História Um segredo bem guardado. (Malec) - Capítulo 42


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas de Bane, Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Asmodeus, Catarina Loss, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Jem Carstairs, Magnus Bane, Maryse Lightwood, Max Michael Lightwood-Bane, Personagens Originais, Rafael Lightwood-Bane, Simon Lewis, Tessa Gray
Tags Alec Lightwood, Clace, Jalec, Magnus Bane, Malec, Parabatai, Sizzy
Visualizações 26
Palavras 1.821
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


FANART DE crisscolfersarfati
Novo capítulo, com personagens originais, espero que gostem, se quiserem podem fazer perguntas e tirar dúvidas que poderão ser respondidas durante os novos capítulos.
Boa leitura.

Capítulo 42 - Capitulo 42- O que vamos fazer?


Fanfic / Fanfiction Um segredo bem guardado. (Malec) - Capítulo 42 - Capitulo 42- O que vamos fazer?

O dia começa como outro qualquer, uma das primeiras coisas é que fomos chamados para uma reunião.

Deixamos as crianças nas respetivas aulas e fomos.

Quando é o nosso espanto que a sala estava cheia.

Jace e Clary, Simon e Isabelle, Hell e Miriam, Luke e Maryse, Samara e Paulo.

-Bem, uma sala cheia.- Começo eu.

-Passa-se alguma coisa?-Magnus pergunta

-Bem, nós temos que contar algo.- Diz a minha mãe.- Mas, antes disso não querem se sentar.

Magnus se sente e eu me posiciono por trás da cadeira dele na minha posição favorita.

-Jace, o que se passa?- eu pergunto ao meu parabatai, que neste momento eu o sinto incomodado devido há nossa ligação parabatai.

-Nós não dissemos mais cedo porque queríamos dar algum tempo para vocês sem ter que pensar em problemas.- Jace

-Que tipo de problemas?- Eu pergunto uma impressão que se apoderou sobre mim esta reunião tinha ver com os meus filhos.

-Bem, nós soubemos algo no dia do vosso casamento.- Jace continuou

-Será melhor eu falar, já que foi que vi.- Samara fala, isso chama atenção de Magnus.

-Muito bem, Samara o que viste.

-Sabes que as minhas visões não são precisas nos pormenores, porém existe muitas pistas durante a visão e também sabes poucas vezes elas falham.

-Sim, eu sei.

-O que vai acontecer é quando Alexa fizer 15 anos, eu vejo, estamos todos na festa de 15 anos de Alexa e no momento que ela parte o bolo. Amadeus aparece.

Ele tenta agarrar Alexa, mas Alec se mete no meio, o que faz que ele seja projetado para longe. Eu não sei o que se passa com ele, mas algo nos teus olhos, Magnus faz temer pela vida dele.

Um dos gémeos também é aleijado não sei a gravidade.- Ela aqui olha para Jace e Clary.- Nessa confusão toda, tu Magnus perdes o controlo e de repente deixo de ver Alexa.

Eu tenho as mãos sobre os ombros de Magnus, eu o sinto tenso. A sala se encontra num silêncio absoluto.

 Magnus passa as mãos pela sua face.

-Temos pelo menos 7 anos para preparamos. – Jace

-E achas que vai ser suficiente para lutarmos contra Asmodeus, um príncipe do inferno?- Eu pergunto

-Temos que estar.- Magnus ele se a levanta e se coloca na minha frente olhando diretamente nos meus olhos.- Eu não te vou perder, não tão cedo, nem vou deixar ninguém magoar a minha família.- Olhos dele mostravam agora a sua marca de feiticeiro, tão intensa e brilhante.- Nem que tenha matar, Asmodeus com as minhas próprias mãos.

-Calma, Magnus nós somos uma família nós trabalhas em equipa, não terás de fazer nada sozinho.- A minha mãe disse.

Magnus olha envolta da sala vê cada um está naquela sala concorda com o que a minha mãe disse.

-Eu sei disso mas,…. – Ele não acaba a frase como estivesse cansado ele torna a virar para mim e se encosta contra mim e eu envolvo nos meus braços.- Tem sido uma luta constante durante estes últimos anos com poucos momentos de paz, e eu já perdi muito durante seculos, eu não estou preparado para perder mais.

