História Tudo por você - Wincest - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Dean Winchester, Sam Winchester
Tags Amorproíbido, Deanwinchester, Família, Gay, Incesto, Romance, Samwinchester
Visualizações 109
Palavras 2.527
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Revelações


Fanfic / Fanfiction Tudo por você - Wincest - Capítulo 3 - Revelações

Alguns dias se passaram e Sam continuou achando que manter distância de Dean era o mais certo a se fazer para ajudar ambos, e isso fez com que os irmãos trocassem nada mais que umas 3 palavras por dia.

O que Sam não sabia era que isso estava abalando o irmão mais do que ele achava, acreditava que Dean estava bem por ele não demonstrar muita importância com essa distância, mas sempre que Sam dormia, Dean ia no banheiro e chorava até adormecer e sempre acordava no meio da madrugada sentado no box com os olhos inchados e ia para a cama dormir novamente. E isso se repetia por mais de 3 dias.

Dean já não ligava mais para a aparência, deixou de se cuidar, mas quase não houve diferença porque ele era tão charmoso que o descuido era imperceptível, ele não tomava mais os remédios que o médico havia lhe recomendado para o machucado do braço para evitar complicações e nem se importou em limpar a ferida e só trocava os curativos uma vez por dia e quando lembrava. Ele estava mesmo deixando tudo aquilo o abalar de uma forma que mal conseguia se reconhecer, por ser uma pessoa tão forte que consegue enfrentar tudo de mais doloroso desse mundo mas os sentimentos estava sendo uma barra mais que pesada para ele.

  /////////////////////

Sam acordou antes de Dean e como todos os dias, foi fazer sua higiene e tomar uma ducha para conseguir enfrentar mais um dia. Após alguns minutos ele sai do banho e logo estranha um pouco por ser quase 10h da manhã e Dean ainda esta dormindo, já que raramente ele acordava depois de Sam mas deixou passar, poderia ser que ele estivesse muito cansado e resolveu não ir incomodar seu sono e foi fazer um café da manhã simples, se sentou em uma poltrona perto da cama de Dean para assistir a TV tranquilo enquanto comia mas não podia deixar de olhar Dean dormindo, era uma ação quase involuntária de Sam, quando se assustou ao ver o curativo de Dean encharcado de sangue, logo se levantou para pegar gases em cima da pia do banheiro e foi trocar fazendo o mínimo de movimentos para não acorda-lo.

Ao colocar a mão no braço de Dean percebeu que ele estava muito quente, poderia dizer que ele estava fervendo e com febre muito alta e já sabia que se tratava do machucado que provavelmente estava infeccionado. Sam tentou não ficar nervoso mesmo sabendo que isso poderia ser grave.

Sam: Dean acorda, Dean, DEANN (deu leves tapas no rosto de Dean que não respondia)

No mesmo momento o desespero tomou conta de Sam que só pensava que poderia perder Dean a qualquer momento por não saber o que estava acontecendo dentro dele e não saber os sintomas nem nada. No primeiro momento ficou chamando por Castiel por longos minutos, quase suplicando para que ele aparecesse e pudesse curar Dean ou fazer algo para ajudar e dando pequenos intervalos entre o chamado para continuar balançando Dean que com o tempo começou a acordar aos poucos.

Sam: Dean você está acordado? (ficou fazendo pequenos carinhos no cabelo de Dean enquanto ele voltava a consciência) Graças a Deus você acordou, você está fervendo em febre, seu machucado está feio (falou limpando o rosto de Dean que estava tomado de suor por causa da febre)

Dean: Está doendo tudo Sammy (tentou se levantar mas estava totalmente sem força)

Sam: O que você está fazendo? Não pode levantar (empurrou o peito de Dean devagar impedindo ele de levantar)

Dean: Eu estou bem Sam, sai de cima de mim (alterou a voz e tentou empurrar Sam de cima)

Sam: Você está vermelho Dean (levantou passando a mão no rosto olhando para Dean com olhar de preocupação)

Dean: O que foi Sammy? Você me queria distante e agora que seu irmãozinho tá quase morrendo você está com essa cara de bebê chorão? (riu alto descontrolado e sarcasticamente).. 

Sam: O que você está falando? Para agora com isso (sentiu seu coração apertar com sentimento de culpa) 

Sam: (preferiu não escutar a resposta de Dean e mudou logo de assunto) Dean você precisa ir urgente pro hospital, nenhum remédio que tenho aqui vai fazer efeito, você está de estômago vazio também, precisa me ajudar (aproximou de Dean pegando em sua mão e escorando a outra em suas costas para lhe dá impulso para levantar). 

Dean no primeiro momento tentou lutar para que Sam o soltasse só que a sua força quase nem existia naquele momento e deixou ser levado para o hospital porque a dor estava insuportável, passou a viagem inteira até o hospital gemendo de dor e deixando Sam mais ainda nervoso. Na maior parte da viagem sofria para si, porque não queria que Sam o olhasse com pena. 

