História Um último Sentimento - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Aiden, Allison Argent, Derek Hale, Ethan, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Melissa McCall, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Peter Hale, Scott McCall, Theo Raeken
Tags Disputa, Lobisomens, Romance
Visualizações 13
Palavras 3.816
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Baile de Halloween, confusões à vista


Fanfic / Fanfiction Um último Sentimento - Capítulo 6 - Baile de Halloween, confusões à vista

 

Estranhei aquele alvoroço todo no colégio, quando cheguei na manhã seguinte, as garotas estavam em grandes aglomerações pelos corredores e vários cartazes tinham sido pregados nos quadros de aviso, não entendi muito bem aquilo tudo e me aproximei do quadro perto dos armários, teria um baile de Halloween, um baile à fantasia, eu não sabia se ficava feliz ou se fugia desse fato, e PIOR era que todas as garotas teriam que esperar seus pares convidarem, já sabia que seria convidada por quase todos os meninos, então nem me atrevi à chamar Scott ou Stiles, provavelmente eles iriam com Allison e Lidya. Suspirei, antes de virar e dar de cara com Liam.

- bom dia, Any – falou ele, com um meio riso.

- bom dia – falei, indo até ele, segurando na alça da minha mochila – baile à fantasia é?

- pois é, parece que essa coisa brega todo ano nunca muda – falou ele, suspirando, entediado – chegou agora?

- sim, bom, parece que só é brega pra nós, por que para elas – falei, olhando ao redor.

As garotas andavam ao redor, os garotos comentavam e rolavam até pedidos ali mesmo no corredor, para os pares já irem se formando, outros só confirmavam seus pares.

Ri e fui até meu armário, enquanto Liam foi até o dele.

- não vai ao baile? – perguntou-me ele, indo até seu armário, que ficava à uns quatro armários depois do meu.

- não sei – respondi, colocando meu material dentro da mochila.

- gostaria de ir comigo? – perguntou ele, de repente.

Fiquei estática, ir ao baile com o Liam? Provavelmente não poderia, não depois daquele beijo com Isaac.

- posso te responder depois? – perguntei, tentando disfarçar minha surpresa – Estou indecisa, caso eu resolva ir ou não eu te falo.

- claro – riu ele – tenho que ir, tenho aula de Filosofia agora, até.

- até – falei, vendo-o sair em meio a multidão eufórica.

- Isaac... – sussurrei, em dúvida sobre o tal baile, me voltando ao meu armário e guardando alguns livros, então o fecho e sigo pra aula de literatura.

Sentei na carteira e busquei meu material na mochila, até que alguém sentou ao meu lado, quando olhei era Isaac.

- Oi – falou ele, com um riso de lado.

- Oi – respondi, abrindo meu caderno e organizando meus livros.

- tudo bem? Olha... sobre o beijo... – eu neguei com a cabeça, fazendo-o se calar.

- aqui não é lugar para isso, deixa pra lá – falei, engolindo em seco, sem graça.

- não gostou do meu beijo? – perguntou ele, baixando um pouco o tom de voz, já que a Srta Murdone estava na sala.

- não me faça esse tipo de pergunta, por favor – falei, séria.

Ele virou-se para a frente, com um ar satisfeito por ter me feito corar. Suspirei e mantive o foco na aula, embora ele estivesse bem do meu lado.

Quando tocou o sinal, organizei minha mochila enquanto todos iam saindo, Isaac permaneceu sentado ao meu lado apenas me olhando, quando me levantei, ele disse:

- quer ir ao baile comigo?

- já tenho par – menti, sendo pega desprevenida, mas arrumando uma boa desculpa, o mesmo estreitou os olhos.

- quem? – indagou ele, curioso e chateado ao mesmo tempo. Não era tão difícil pra mim perceber as emoções repentinas de Isaac.

- é surpresa – falei, saindo. O mesmo bufou e seguiu atrás de mim.

- Any, pare com essas brincadeiras chatas, perguntei quem é seu par – falou ele, seguindo ao meu lado.