-Nem vais perder.- Eu respondo.

-Uma pergunta, vamos contar as crianças?- Clary

-Raphael já sabe. – Jace

-Como? – Ouve-se pela sala toda.

-Jace, como é que o meu filho já sabe?- Eu pergunto.

-Nos primeiras semanas que vocês foram, eu comecei a reparar que Raphael estava a treinar de mais. Porém foi esta semana que vi que ele estava exagerar e confrontei-o, para o meu espato ele estava fazer treinos consecutivos, como ele descreveu o dia, treinou um pouco antes de ir para escola, teve aula de karaté, teve aula de armas, treinou na aula dos iniciados com Max e Alexa e foi para a aula de corpo a corpo e naquele momento estava a treinar com a espada.

- Mas, esse menino se quer matar com tanto treino.- Eu ouvi Simon a dizer.

-Sim, foi isso mesmo que eu pensei. Então eu perguntei desde quando ele treinava ele me responde desde que vocês tinham viajado. Eu ai vi-me a ser morto pelo meu parabatai, ou morto por ataque depois de Magnus convocar vários patos para me perseguir.- Isso fez o ambiente desnuviar um pouco.- Então quando eu pergunto porquê, ele tenta desconversar, mas acaba por confessar que tinha ouvido a nossa conversa no dia do casamento que alguém ia levar Alexa, que tu, Alec ias ficar ferido.- Jace me olhava, ele sabia como eu me sentia- Se ele treinar muito, ele poderia ajudar.- Jace continuou.

-Ele pode ser parecido em muita coisa, comigo.- Dizia Magnus.- Mas, assumir responsabilidades que não são dele.- Ele virar-se para mim.- Isso ele é exatamente igual a ti, Alexander.

-Eu acho que Raphael não é o único a saber algo.- Agora falava Hell

-Como assim Hell?- Magnus perguntou.

-Alexa.- Miriam respondeu

-O que tem Alexa?- Eu pergunto

-No dia do vosso casamento Raphael contou que ela estava olhar fixamente para nossa família e disse que estava com medo. Ele quando olhou para ela, ela mostrava os seus olhos de gato e depois disse que ainda não era hora. Quando ela voltou ao normal ela não se lembra ou fez que não se lembrava o que tinha dito.- Miriam

-No entanto, ela anda muito calada. Nós tentamos falar com ela, porém diz que esta tudo bem.- Hell

-Nós não quisemos insistir muito, como todos concordamos esperar por vocês os dois.- Miriam

-Fizeram bem.- Magnus respondeu.

-Sendo assim contamos as crianças?- Izzy ela estava preocupada, ela não devia, não nesta fase quando estava à espera de bebé de novo, eu olho para Magnus e os dois concordamos.

-Sim, contamos.- Magnus

-Mas, não precisamos de contar tudo, pelo menos aos vossos filhos, eles ainda são novos de mais. Vamos contando gradualmente.- Eu digo.

-Mas, Raphael, Max e Alexa?- A minha mãe

-Mãe, aparentemente Raphael e Alexa já sabem ou sabem quase tudo.

-Max se já não sabe vai saber porque nós vamos falar com os três-Magnus

-Sim e como Alexa é o alvo principal eles é que correm mais riscos se estiverem na ignorância.- Eu continuo.

-Eles vão ter que começar a treinar. Para isso eu peço ajuda de todos. Todos que estão aqui tem algo a ensinar a eles.- Magnus

-Mas, eles só crianças?- Clary

-Sim, Clary nós vamos ter cuidado e planear tudo para eles continuarem a ser crianças.- Eu respondo. Magnus me dá a mão e me beija nas costas das nossas mãos unidas.

- Hell e Miriam eu sei que vocês não podem ficarem constantemente aqui sem pôr-nos todos em perigo, por isso, Samara eu conto contigo para ajudar com Max e Alexa.

-Podes contar. Como sabes eu já estava a pensar em treinar Max para ser meu herdeiro.

-Ainda não tiraste essa ideia da cabeça.- Magnus

-Não, está decidido.- Samara

-Ainda vamos conversar sobre isso, eu ainda acho que estás a cometer um erro, sem dares chance, de ele dizer sim ou não.- Eu sei de quem eles estão a falar, Paulo porque Magnus me contou, mas se não, eu estaria com uma cara confusa como resto da sala estava.

