História Tráfico do Biscoito. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Jikook Na Veia!, Jimin Seme, Jimin!top, Jungkookbottom!, Kook Uke, Não Betada
Visualizações 111
Palavras 1.336
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Opaaa... Nem demorei hehehe

Espeto que gostem, a noite se encerra aqui pra mim.

Capítulo 2 - Tó ferrado 2.0


   Abri os olhos minimamente. - Onde eu estou? - perguntei baixinho e não tardei a rolar os olhos pelo cômodo, eu estava deitado na cama de um quarto gigante dividido em tons de branco e cinza, o que eu estava fazendo ali?... logo as memórias me acertaram como um soco... Droga.

- Porque ele ainda não acordou?

Ouvi uma voz irritada fora do cômodo.

- Não se preocupe senhor Park, o garoto apenas tem um organismo fraco e a droga dada a ele foi muito forte, mais logo ele irá acordar.

Park... Esse é o homem que me comprou, olhei mais uma vez para o quarto com uma decoração impecável... Essa é a casa desse tal Park. Logo eu já estava em desespero novamente... O que eu vou fazer??? Olhei para mim e eu ainda estava com as roupas estranhas de quando fui vendido. Estava em uma cama grande com lençóis brancos a mesma era bem luxuosa... Ouvi passos se aproximarem do quarto e arregalei os olhos, dei um pulo da cama e em um movimento rápido fui para baixo da mesma. Ouvi a porta ser aberta e vi dois pá de pés circularem o quarto.

- Onde ele está? - mais uma vez a voz irritada se fez presente. - O encontre, ou você vai ficar no lugar dele. - falou ríspido me fazendo lacrimejar.

Rapidamente ouvi passos se distanciarem do quarto.

- Quando eu pegar esse garoto...- o homem falou ainda irritado.

Eu deixei as lágrimas escorrem pelo meu rosto, estava com medo, botei a mão na boca para abafar qualquer ruído. Ouvi os passos se aproximarem da cama e minha respiração ficou descompensada... Os passos cessaram e eu fiquei atento... O homem voltou a andar pelo quarto e eu apenas seguia seus pés com os olhos... Onde ele vai. Fui me virar para ver melhor onde ele estava indo mais o mesmo havia parado mais uma vez... Olhava de longe, de um ângulo que dava para ver meus pés e os seus, fui encolher mais o meus pés quando senti um aperto forte no mesmo, meu coração falhou uma batida e senti o suor escorrer pelas minhas temporas... O que seria de mim...

- Te peguei. - falou firme e eu soltei um grito abafado, logo eu estava sendo arrastado para fora de meu "esconderijo".

Ainda estava de bruços quando senti mãos fortes em volta de minha cintura e logo fui jogado com brutalidade na cama grande. Minhas mãos ainda estavam com as algemas idiotas então não poderia fazer nada, apenas me encolhi nos lençóis brancos e chorei... Estava com medo do que viria a seguir.

Não conseguia olhar o homem ali presente, eu só queria que nada daquilo tivesse acontecido. O Park se aproximou e eu pude sentir sua mão nos meus cabelos, logo as mesmas estavam no meu rosto fazendo uma carícia, eu não estava entendendo nada até o mesmo apertar meu rosto o virando na sua direção assim me forçando a o fitar... Era lindo, jovem, tinha uma expressão seria e um olhar penetrante...

- Você me deu um belo susto. - falou calmo enquanto passava os dedos nos meus lábios.

O Park me olhava intensamente com sua expressão seria e minhas lágrimas, escorriam sem meu consentimento, o mesmo tinha uma beleza perfeita mais seu olhar me dava medo.

- Me deixa ir embora... P-por fa-avor... - implorei com desespero na voz.

Ele afrouxou o aperto em meu rosto mais sem tirar a mão dali. - Eu não disse que você poderia falar meu doce. - disse calmamente e eu apenas deixei mais lágrimas escorrem. - Não chore. - falou frio e eu fiz o que o mesmo pediu, segurei o choro, fora difícil mais não queria o deixar com raiva. - Bom garoto. Agora eu quero que você se deite de bruços. - deu a ordem e eu com todo meu medo apenas fiz...acatei sua ordem com uma angústia inimaginável, eu estava triste e apenas tinha que aceitar que minha vida agora pertence a outro... Sou só um mascote.

