herculano.

Cora tinha voltado de uma viagem e estava mais irritada  do que quando saiu. Regina não sabia o que tinha acontecido, mas sabia que não tinha que questionar a mãe. Robin sempre se encontrava com Angelina, mas desde que Cora chegará ele mal tinha saído da sala do trono com a mulher, isso fez com que Emma e Regina tornassem mais cuidado em relação as duas. Sabiam que Robin estava tramando algo, não sabia o que.

 

- Henry, como está indo nos estudos? - Emma pergunta com o menino nos braços, desde que descobrirá que Henry era seu sobrinho tinha se apegado ainda mais a ele.

 

- Eu não gosto muito, na verdade Lacey está me ensinando sobre as lendas das bruxas das floresta

 

- Henry, isso é apenas histórias - Regina encara menino

 

- Lendas são reais - Disse Emma

 

- Ou não Emma. Nunca se sabe - Regina deu de ombros

 

- Aprendi sobre a bruxa Audrina. Dizem que ela tem mais de cem anos, e que ela fez a profecia do amor verdadeiro de um rei e de sua rainha.

 

- Como é essa profecia Henry? – Emma pergunta interessada

 

- Que o rei iria encontrar o seu amor verdadeiro, mais iria perde-lo, então a bruxa fez uma promessa ao rei, que se ele protegesse a floresta e o reino ela faria ele se encontrar com sua amada, em outro corpo, as almas seriam a mesma, mas os corpos não, só que tem o coração puro do rei seria capaz de encontrar o tesouro – O menino repetiu como tinha ouvido de sua professora

 

- Emma? Emma? – Regina a chamava – Há algo errado?

 

- Não, eu só estava prestando atenção na historia do meu homenzinho. Você é tão lindo Henry

 

- Eu sei – Disse sorrindo – Vamos brincar de cavalinho?

 

- Claro – Pegou o menino o colocando nas costas e pulando pelos cantos do quarto enquanto ele ria – Você é o melhor sobrinho do mundo Henry – disse beijando o menino

 

- Sim, o melhor sobrinho – Regina se aproximou beijando o menino e logo em seguida beijando Emma

 

- Vocês são minhas duas mães – Sorriu, gargalhando

 

- Somos? – Emma perguntou

 

- Sim, vocês querem? Ser minhas mamães? – As duas mulheres se olharam

 

- Sim, Henry, seremos suas duas mamães meu pequeno príncipe – Regina respondeu, dando um beijo no menino e outro em Emma. Sem se darem conta de que alguém observava tudo do lado de fora

 

 

***

 

- Herculano, Herculano? – Emma se aproximou do homem o chamando para caminhar pelo jardim – eu sei sobre a profecia

 

- Do que você está falando?

 

- Da profecia de sua mãe, se eu posso encontrar o tesouro então eu tenho a alma do rei Arthur e consequentemente Regina tem alma do seu amor verdadeiro

 

- Emma, isso é muito perigoso, muitas pessoas não entendem, podem te matar ou pior

 

- O que seria pior que a morte? – Emma encarou o homem

 

- Te torturarem até ela vim, lentamente e por dias – Disse firme – Vai se preparando, o dia está e aproximando.

 

- Ok. Nós vemos antes do amanhecer – Disse caminhando de volta para o castelo

 

***

 

O jantar tinha sido tranquilo, as três mulheres mais o pequeno Henry fora muito produtivo, deram boa noite para o garoto e foram para o quarto da princesa

 

- Henry é um menino adorável, e eu estou feliz de tê-lo em nossas vidas

 

- Eu também Regina, sinto como se com você eu tivesse uma família, me sinto completa

 

- Eu te amo Emma, você me faz sentir completa – Beijou a loira – eu quero você, sinto falta de você – Beijou o pescoço alvo

 

- E você me terá, me terá sempre que quiser meu amor – Deitou a morena na cama e subiu em cima dela. A amou, a amou como se fosse o último dia de sua vida, a amou como se sua vida dependesse disso e de fato dependia, estavam ligadas, seus corpos, seus corações, suas almas.

 

Emma sabia que a viagem seria de dois dias, tinha traçado um plano com Herculano, e quando conseguissem recuperar o ouro iriam libertar Regina e Henry e iriam embora do reino, o mais longe possível.

 

Depois de Regina dormir, Emma trocou de roupa e fora para seu quarto, pegou sua bolsa que continha agua, cordas e uma faca. Antes do sol nascer Emma já estava na porta da masmorra junto com Herculano

 

- Está tudo pronto, vamos pegar um túnel e caminhar por ele até a saída do castelo, vamos chegar na floresta e encontrar o ouro e depois voltarmos, quando chegarmos aqui daremos um jeito de recuperar o reino, primeiro precisamos passar passo a passo

 

- Tudo bem – Emma encarou o homem e escutaram passos, Herculano empurrou a porta e colocou Emma para dentro

 

- Fique quieta – Fechou a porta e se pôs a frente dela

 

- Herculano?