-Isto não é hora Magnus.- Eu digo, ele me olha, respira fundo e concorda comigo.

-Quando é que vocês vão contar às crianças?-Luke

Eu olho para Magnus e ele responde.

-Entre hoje ou amanhã, não vale apena adiar muito o assunto.

-E os treinos?-Paulo

-Para o ano. Não vale a pena começar agora, estamos quase no final do ano. Depois falamos qual será a intensidade e como serão.- Paulo concorda.- Paulo eu quero que trabalhes diretamente com eles por isso vamos ter que arranjar mais ajuda para te auxiliar com as tuas turmas.

-Sim, eu já tinha pensado nisso.

-Bem, parece que está tudo encaminhado.- E deu a reunião por terminada.

 Eu fui até Izzy ela parecia cansada.

-Izzy está tudo bem?

-Cansada, parece que este bebé me tira a energia toda.- Ao ouvir isso Magnus vai até ela e faz um check up ao de leve.

-Isabelle, eu sei que tens uma vida atarefada, mas tenta descansar mais nem todas as gravidezes são iguais, eu vou pedir a Catarina para passar lá por casa, está bem?- Ela concordou, Simon pode ser meio distraído para o mundo, porém quando o assunto é para Izzy e Cecily ele está sempre atento como agora ele estava focado no que o Magnus estava a dizer a Izzy, por isso eu sei que ele vai fazer de tudo para Izzy descansar.

Quando toda a gente tinha saí, fico eu e Magnus sozinhos na sala.

-Bem, acabou oficialmente a Lua-de-mel. – Eu digo, Magnus afaga a minha face.

-Nós vamos esta sempre numa eterna Lua-de-mel, mas sim os problemas voltaram, eu estou com medo Alexander.- Isso era raro em Magnus, medo.- Mas, sei que vamos superar mais esta batalha.- Ele encosta a sua testa na minha e acaba por me beijar.

-Como vamos dizer as crianças?

-Vamos dizer a verdade, os nossos filhos são especiais e como os pais eles vão saber contornar e vencer os obstáculos que a vida lhes apresenta.

- Eu sei disso, mas eu ainda queria evitar mais um pouco essa parte.

-Vamos para casa? – Magnus

-Vamos.

***

Em Edom

Num quanto do salão uma mulher vestida em farrapos estava presa por uma corrente ao trono de pedra.

Este é o meu castigo. Por te sido tão mimada e temperamental.  

Eu que já foi chamada “Terra, Divina Mãe, que gera todos os seres e cria todas as coisas”

Já foi Danu, Deméter, Gaia, Nerthus, Erce, Erda, Hera, Mulher Mutante, Pachamama esses eram os meus principais nomes eu era adorada e glorificada por milhões. E claro que tudo isso subiu-me à cabeça. Então eu também vi os Encantes como ameaça e por medo que a história repetisse como nós fizemos aos nossos pais eu concordei em aniquilar os Encantes, antes de eles nos tentar destruir.

Mas quando a destruição começou eu não consegui e tentei ajudar, mas o povo e os seus soberanos não ouviram.

Então eu fui surpreendida por aqueles dois, um amor tão intenso e tão adorável.

Mas, eles interpretaram a minha mensagem erradamente. Eu não queria o sacrifício deles, eu queria que eles demonstrassem que com amor as guerras poderiam terminar e o povo encante teria paz outra vez.

Mas, o mal estava feito eles tiveram ser sacrificados então naquela confusão eu criei “A Maldição”

Então salvei e mandei as suas almas para o mundo outra vez para eles se encontrarem e viverem o seu amor mais uma vez.

Porém, os meus irmãos souberam o que eu tinha feito, e me julgaram fraca, então em conjunto tiraram a maior parte dos meus poderes e me confinaram na Terra como castigo.  

Sendo assim, a minha salvação também se encontra neles em Alexander e Magnus, e eu farei tudo para isso aconteça e que o amor vença desta vez contra tudo e contra todos.


Notas Finais


Desde já agradeço a todos por lerem.
Se tiverem interessados existe mais histórias é só carregar mais a baixo em, (Veja todas as Histórias)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...