- eu vou com o Liam, ele me convidou hoje cedo – menti, revirando os olhos, em descrenç embora ainda não tivesse aceitado.

- Dunbar? Sério isso? – perguntou ele, com sarcasmo e deboche.

Parei, encarando-o irritada, não sei por que mas o sarcasmo dele me fez ferver de raiva por dentro.

- qual o problema, Isaac? Eu posso ir com quem eu quiser, certo? Então vou com o Liam sim – falei, por fim.

- só achei que gostaria de ir ao baile comigo – falou ele, seu tom não sendo mais debochado e sim enciumado.

- até mais – falei, dando as costas à ele, e saindo.

Adiante no corredor, vi a galera do time de Lacrosse saindo, haveria treino aquela parte da manhã até depois do almoço, certeza que as aulas não seguiriam normal aquela tarde devido a turma estar desfalcada, segui para a aula de Biologia, e ao ver Liam sentei ao lado dele.

- eu aceito ir ao baile com você – falei, rindo de lado.

- mesmo? – perguntou ele, surpreso – bom, achei que não aceitaria.

- sim, mesmo – respondi, satisfeita – não vejo por que não, você é um cara muito legal e eu quero ir ao baile com você.

- que ótimo – falou ele, animado – agora nosso trabalho serão as fantasias, alguma ideia para a sua?

- ainda não, mas eu pensarei e te digo – falei, pegando meu material.

As aulas seguiram, e no final do dia, peguei o carro e voltei para casa, me sentia cansada e só queria um banho e meu sofá, tomar um leite com nescau e descansar um pouco, virei na esquina da rua que eu morava, e estacionei bem na frente da garagem, minha mãe estava em casa já que seu carro estava do outro lado também, peguei minha mochila, saí do mesmo e o travei. Quando abri a porta, escutei minha mãe e Luca conversando na cozinha, segui pra lá largando a mochila no sofá, os dois estavam preparando o jantar, e eu logo fui recebida com beijos da minha mãe.

- saí mais cedo que você hoje, tampinha – brincou ele, me encarando enquanto cortava alguns legumes.

- percebi – falei, me ocupando com as panelas que fumegavam dançantemente no fogão, em fogo controlado.

- que bom que estão gostando do colégio – falou minha mãe, animada, seu tom demonstrando satisfação – isso é ótimo na verdade.

- mãe, terá um baile à fantasia no colégio daqui uns dias – falei, escorando-me na pia, enquanto pegava um copo para tomar um pouco de suco.

- que maravilha querida – falou ela, me olhando.

- baile à fantasia? Com quem você vai? – indagou Luca, estreitando os olhos, parando o que fazia.

- não te interessa, seu curioso chato – falei, guardando o suco na geladeira novamente.

Luca fechou a cara para mim, e nada disse.

- já tem par, filha? – perguntou minha mãe, com aquele olhar de “é o bonitão da casa em frente”, que eu entendi logo.

- tenho, mas não é o Isaac, mas esse não é o ponto! O ponto é, qual fantasia eu irei? – perguntei, em dúvida.

- vai de tomate – falou Luca, gargalhando de mim.

- vai se fuder idiota! – exclamei, séria.

- Ow! Já chega vocês dois, parem com isso – falou nossa mãe, com as mãos nos quadris, meio chateada pela momentanea resposta.

- eu vou tomar um banho – falei, séria, e sai da cozinha seguindo para meu quarto.

Entrei no mesmo, escorei a porta, tirei meu casaco, prendi o cabelo num coque e segui até meu MP3 ligando o mesmo, quando me afastei para verificar algumas coisas na escrivaninha, olhei para a janela e vi Isaac me olhando da janela do seu quarto do outro lado da rua, ele me encarou e eu sustentei o olhar vendo-o parado apenas me fitando, segui até a janela e fechei as cortinas, precisava deixar de gostar daquele garoto logo, embora já estivesse envolvida demais. Suspirei e entrei no meu banheiro, precisava esfriar a cabeça. Quando acabei, desci para o jantar, e quando fiquei sozinha na cozinha, enxaguei a louça e coloquei para escorrer no suporte, Luca juntou o lixo e deixou na porta da área de serviço que dava no beco do jardim para a calçada onde ficavam os latões, peguei os sacos e saí observando a pouca claridade que vinha das casas ao redor, dos postes e da lua alta, o céu estava parcialmente nublado, encobrindo a claridade pálida em vários pontos. Joguei os sacos pretos dentro do enorme latão, e ia me virar para seguir de volta para dentro, quando uma presença me barrou.