 

- Sim James? – Observa o homem a sua frente

 

- Estamos procurando a criada da princesa, Emma, foi acusada de seduzir a princesa

 

- Como?

 

- O rei mesmo viu, isso é traição, traição contra o rei. Estamos a sua procura, assim que acharmos ela será enforcada por traição

 

- Tem certeza disso? A criada da princesa?

 

- Sim, fora vista hoje pela manhã saindo dos aposentos da princesa, a rainha mandou procura-la

 

- Pode deixar comigo senhor, iria procurar por essas bandas – Disse firme o homem assentiu e saiu dali, Herculano esperou alguns minutos e então entrou pela porta – Você escutou?

 

- Estão me caçando, Herculano, descobriram sobre mim e sobre Regina, vão nos matar, podem matar a minha mãe

 

- Calma, Emma, eu tenho pessoas de confiança protegendo a sua mãe, e não faram nada com Regina, precisam dela viva, se ela morrer Robin perde muita coisa, principalmente este reino. Agora precisamos ir. Prometo a você que Regina ficara bem. Agora vamos – Puxou a menina pela entrada da masmorra, tocando nas paredes, achando a pedra que ao apertar se moveu abrindo outra passagem entre as pedras da parede, o homem deu passagem para Emma passar e foi atrás, e logo em seguida a parede se fechou.

 

***

 

- Isso é um insulto Regina, como pode fazer isso? – Cora olhava para a filha – Você traiu Robin, como pode fazer isso?

 

- Robin pode ter amantes, eu não posso?

 

- Ele é homem

 

- Não justifica nada, e Emma não é minha amante, eu a amo.

 

- Quando eu encontra-la eu a matarei, você está me ouvindo?

 

- Faça isso, faça isso e todos saberão seus segredos Cora, eu destruirei o seu posto de rainha, até porque este posto já é meu. Todos do reino saberão sobre sua filha, seu neto, o ouro que você roubou do seu povo. Todos vão saber, e você será julgada de traição e não eu.

 

- Tive coragem e mandar minha própria filha para longe, matara irmã dela é o mínimo que farei. Não me subestime Regina, você não sabe do que sou capaz – Disse saindo do quarto da menina. Regina olhou para os lados, estava apavorada, e Emma tinha sumido, tinha mandado guardas atrás dela, e ninguém a encontrou, Herculano também tinha sumido. Tudo estava desmoronando e Emma não estava ali.

 

***

 

As horas se passaram e assim se passou um dia inteiro. Regina não tivera notícias de Emma, ficara o tempo todo em seu quarto, e as vezes ficara com Henry.
Enquanto isso Herculano e Emma andaram por um longo corredor, escuro, parando apenas para tomar agua

 

- E agora, estão me caçando

 

- As bruxas vão nos ajudar. Cora tem muitos segredos, antes de você voltar encontraremos uma maneira de tudo o que ela fez vir a tona e ela não ter mais poder nenhum

 

- Mas ainda tem a denuncia

 

- Podemos alegar que o rei esta fazendo isso apenas para conseguir tomar o reino para si, vamos encontrar um jeito Emma

 

***

 

Amanheceu, Regina estava deitada com Henry em sua cama, ela dormia profundamente, já Henry estava com os olhinhos meio abertos. Viu a senhora entrando no quarto e colocando a bandeja em cima da mesa em seguida despejando um liquido em uma das xicaras, depois colocou o chá e saiu dali. Henry se levantou assim que a porta se fechou

 

- Regina, Regina? – Chamou a morena – Regina?

 

- Oi, Henry o que foi?

 

- A rainha entrou aqui e colocou algo na sua xicara – Regina se levantou e caminhou até a mesa, vendo a xicara com o chá

 

- É apenas chá Henry

 

- Não tome, ela colocou, eu juro. Eu não quero perder uma outra mãe, não tome

 

- Não vou tomar, eu juro – A porta se abriu e Robin entrou

 

- Eu quero saber onde estar aquela bastarda Regina

 

- Henry, vá para seu quarto, e fique quieto com Lacey – disse para o menino que correu para fora do quarto – Robin – Pegou a outra xicara e despejou chá – Tome um chá comigo – Entregou a xicara para ele – Agora Robin você vai me escutar

 

- Não escutarei nada e não tomarei nada

 

- Como quiser, você nos viu, ou foi sua criada? Sua amante? Porque Robin eu vou descobrir, assim como você tem aliados eu também tenho, e eu descobrirei

 

- Isso não ficara assim, eu matarei ela e depois matarei você – Se aproximou mulher

 

- Tente Robin, eu mudei muito e você não sabe do que sou capaz – Robin caminhou para fora do quarto e Regina pode respirar fundo, suas mãos estavam suando e nada de Emma aparecer, até que escutou gritos pelo corredor. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...