Sam: Está doendo muito? (tirou uma mão do volante e pegou na mão de Dean que estava em seu colo) 

Dean: O que você está fazendo? (retirou sua mão rapidamente das de Sam e ao perceber o olhar de tristeza dele não se conteve e voltou a colocar sua mão na dele). 

Chegaram no hospital, Sam estava segurando Dean pela cintura que estava se apoiando em seu ombro, mal conseguia ficar em pé e imediatamente foi mais que 3 médicos em direção à eles e levou Dean para dentro barrando Sam e pedindo para ele ir pra sala de espera. 

Sam estava agoniado porque mais uma vez estava naquele hospital, não tinha notícias de Dean, não sabia nem se ele sequer estava vivo. Não conseguia parar de esfregar a mão e balançar a perna de tanto nervosismo e ansiedade, perguntou inúmeras vezes sobre Dean para as enfermeiras e só ouvia a mesma coisa: "Ainda não podemos falar nada, em breve o Dr irá vim aqui". E esse "em breve"  durou por volta de umas 8 horas. 

E nessas 8 horas de puro desespero e ansiedade, Sam sentia uma culpa imensa e não sabia ao certo o motivo já que eles mal se falavam e hoje do nada Dean acordou assim, mas se sentia culpado por não dizer tudo o que sentia para Dean e ter apenas magoado ele esse tempo todo. Achava que Dean poderia morrer achando que Sam o odiava mas sempre que pensava na possível morte de Dean, Sam logo se repreendia por ficar tendo aqueles pensamentos negativos. Ficava longos minutos achando uma forma de dizer a Dean o quanto o amava, Sam não podia mais esconder isso dele, estava disposto a passar por tudo e por todos por esse grande amor mesmo sabendo que é errado, ele iria superar isso e se deixar levar e agora que ele sabe que Dean o quer tanto quanto ele, não há motivos para eles ficarem assim. 

Castiel: (colocou a mão no ombro de Sam para mostrar que ele não estava sozinho) Oi Sam, peço desculpas por não ter atendido seu chamado mais cedo. 

Sam: Porque não veio Cas? Você é nosso melhor amigo, Dean precisava muito de você. Já parou pra pensar que se você ouvisse meu chamado ele nem lá naquele quarto iria precisar está? (retirou a mão de Cas de seu ombro e voltou a olhar para frente). 

Castiel: Eu compreendo, tudo vai ficar bem (se aproximou de Sam e o abraçou ouvindo o choro sofrido dele em seu ombro).

Sam: Eu estou com tanto medo Cas, o que eu vou fazer sem o Dean? Ele não pode me deixar (Se separou de Cas tentando controlar o choro e limpando as lágrimas que escorriam pelo seu rosto).. Preciso conversar com alguém e só confio em você (falou apreensivo). 

Castiel: Converse comigo, além de seu anjo da guarda também sou seu amigo e você sabe que pode confiar em mim (se sentou próximo à Sam passando a mão suavemente em suas costas fazendo com que ele ficasse tranquilo). 

Sam contou cada detalhe para Castiel sobre seus sentimentos, contou tudo o que sentia, todas as suas decisões que ele achava que estavam certas e sua maior insegurança sobre isso tudo, enquanto Castiel o ouvia sem questionar nada, apenas observava e admirava aquele amor tão puro e inocente dele com seu irmão. Podia ver em seu olhar o quanto o amava e o quanto era verdadeiro com tudo aquilo. 

Sam: (limpou mais lágrimas derramadas no meio daquele desabafo profundo) Então Cas, o que você acha que eu devo fazer? (encarou Cas que estava com uma expressão confusa)  Acha que se eu contar e aceitar tudo isso não vou prejudicar a vida dele nem a minha? 

Castiel: (olhou para Sam com pena por ver que ele estava tão morto por dentro e tudo por culpa dele mesmo). Sam, você é meu amigo e sabe que anjos não mentem e falam coisas que a outra pessoa quer ouvir que nem os humanos (Sam assentiu). Você deve seguir o que acha certo, o que seu coração quer, se você o ama vai atrás, tenha ele para você e apenas aproveite o tempo ao seu lado. Você está sendo egoísta, você não pensou nele em nenhum momento nas suas decisões, você pensou apenas em você porque você que está com medo do preconceito, está com medo do que as pessoas vão achar e está mentindo para você mesmo dizendo que é o Dean que tem medo sendo que vocês nem sentaram e conversaram sobre a respeito disso, ninguém sabe o medo do outro dentro desse relacionamento mais que irmãos (Sam apenas olhava para baixo e o ouvia com atenção sem sequer se defender). Antes de você contar para ele o que quer e o que sente, pensa se você vai conseguir lidar com tudo isso, porque assim ninguém sairá machucado. (abraçou Sam e sumiu sem avisar como sempre faz)

Sam ficou ali sentado ainda esperando alguém da noticias de Dean. Já era quase de madrugada e ele foi comprar algum lanche para comer já que ficou o dia todo sem fome e já estava se sentindo fraco. Voltou para o hospital e ficou pensando sobre tudo o que Castiel disse, sabia que ele tinha toda razão, que Sam estava mesmo sendo egoísta e se deu conta que seu medo é não conseguir assumir esse relacionamento já que todos sabem que eles são irmãos, que além sentirem nojo por ser dois homens ainda eram irmãos.