- o céu esta lindo, não? – aquela voz sempre me arrepiava por completo.

Me virei e dei de cara com Isaac.

Ele subiu o resto do gramado e se aproximou de mim, com um meio riso.

- esta sim – respondi, desviando dos olhos dele, e afastando-me um pouco.

 – desculpa pelo modo como tenho falado com você, não é por mal eu só... – ele parou, parecia diferenciar as palavras, realmente estava se desculpando.

Suspirei, e coloquei as mãos nos bolsos do meu casaco.

- tudo bem, deixa isso pra lá – falei.

- parece que voltamos à estaca 0 – falou ele, com um riso de lado, seu ar estava tranquilo e um pouco cheio de malícia, ele mexia comigo num nível absurdamente incrível, parecia um imã – e acredite, eu estou disposto à vencer qualquer coisa para ficar com você.

- Isaac... – começei, engolindo em seco quando o dorso da mão dele acariciou minha bochecha, me causando um violento desejo de provar do seu beijo de novo, mas reprimi aquele impulso impensado – melhor ficar longe de mim.

- não tenho certeza se ainda quero isso – falou ele, seu tom passando de um sério para um maleavel, parecia ter lido meus pensamentos.

- até amanhã – falei, saindo de perto dele, forçando-me seguir de volta pra casa, até ele me seguir e me segurar pelo braço, ao mesmo tempo que me puxou para si e me beijou, tentei afastá-lo, mas a vontade por aqueles lábios de novo me prendeu à ele, enquanto nossos lábios se encaixavam perfeitamente, aquele beijo nos consumindo, suas mãos apertaram minha cintura me fazendo ofegar e virou-me contra a parede fria da casa, nossas línguas travando uma batalha pelo gosto uma da outra, senti meu corpo esquentar e aqueles braços fortes dele ao redor da minha cintura me desnorteou totalmente, até um impacto fazer ele me soltar bruscamente e cair do outro lado.

- SOLTA MINHA IRMÃ, SEU FILHO DA PUTA – gritou Luca, partindo pra cima de Isaac, que desnorteado, não teve ação imediata.

- LUCA! – gritei, levando as mãos à boca, vendo meu irmão segurar Isaac pela gola do casaco, então fui até ele, segurando-o pelos ombros – LUCA PARA, NÃO, EI PARA!

- EU VOU MATAR ESSE FILHO DA PUTA – gritou Luca, me empurrando.

- SOLTA ELE, SEU IDIOTA – gritei, furiosa, até ver alguém se aproximar pela penumbra da calçada e segurar meu irmão pelos ombros, e afastando Isaac dele.

- o que esta acontecendo aqui? – perguntou uma voz minha conhecida.

Isaac encarou Theo com feições de poucos amigos.

- nada que te interesse!

- ESSE IMBECIL ESTAVA BEIJANDO MINHA IRMÃ – gritou Luca, descontrolado, ofegante de raiva, enquanto Theo ainda o segurava.

As feições do outro endureceram, e suavizaram de imediato ao me encarar.

- Theo? O que faz aqui? – perguntei, engolindo em seco.

- eu ia passando até ver a confusão, afinal meu tio mora naquela casa ali, o que esta acontecendo aqui? – perguntou ele, olhando de Isaac pra mim, e depois meu irmão e logo o soltando.

Luca bufou, fuzilando Isaac com o olhar.

- nada, exagero do Luca, anda vamos entrar – falei, chateada, puxando meu irmão pelo casaco, mas ele se desvencilhou de mim – ANDA, VEM!

