História Uma história cheia de aventuras! - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Eddsworld, Originais
Personagens Edd, Matt, Personagens Originais, Tom, Tord
Tags Matedd, Tomtord
Visualizações 61
Palavras 1.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Hentai, Sobrenatural, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Você precisa se divertir!


Fanfic / Fanfiction Uma história cheia de aventuras! - Capítulo 6 - Você precisa se divertir!

POV Tord

Eu e tom saíamos daquele lugar totalmente coberto de uma tinta branca mofada, enquanto eu dirigia ele tentava decubrir uma maneira de tmapar seu visto por causa do Sol, eu sorri e apertei um botão vermelho que ficava abaixo da tela onde ele consegui enchergar.

*Tom– eaí, me conta, como tá o Edd e o Matt!

*Tord– eles estão bem, mas ficaram bem depressivos quando descobriram seu câncer...

*Tom– e você? Ficou como quando soube disso...

*Tord– triste...Sozinho, e sem beijos...

*Tom– he...– quando chegamos na garagem, olhei para ele e levantei minha sobrancelha de forma curiosa– depois você nem vai mais sentir falta...– saí do carro, e tentei encontrar uma maneira de entender oque ele havia falado, mas logo entendi, então corei pacas, e ele riu da minha expressão e colocou seu braço envolta do meu pescoço– te amo meu demônio...

*Tord– te amo clássico e estúpido Tom....– beijei sua bochecha e entramos em casa, e fomos recebidos por abraços de várias pessoas, como a Tammy, Mandy, Eddyna, Tori, Edd e Matt– eaí pessoas!

*Matt/Mandy– o seu rosto está bem Tom?!

*Tom– hahahaha! Sabia que iam falar isso, e sim, ele tá bem, não pelo fato dele estar com uma máquina que parece um óculos que tampa os dois buracos do meu olho e a pele morta....

*Edd/Eddyna– não precisava falar isso! Eu vou tomar coca! Alguém qué?

*Tord– nope!

*Tori– eaí robô– diz Tori se referindo ao Tom–, se tá bem mesmo? Você mal sorriu quando chegou aqui, e sei que você gosta do abraço de Edd e de Eddyna...– eu fiquei com pouco ciúme, quando ouvi que ele gostava dos abraços de Eddyna e do Edd– o grandão, me conta....

*Tom– é só pelo fato de eu não poder tirar isso, e não poder enchergar nada sem eles, parece que eu estou preso, e seu sair dessa prisão não verei como é bom ser livre... Eu só preciso ir para algum lugar calmo... Eu vou para o porão, tchau gente....– Tom subiu as escadas, e sumiu em meio as sombras.

*Tord– sei que não é só isso... Tori, eu vou lá em cima, fica aqui e cuida dos meninos retardados e das meninas sem noção, ok?

*Tori– com todo prazer....

Eu subi as escadas e fui até o segundo andar,(porão ou sótão?)ao abrir aquela "porta" que ficava em cima do teto e quando a puchei veio uma escada junto, subi, e quando olhei para o final daquele sótão avistei uma janela, que tinha muita luz do Sol, e esse mesma luz estava focada em Tom, que abraçava suas pernas e cantava alguma música triste em inglês.

Andei até ele e sentei-me no seu lado e esfreguei suas costas, como forma de carinho ele se aconchegou em meus braços e fiquei fazer ndo carinho em sua cabeça, enquanto ele fechava seus olhos robóticos.

*Tord– pode me falar por estás assim?

*Tom– ok... É que, vocês ficaram tão tristes comigo, eu não devia ter subido naquele morro, eu sabia os riscos...

*Tord– olha, não foi culpa sua, nós iríamos descobrir seu câncer em uma hora, relaxa, nós te amamos muito, por isso ficamos tristes.... E eu fiquei com ciúme, porque você gosta dos abraços do Edd e da Eddyna e não dos meus....

*Tom– more– eu olhei para ele e o mesmo me beijou– eu gosto sim dos abraços deles, mas quando estamos nus e sedentos por algo, seu abraço é o melhor de todos– eu corei– e eu quero ele agora– ela me beijou e se levantou tirando lentamente minha calça, enquanto me beijava, eu sorri em meio ao beijo, e tirei seu moletom azul, enquanto o mesmo tirava o meu, aproveitei que ele estava me beijando e tirei sua calça, depois de muito tempo nós beijando ele deu mordidinhas em meu pescoço, e essas mesmas mordidas se tornaram chupões, que aos poucos se tornavam marcas roxas, eu gemia baixo enquanto ele fazia aquilo, depois passou para minha parte íntima e começou a tirar a minha box, e em pouco tempo ele a abocanhou, fazendo movimentos rápidos de vai e vem, eu já estava no ápice, então joguei meu líquido branco em sua boca, e ele fez questão de engolir, depois de mais algum tempo nós beijando eu repeti a ação que ele havia feito minutos atrás, só parei até sentir o seu gosto doce na minha boca....

Denovo, não sei como termina, então me desculpem homossexuais! E eu adoro vocês!

Depois de 2 horas transando, eu e ele cansamos e ficamos ofegantes, então saímos daquele porão e fomos tomar banho, entramos juntos então eu tranquei a porta e entrei no banheiro– porque já estávamos nus–, e ele repetiu a ação logo após de mim, abri o chuveiro e tomamos banho, ele não podia molhar aquela máquina que eu havia criado se não ela dava um curtucircuito,  então tirei, e coloquei uma placa de metal para tampar seus olhos, coloquei seu cabelo em baixo da água e lavei o mesmo, quando terminei de lavar ele se levantou– porque eu era um pouco mais baixo que ele–, e me beijou, tirou a placa e colocou a mesma maquininha no campo do olhos, e me beijou, então saímos do banheiro e nos secamos, coloquei uma bermuda e uma blusa regata vermelha, mostrando minha tatuagem, e para completar coloquei minha sandálias vermelhas, quando olhei vi que ele estava com uma blusa cinza e no meio estava escrito "I love you, my demon", também estava com uma bermuda que tinha uma malha que parecia a de moletom, e para completar o seus tênis xadres.

Abri a porta e saí, então fomos para a cozinha, Edd perguntou oque estávamos fazendo e o Tom respondeu "transando...", Eu corei, junto ao Edd, e o mesmo saiu todo envergonhado para a sala, eu bati no braço de Tom, e o mesmo sorriu.

*Tom– oque? Ele me perguntou e eu contei a verdade!

*Tord– podia falar para ele que era pessoal ou outra coisa!

*Tom– nã! Queria te ver envergonhado!

Eu rosnei e bati mais uma vez nele, e então fomos para a sala, e ficamos conversando com todo mundo.

Continua...


Notas Finais


Tomara que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...