Sam foi tirado de seus pensamentos quando um homem grande moreno de aproximou dele. 

Dr Blake: Samuel Winchester? Irmão de Dean Winchester? 

Sam: Sim, sou eu (já estava tremendo com muita vontade de encher o Dr de pergunta mas teve que se controlar e apenas ouvir) 

Dr Blake: Olá, posso te chamar de Sam? Sou o Dr Blake, médico do seu irmão e vim aqui para dar notícias dele e lhe alertar sobre o seu quadro. (levantou a mão para cumprimentar Sam). 

Sam: Ele está fora de perigo? Eu posso vê-lo? É muito grave? (mal conseguia respirar por tantas perguntas sem pausa) 

Dr Blake: Dean está com uma infecção forte no local que foi perfurado que acabou causando uma febre muito alta e fez com que ele mal conseguisse andar e ficasse sem força. Ele chegou também muito desidratado, não comia a 2 dias e isso acabou ajudando a infecção ficar pior e acabar em febre que por sorte, se você estivesse demorado mais um pouco para trazê-lo, provavelmente ele agora estaria em um estado pior. Ele terá alta em 2 dias, assim que acabarmos de tratar da sua infecção. Ele no momento está tomando soro para alimentar e ajudar na desidratação, está dormindo mas você pode ir ver ele por 10 minutos e depois aconselho ir para casa descansar e voltar amanhã pois ele está fora de perigo.

Sam: (com sorriso de orelha a orelha e alívio no peito) Obrigado Dr, muito obrigado (apertou a mão dele).

Dean sabia que Sam estava lá fora e iria ir para o quarto ver como ele está e ia começar com a mentira tudo de novo, fingir que se importava, começar a sentir pena dele e ele já estava esgotado de tudo isso, e realmente não queria ouvir nada mas também não queria o magoar apesar de tudo, dizendo na cara dele para ir embora então fechou o olho para tentar dormir quando escutou a porta do quarto abrir já sabia que era Sam e resolveu fingir que estava dormindo pra evitar uma briga entre eles. 

Sam fechou a porta e ficou de lá mesmo olhando Dean e chorando baixo para não acorda-lo e fazer com que se preocupasse, então aos poucos foi se aproximando e quando estava na beira da cama enquanto admirava Dean começou a pensar em tudo que Castiel disse mais cedo. Estava com medo das consequências, medo de machucar Dean com suas atitudes, mas decidiu de uma vez por todas que não queria mais viver daquele jeito, escondendo o amor que sentia por Dean e pela manhã iria chegar a ele e contar tudo. 

Sam ficou acariciando o cabelo de Dean enquanto ele estava "dormindo" pensando em várias coisas sobre eles e principalmente no quanto o amava e estava feliz por ele está bem. 

Sam: Ah Dean, se você soubesse o quanto eu te amo, o quanto eu me arrependo amargamente por esconder esse sentimento de você (acariciou o rosto de Dean). Fiz você sofrer a toa, eu sou egoísta e só pensei em mim (limpou as lágrimas). Se você soubesse o quanto eu queria ter continuado aquele beijo aquele dia (riu entristecido). Eu sou tão idiota, eu não mereço o seu amor mas eu quero tanto você pra mim e estou sendo egoísta de novo (segurou na mão de Dean com cuidado para não acordar ele). Eu estou com medo de ser rejeitado mas se eu for eu vou entender totalmente seu lado. Penso que poderia ser tudo diferente se eu tivesse continuado aquele beijo (controlou seu choro que já estava alto). Agora poderíamos está lá no nosso motel rindo e conversando e talvez até dentro de um relacionamento e já planejando um futuro (sorriu novamente alegre). Mas tenho esperanças ainda de um dia você me perdoar por tudo isso e me aceitar do seu lado te amando toda noite e te acordando aos beijos toda manhã. A pior coisa que eu fiz foi ter me distanciado de você, hoje tudo poderia estar diferente. (se inclinou dando um beijo leve na bochecha de Dean e se retirou do quarto).

Quando escutou a porta bater, Dean abriu o olho e automaticamente uma lágrima caiu do seu olho indo em direção a sua orelha. Ainda não acreditava que sem querer ouviu Sam dizer aquilo,  que para Dean, nunca na vida ele iria poder escutar aquilo logo dele. Seu coração estava uma mistura de amor junto com tristeza. Ele odiava ver Sam triste daquele jeito, odiava o escutar chorar mas também estava muito feliz por saber que tudo o que ouviu de Sam naqueles dias eram apenas mentiras, mas ainda estava receoso sobre todo aquele sentimento porque apesar da sinceridade na voz de Sam, ele o magoou muito com palavras e atitudes. 

Dean pensou e repensou, queria tomar uma decisão certa, mas seu amor falava tão alto que ele só sabia sorrir e ficar ansioso para ver Sam de manhã e ouvir mais dele. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...