Isaac o encarou, ignorando Theo com seu olhar sarcástico, parecia não querer dizer nada na frente do outro lobisomem.

- fica longe da minha irmã... ou eu vou te quebrar na porrada, seu merda – falou Luca, antes de se virar e sair, me puxando pelo braço, rumo a porta de casa.

Fui arrastada sem conseguir dizer mais nada, estava confusa demais.

Depois de discutir com Luca, simplesmente me tranquei no meu quarto e permaneci lá.

 

Alguns dias depois... 

Aquela noite parecia ser uma boa maneira de esquecer o que tinha me acometido aquelas semanas anteriores, ainda não estava falando com Luca e permanecia longe de Isaac, não por rebeldia, mas sim por que de alguma maneira ele afastou-se ficando sem nem ao menos me encarar, e meus pensamentos idiotas estavam me traindo, enquanto o carro seguia pela avenida iluminada, olhei pela janela enquanto o vento tocava meu rosto maquiado, estava fantasiada de vampira, tinha ficado maravilhosamente linda num corpet preto colado, uma saia justa e curta com detalhes vermelhos, uma capa em tons vermelhos e pretos estonteante com gola alta, minha maquiagem quem tinha feito foi Lidya, e quem finalizou minha fantasia foi Allison, que foi de diabinha, Lidya estava de policial e Malia de Branca de neve, fantasias que cairam bem nelas, afinal Stiles ia de Arqueiro verde e Scott de Zorro. Somente voltei à realidade, quando Malia estacionou o carro, e vimos o colégio todo decorado, cheio de alunos fantasiados tumultuando a frente do lugar.

- vamos meninas? Vamos arrasar – falou Lidya, saindo do carro – esse baile será melhor do que os dos anos passados, tenho certeza.

- percebi – falou Malia, rindo de lado.

- tudo bem, Any? – perguntou Allison, me encarando.

- claro, sim – respondi, me firmando sobre o enorme salto da bota preta. Minhas feições não combinavam com aquela noite animada, forçei então um sorriso.

Logo avistamos os meninos e Liam me olhou, surpreso, e não foi o único.

- Uau – Stiles me encarou, chocado, porém logo olhou para Lidya.

- para vai, estou normal – falei, rindo de lado.

- linda – disseram os três, de uma vez só, me fazendo corar.

- lindas as três – falou Scott, encarando Allison, com um riso de lado, quase babando.

- Scott, tem uma babinha aqui... – falei, passando por ele e mexendo no queixo dele, e saio rindo com Liam.

Depois de estarmos com nossos pares, entramos no colégio, a decoração estava maravilhosa, a maioria nos olhou surpresos devido as fantasias, eu quis me libertar aquela noite então fiquei bem à vontade ao lado de Liam, tudo estava perfeito, o baile começaria em alguns instantes então eu fiquei com as meninas enquanto os meninos foram buscar alguns drinks, estávamos conversando e olhando ao redor quando Theo apareceu.

- Oi meninas, Any? – indagou ele, me olhando. Estava fantasiado de fantasma da ópera.

- Oi Theo – falei, rindo de lado – gostei da fantasia.

-  obrigada, e você esta linda – falou ele, me olhando de cima à baixo. Percebi seu interesse.

- obrigada – respondi, sem jeito.

- sai dessa Raeken, essa é minha – falou Liam, chegando, sério – vai procurar seu par.

- calma Dunbar, é só uma conversa – falou ele, saindo de fininho ainda me olhando.

Ignorei e fui ficar com Liam e a galera. Porém as meninas perceberam que algo ali não estava bem, eu disfarçei e fui curtir o baile que afinal de contas começou ficar divertido, as músicas eram maravilhosas e diversas vezes tocou as minhas favoritas, bebi com as meninas, dançei com Liam, nos divertimos muito e percebi que ele é um dos caras mais legais que já conheci contando com Scott e Stiles, que pareciam meus amigos de anos. Todo mundo optou por fantasias descoladas, lindas, os casais dançavam e curtiam na pista de dança, o diretor falara ao microfone nos desejando uma boa festa, e toda a decoração estava perfeita, já passava da meia-noite, quando eu senti vontade de dar uma saída do auditório e tomar um ar, queria ir ao banheiro também, então segurei Liam pela mão puxando-o para um recanto.

