História Transparecer - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Provações de Apolo (The Trials of Apollo), Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Bianca di Angelo, Nico di Angelo, Will Solace
Tags Gay, Nico Di Angelo, Nill, Romance, Solangelo, Trans*, Transgênero, Transsexualidade, Wico, Will Solace
Visualizações 140
Palavras 971
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Pansexualidade, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


oi minhas florzinha, tudo bem?
eu sei que eu demorei, mas acontece que eu sou um vestibulando fodido e o enem acabou de rolar. isso significa que eu vou voltar com tudo? não, pq eu tenho vestibular que por acaso eh da faculdade que eu quero logo logo. AAAAAAAAA mandem forças positivas pra mim aksjdfkasjdfak

ENFIMMMM

me desculpem pelo atraso!! eu nem ia postar hoje, mas me inspirei de tarde e acabei escrevendo isso hehe eu tenho uma festinha pra ir daqui a pouco, mas tô aqui postando cap. se eu me atrasar vo bota a culpa em vcs

só pra localizar vocês no espaço-tempo + AVISO:

nesse cap eles já tão namorando tem mó cota, pensa q eles tão super intimos etc etc e já fizeram muita coisa junto, se eh q vcs tão me entendendo. não tem sexo SEEEEXO, é aquele negócio pré-sexo, sabem? então não vão com muita sede ao pote. eh isto. espero que gostem, pq eu não costumo muito escrever iisso mas aaaaaaa forças superiores estavam me obrigando a escrever isto

abraços <3

Capítulo 31 - Testemunhas de Jeová (16)


As vezes Will se via em situações em que se perguntava "o que é que eu estou fazendo com a minha vida, meu Deus?".

— Você não dormiu, não é? — ouviu a voz de Nico ao lado da cama, logo após ouvir seus passos leves pelo quarto.

Will abriu os olhos.

— Não. — respondeu. — Só pensando. Quem era? Na porta.

Com a pouca luz que havia no quarto — culpa do sol, que atravessava as cortinas — Will observou Nico tirar novamente a calça jeans e ficar apenas de camisa e boxer.

Ele estava rindo quando voltou a ficar na posição em que estava antes de ouvirem a campainha tocar — por cima de Will, um joelho ao lado de seu quadril e outro entre suas pernas.

— Testemunhas de Jeová. — disse, o rosto muito próximo ao de Will. Mesmo depois de tanto tempo Will ainda sentia seu coração bater mais forte.

— ‎Sério?

— ‎Sério. Eu bati a porta na cara deles. Vou para o inferno.

Will riu. Aqui era tão Nico.

— E você preocupado que fosse meu pai.

Will pensou em algo para dizer, mas Nico o beijou antes que ele pudesse falar algo.

Ele embolou os dedos na barra da camisa de Nico, sentindo seu estômago dar três voltas quando uma das mãos dele foi até seu cabelo. Nico já havia dito algumas centenas de vezes de como gostava do cabelo de Will. Dos cachinhos, principalmente. E Will sabia disso, levando em conta o número de vezes que já dormiu com Nico brincando com aqueles fios.

Will respirou profundamente quando Nico beijou sua bochecha, partindo para seu pescoço.

— Você trancou a porta? — perguntou.

— ‎Uhum. — murmurou, com sua respiração na nuca de Will.

—‎ Tem certeza?

Nico parou. Virou o rosto e encarou Will. A ponta de seus narizes estavam quase se encostando.

— Sim, eu tenho, por quê?

— ‎Só... Pra checar. — Will engoliu em seco.

Esperou que Nico continuasse, mas ele ficou ali, parado, seus olhos cor de âmbar encarando os olhos azuis.

Will piscou, tentando entender o que é que passava em sua mente.

— O que foi?

Então, Nico começou a rir e, talvez pela cara que Will fez, riu mais ainda.

— O que foi? — Will perguntou mais uma vez, totalmente perdido.

Nico se deitou sobre ele, o queixo batendo no ombro de Will e seu tórax tremendo por conta da risada contra o peito nu de Will.

— Nico.