Sempre fui sensível e medroso por isso não sabia direito o significado de orgulho, eu costumava me dar bem com todos, não tinha problema algum com ninguém, mais nunca tendo um relacionamento, pois no final eu sabia que se tivesse eu sempre seria como um mascote... Como agora que um desconhecido que me comprou me mandou ficar de bruços e eu apenas fiz sem exitar, porque simplesmente eu sou covarde o suficiente para não lutar pela minha própria vida.

Se eu estou triste?

Pra caramba!

- Muito bom! - ouvi o barulho de cinto e fechei os olhos com força...

Eu seria abusado, e estava aceitando essa loucura... Porque simplesmente eu não poderia fazer nada, a não ser deixar as lágrimas grossas escorrem sem que o meu agressor veja.

- Jungkook... - chamou meu nome... - Sei que você é virgem... Mais eu estou com muita raiva agora, não por sua culpa, mais ainda sim eu preciso me aliviar e a melhor forma é me enterrando dentro do seu cuzinho apertado.

Jogou as palavras e eu arregalei os olhos, senti a cama afundar. - Não seja bruto comigo senhor. - pedi baixinho sem o olhar... Sei que estou parecendo um idiota mais é melhor do que ser estuprado rudemente.

Senti os dedos do Park passarem pelas minhas coxas, eu apenas fitava um canto aleatório do quarto. - Você parece conformado em ser estuprado por um desconhecido. - suas mãos apalpava minhas coxas.

- Sei que não passo de um mascote para o senhor... Não irei valer mais nada depois que me usar. - falava baixinho para não chatear o mais velho.

Riu. - Você é diferente... Normalmente os garotos estariam se esperneando.

- Só acabe logo com isso.

Senti sua mão apertar minhas nádegas, que nojo.

- Não queria ser bruto com você, quando te olhei eu soube que você era do jeitinho que eu gosto, delicado, medroso e principalmente... Submisso. Mais eu estou com ódio da minha esposa nesse momento e transar com você, uma porcelana tão sensível seria a única forma de melhorar meu humor.

Esposa... - Porque não faz amor com sua esposa senhor? - estava sendo educado, não queria problema.

Riu sarcástico. - Amor?! Isso não acontece comigo garoto. - disse e logo abaixou minha única peça de roupa assim deixando meu bumbum exposto... Corei. - Você é muito lindo baby. - o olhei por cima dos ombros e pude ver o mesmo mordendo o lábio inferior enquanto apertava a carne da minha bunda... Me olhou. - Tão sexy e inocente... que me dá vontade de te bater. - desferiu um tapa estalado na minha nádega.

Vi o mesmo ficar de joelhos na cama logo botando seu membro pra fora da calça e eu corei mais ainda com o tamanho de seu membro.

Sorriu perverso pra mim. - Que adorável.

- Você vai a-abusar de um ser a-adorável? - perguntei com medo só de imaginar o mesmo entrando em mim.

Ele riu divertido. - Se você não fosse adorável você não estaria aqui Jungkook.

Observei o Park mexer no criado mudo e logo voltar com um pode roxo em mãos. Eu o fitava com um olhar mesclado em curiosidade e temor.

Se aproximou de mim com um sorriso repleto de malícia. - Empina pra mim Kookie. - pediu divertido, como se quisesse brincar comigo... Eu deveria tentar certo.

- N-não... - me xinguei mentalmente por ter deixado aquele "não" sair tão trêmulo.

- Se você quer tentar ser malcriado comigo Jungkook, saiba que eu sei ser cruel... - mais um tapa, dessa vez com mais força, fora dado contra minha bunda. - Sem lubrificante pra você porcelana. - falou com seu típico ar divertido e logo o vi jogar o pote, até então em sua mão, em qualquer lugar da cama.

   Senti o corpo forte sobre o meu, nesse momento eu só queria acordar na minha cama como se tudo não passasse de um mero pesadelo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...