- algum problema, Any? – indagou ele, me olhando, as luzes coloridas incidindo entre nós.

- nenhum, só vou ao banheiro e tomar um ar, já volto – falei, rindo de lado.

Liam era lindo, estava com as bochechas rosadas dos drinks que tinha tomado.

- quer que eu vá com você? – ele ofereceu-se, educadamente.

- não precisa, eu não demoro – falei, saindo entre a multidão que dançava, quando cruzei a enorme porta do auditório, a música eletrônica foi ficando abafada, caminhei pelos corredores meio pardos, a música ficando ainda mais distante, prendi meu cabelo e olhando ao redor, tirei minha capa e dobrei até que olhei para o chão e parei, havia uma máscara branca caida bem na minha frente, me abaixei e peguei-a, era a máscara de Theo. Olhei ao redor, confusa e nada me ocorreu, até que ouvi um uivo ao longe que foi capaz de cobrir o bafo eletrônico do outro lado do prédio e fazer meu sangue gelar, alguém estava de brincadeira se aproivetando do baile para fazer sustos, já que estávamos em Outubro e o tema fôra diversificado, ouvi passos vindos da direção contrária de onde eu estava e olhei atentamente para a escadaria que dava para o terceiro andar das salas de aula, engoli em seco recuando, se todos estavam na festa quem era que estava chegando e por que a máscara do Theo estava caída ali? Seria ele inventando alguma coisa para dar sustos no pessoal? Não pude responder nenhuma dessas perguntas até uma voz dizer:

- Sabe? Eu só queria que tivesse vindo ao baile comigo, mas quando fui te convidar percebi que um outro idiota que não é o Lahey, havia te convidado.

- Theo? – indaguei, tentando enxergá-lo, na penumbra do corredor adiante e da pouca luz que vinha da enorme janela de vidro.

- acho que poderíamos ter sido bons amigos se o Lahey não tivesse se intrometido, ou quem sabe... até algo mais – falou ele, surgindo na pouca luz.

- Não sei o que esta querendo dizer com isso, mas... não tenho nada contra você – falei, sentindo que não deveria estar ali.

Ele suspirou, rindo em seguida, parecia se divertir com alguma coisa que não notei de imediato.

- então por que os batimentos cardíacos tão acelerados? – perguntou ele, aproximando-se de mim, e quando a lua incidiu nele, seus olhos ficaram dourados.

Sem pensar um segundo que fosse, saí correndo pelo corredor até do outro lado, mas uma enorme sombra negra passou pelo outro corrdor à frente, parei ao ver aquilo e um medo absurdamente louco me tomou por completo, ao ver a sombra agigantar-se ainda mais, me precipitei para uma sala ao lado trancando a porta e minha respiração estava mais do que desregulada, então um pensamento me ocorreu: O uivo que eu e Luca tinhamos ouvido, a conversa com Stiles, estavam certos! Lobisomens EXISTEM e Theo é um deles! Quem mais poderia ser? Pois uma lente de contato não faria aquilo. Aquela verdade me acertou como um soco no estômago, não podia sair dali por que provavelmente havia um lobisomem dentro da escola e o pessoal na festa? As meninas? Liam? O que eu faria?