Will encarou o teto. Por que é que ele estava rindo?

Ouvindo sua risada, Will tentou empurra-lo para o lado, para que saísse de cima de si.

Nico voltou a se apoiar nos joelhos e olhou para o namorado novamente, com um sorriso ainda no rosto.

— O que é que você...

— ‎     Você não estava não nervoso assim quando você tirou a minha virgindade.

— Eu não estou... Eu...

Will não conseguia enganar em a si próprio.

Nico se afastou, praticamente sentando em uma das coxas de Will.

— Sério? Porque você está todo estranho.

Will se apoiou nos cotovelos.

— Eu não estou...

— Will. Você está. Se não quer mais, é só falar.

— Ouvindo você falar assim até parece que você é muito comunicativo.

Nico revirou os olhos.

Will mordeu o lábio inferior.

Deus, é claro que ele queria. Tinha sido ideia dele, pra começo de conversa. Apenas estava... Nervoso? Ansioso?

Ao invés de expressar o que sentia, Will disse:

— Você já viu o tamanho dos seus dedos? Você vai me quebrar no meio.

Nico riu, parecendo achar aquela frase muito inesperada. E talvez fosse.

— Jesus, eu não vou colocar meu punho inteiro em você. — Nico disse, então completou: — A menos que você queira...

Will o olhou horrorizado.

— ‎Nicolas.

Nico riu novamente. Que cretino.

— Você está se divertindo com isso, não é?

— ‎Não. — Nico respondeu, devagar. — Ainda não. Ainda.

Will fechou a cara, o que só fez Nico sorrir ainda mais.

Will deitou novamente na cama. Nico se aproximou, dando um selinho rápido em seus lábios antes de perguntar:

— Do que é que você está com medo?

Will trincou o maxilar.

— Vai doer. — respondeu.

— ‎Certo, porque você não gosta nem um pouco de sentir dor durante...

— ‎Pare de me julgar.

— ‎Eu não estou. — Nico riu. — Não mes...

— ‎Pare de rir.

— ‎Mais algum pedido?

Will pensou.

— Hã... Não.

— ‎Bom. — Nico disse. — Tudo bem, então?

Will respirou fundo. Segurou o pulso de Nico e encarou seus dedos.

— Sério, sua mão é mesmo grande.

— ‎Não é como se o que você tem fosse pequeno.

— Cale a boca. É diferente.

— ‎Por quê?

Grrr. Eu te odeio.

Will soltou o pulso de Nico. Ele estava sorrindo novamente, mas Will teve a sensação de que dessa vez não era por estar achando algo engraçado ou coisa parecida, mas sim algo mais.

— Eu também te odeio. — Nico sussurrou.

Will respirou fundo, sentindo seu coração se aquecer. Ele puxou Nico pela nuca, o beijando lentamente.

 

— Mas, falando sério, se você não quiser mais, tudo bem. Não tem problema. Eu não vou gostar se você não gostar.

Will o encarou. Primeiro, agradeceu mentalmente. Depois se lembrou daquelas palavras.

— Você só está repetindo o que eu te falei meses atrás. — reclamou.

Nico escondeu seu rosto na nuca de Will. Provavelmente estava rindo novamente. Quando falou, seu hálito quente bateu no pescoço de Will, o que provocou reações em seu corpo:

— Não deixa de ser verdade.

— Eu sei. — Will disse, baixinho.

Eles ficaram naquela posição por alguns minutos. Will levou suas mãos para dentro da camisa de Nico, sentindo sua pele e com vontade de aperta-lo com força para si.

— Vá com calma, tá bem? — Will pediu.

— Eu prometo.

— Certo.

— Por que eu sinto que você está duvidando de mim?

— Nico, você nunca vai com calma.

— E você vai me dizer que não gosta, Will Solace? Porque aí eu ficaria surpreso.

Will decidiu ignorar aquilo. Ele gostava, sim, mas não admitiria aquilo em voz alta. Pelo menos não para Nico.


Notas Finais


eu fetiche eh os cachinho do will eu quero morrer enforcado por eles. eh isto. ariel desliga.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...