História Tracejados vermelhos em uma noite de verão - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Ki Hyun, Min Hyuk
Tags Broken!kihyun, Drama, Kihyuk, Kihyuk!friendship, One-shot
Visualizações 72
Palavras 430
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Droubble, Universo Alternativo
Avisos: Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - E as estrelas refletidas nos teus olhos



Nas noites em que você costumava chorar agarrado a mim, os teus gritos faziam escorrer ainda mais lágrimas de seus olhos. Eu apertava-o e beijava teus cabelos, Kihyun, pois, por mais que nossa realidade não fosse justa, apenas cabia-me ajudá-lo a aceitá-la, gostava de vê-lo sorrir, afinal.

Entretanto, o teu sorriso era algo difícil de conseguir, porque você estava cansado de tudo aquilo. Cansado de vagar dia e noite e ainda assim ter um apenas um trocado ou outro no fim do dia e era por isso que choravas tanto, querias ser astronauta, mas nenhum de nós dois havíamos tido o mínimo grau de escolaridade, não sabíamos nem mesmo ler e, portanto, não chegaríamos a lua tão cedo.

Eu admirava-o por conseguir sonhar tão alto quando tínhamos tão pouco ao nosso redor. Você era admirável em vários sentidos.

Contudo, a sua capacidade de sonhar alto não fazia os teus lábios se levantarem como quando éramos crianças e eu sentia uma falta enorme de sorrir contigo, de viver o simples e esquecer os problemas.

Uma vez nós ouvimos sobre a história de uma perigosa pista próxima ao abrigo improvisado onde morávamos, nos disseram com todas as palavras para não nos aproximarmos daquele local onde a morte caminhava certeira sobre os corpos de tantos outros que viviam a nossa realidade.

E deveríamos ter tomado cuidado, Kihyun.

Deveríamos, mas a tua curiosidade levou-nos àquela pista, onde o cheiro do sangue ainda podia ser sentido e desafiou-me a pisar contigo em meio a toda a morte que ainda estava grudada no asfalto. Óbviamente, neguei-me a correr tal risco e você riu pela primeira vez em semanas, mas não era a tua risada agradável, não fez-me rir junto de ti. Causou-me arrepios.

Com os olhos colados nos meus, você dava passos cada vez mais próximo do meio da pista. O barulho de um caminhão deixou-me alerta e lembrei-me de que ali os automóveis percorriam em alta velocidade sem importar-se com nada; meus olhos arregalaram-se ao vê-lo levantar sua mão, a mesma que sempre esteve entrelaçada a minha, apenas para acenar-me antes que o enorme caminhão batesse em ti.

O impacto levou-o para longe, teu corpo rolou pela grama assim como as lágrimas rolaram-me pelo rosto. Meus joelhos afundaram na terra quando joguei-me ao seu lado, segurando teu rosto, suas íris refletiam o céu estrelado daquela noite; a grama a sua volta tornou-se repleta dos teus tracejados vermelhos e a vida esvaiu-se do teu ser antes mesmo que eu pudesse pensar em dizer-te alguma coisa.

Assim tu manchaste aquela noite de verão com teus tracejados vermelhos gélidos que em nada lembravam o calor daquela estação.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...