Abri uma pequena fresta da porta, olhando para fora, meu corpo tremia mais do que tudo, o corredor estava vazio, meu coração disparou me deixando em alerta, não daria tempo eu correr dali até o auditório com um lobisomem dentro do prédio, ele sentiria meu cheiro, provavelmente todos irão morrer, pensei mil coisas, antes de me afastar da porta e trancá-la. Peguei meu celular dentro do corpet e tentei ligar para Liam, só chamava; tentei Scott e deu desligado, aquele baile terminaria numa tragédia e eu precisava fazer alguma coisa, respirei fundo tomando coragem, já que eu tinha feito alguns anos de luta livre, tirei as botas para não fazer barulho, larguei a capa sobre uma das carteiras, prendi o cabelo num coque, e saí da sala olhando ao redor, corri para o outro lado e desci as escadas que dariam na saída, se eu chegasse no alarme de incêndio perto das portas de entrada poderia avisar à todos, corri um pouco mais depressa, até que no calor do momento, esbarrei em um peitoral forte que me fez cair sentada no chão, meio desorientada olhei e me deparei com Theo, mas não era de FATO o Theo, meu coração falhou em algumas batidas.

- não queria ter de fazer isso, Any – rosnou ele, aproximando-se de mim, seus olhos dourados me focando, as presas à mostra – você poderia ter sido minha garota, mas sua curiosidade te entregou, você é muito intrometida.

- M-Meu Deus... – sussurrei, estática, ainda caída ao chão.

Ele me segurou pela garganta me erguendo do chão com facilidade e me prensando contra os armários com certa força que ofeguei, segurei em seu pulso forte encarando-o, a pressão me fazendo sentir as forças do meu corpo irem embora, minha respiração tornou-se falha, e eu jamais teria chance alguma contra um lobisomem que eu jurei ser um humano comum. De repente algo o empurrou para longe, e eu cai rente aos armários tossindo e massageei minha garganta, desorientada, antes de tentar levantar.

- Any... você esta bem? – as mãos de Isaac seguraram meu rosto, enquanto eu o encarava, apavorada, lágrimas se formaram em meus olhos quando percebi o perigo.

- Isaac... – falei, baixo.

- saia daqui, vá – falou ele, me erguendo do chão e olhando por sobre seu ombro, para o outro que levantava mais à frente – corre!

- ele é um lobisomem – falei, assustada, encarando ele perplexa – vem comigo! Vamos sair daqui e chamar os outros.

Ele soltou minha mão, me fazendo parar.

- Any corra! Agora – falou ele, sério.

- CONTA PRA ELA, LAHEY! – gritou Theo, rindo debochado, vindo devagar em nossa direção.

- VAI! – exclamou Isaac, para mim, quando a indecisão me tomou por completo.

Era tarde demais.

Theo o segurou pelo ombro e o jogou para trás com tanta facilidade, que gritei de pavor me afastando, após bater contra alguns armários à frente, Isaac levantou curvando-se para a frente.

- T-Theo... – ofeguei, sem ação nenhuma.

- DEIXA ELA, RAEKEN! – gritou Isaac, em posição de combate.

- não é minha intenção agora – falou ele, voltando-se para Isaac.

Deixando a fúria tomar conta de si, Isaac encarou Theo e seus olhos tornaram-se dourados, observei tudo espantada demais para ter alguma reação ou sair dali, ao perceber que finalmente tinha feito o outro admitir que também era um lobisomem, Theo partiu pra cima de Isaac.

Vi os dois entrarem em combate, e levantei sem saber para onde ir, aquela luta estava interessante demais para sair dali, e somente quando Isaac jogou Theo contra a porta e o mesmo caiu com os destroços de madeira do lado de fora e virou-se para mim, recuei ao vê-lo totalmente o contrário do que eu estava acostumada, não o reconhecia mais.

Quando ele se aproximou, eu recuei rapidamente.

 - fica longe de mim!

- eu não vou te machucar, Any – falou ele, num rosnado baixo.

- fica bem longe de mim – falei, sentindo as lágrimas escorrerem por meu rosto.

Contrariando à si mesmo, ele assentiu e saiu pelo outro corredor.

Devido ao que tinha acontecido e o barulho da confusão, Liam apareceu junto com Lidya, Allison e Scott, eu não os encarei por que alguma coisa em mim dizia que aquela noite tinha sido mais real do que qualquer história de terror que eu já tenha lido na vida, tinha acabado com qualquer satisfação minha com aquele baile, minha vida agora virara um conto de terror onde o garoto que me odeia é um lobisomem e o que eu amo, também.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...