História Uma História de Familia - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Arthur Weasley, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lilá Brown, Lucius Malfoy, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Ronald Weasley
Tags Casamento, Draco Malfoy, Drama, Harry Potter, Hermione Granger, Romance
Visualizações 62
Palavras 2.138
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente, td bem com vcs? Desculpe pela demora mais minha semana foi corrida, vou posta uma vez na semana, para assim ir adiantando os capítulos. Bem hoje teremos o tão esperado jantar com a Sra, Malfoy, como sera este encontro??Me digam o que acharam lá embaixo e até o próximo.

Capítulo 5 - Jantar


Hermione estava sentada em sua cama, lendo um livro que achou na biblioteca da casa, ouviu a porta sendo aberta e Draco ir para o banheiro, depois de um tempo ouviu novamente o barulho do loiro saindo. Levantou o olhar e parou observando a imagem de Draco em sua frente. Cabelos bagunçados, com algumas gotas caindo em seu torso a toalha amarrada a cintura e Hermione teve que admitir ele estava em ótima forma graças ao Quadribol. Draco percebeu que Hermione o olhava com o olhar de lascívia, por mais que ela nunca admitisse tal pensamento.

– Eu sei que sou gostoso, Granger. Não precisa ficar babando. – disse arrogante – você pode conferir isso tudo mais tarde - concluiu malicioso, tirando a toalha andando nu pelo quarto em direção ao armário.

–Não ande nu na minha frente seu pervertido! – Hermione falou virando o rosto.

– Por favor Granger nós já dormimos juntos a noite passada, não a nada que você não tenha visto, sem falar que agora somos marido e mulher é mais que normal que esta intimidade ocorra.

– Não me sinto confortável com isso.

– Pois terá que se acostumar querida esposa. – completou sínico – Agora vamos descer sangue-ruim, minha mãe já está para chegar.

Hermione suspirou derrotada, a convivência com Draco seria pior do que ela pensava.

– Você vai jantar com essa roupa? – o loiro perguntou com um olhar de desprezo para a roupa que a garota usava. Um vestido de alça florido um pouco acima dos joelhos, era simples e fresco, perfeito para o calor que estava.

– Jantar para os Malfoys é algo importante, sempre nos vestimos apresentáveis.

– Estou muito apresentável Malfoy, estou na minha casa e não vou me arrumar como se fosse para uma festa só para te agradar, se quiser desço assim, se não fico aqui mesmo e você enfrenta sua mãe sozinho – concluiu voltando para a cama.

Draco a segurou pelo braço e disse firme, olhando nos olhos da castanha

– Olha como fala comigo garota, não estou para brincadeira. Agora você querendo ou não, faz parte da família Malfoy, e não vou deixar que sua petulância e teimosia levem o nome da minha família para a lama.

–Te garanto que tem muitas outras coisas que levam o nome da sua família pra lama, e com certeza não é uma roupa simples ou a petulância de uma garota. – Hermione respondeu a altura enfrentando aquelas íris cinzas.

Draco levantou a mão em um gesto impulsivo, que muitas vezes viu seu pai realizar com seus elfos, Hermione olhou assustada para ele e tentou escapar. Draco pareceu despertar de seu transe e perceber os que estava prestes a fazer. Apesar daquela garota lhe tirar do sério e acabar com sua paciência, ele nunca bateria em uma mulher, ele não era esse tipo de homem.

– Vá logo Granger, faça-se mais apresentável ou fique assim, só saia da minha frente. – disse grosso para Hermione, que mais que depressa saiu da presença do loiro nitidamente nervoso.

Os dois estavam sentados no sofá da sala de visitas aguardando Narcisa. Hermione permaneceu com a mesma roupa que estava e Draco tomava mais uma dose de whisky sentado na poltrona em frente a garota. Percebia que Hermione o observava de esguelha quando pensava que ele não estava olhando, seu olhar era amedrontado, como se a qualquer momento ele fosse bater nela. Draco não gostou daquele olhar, o olhar de raiva e ódio já estava acostumado, mas o olhar de medo vindo das mulheres, não o agradava, decidiu que mudaria isso.

– Granger... – Hermione o olhou - Olha eu não ia te bater...eu só, perdi a paciência com sua implicância e chatice, mas não sou o tipo de homem que bate em mulher – Hermione olhou para o loiro analisando-o, Draco parecia sincero em suas palavras.

– Tudo bem Draco, só espero que isso não se repita porque se um dia isso acontecer, eu faço você ir para no St. Mungus de uma forma que nem sua mãe te reconheceria – respondeu séria.

– Ameaças de novo? Duas vezes no mesmo dia. Eu devo estar fazendo alguma coisa certa pra você me amar tanto assim, não é mesmo? – perguntou com um tom sarcástico com um sorriso zombeteiro em seus lábios.[MP1] 

-Não é ameaça. É um aviso – Hermione manteve o olhar sério.

Os dois ficaram se encarando e Draco notou que Hermione não estava para brincadeira. Conhecendo como a conhecia sabia que Hermione era inteligente o suficiente para muita coisa. Hermione observava como Draco estava tentando parecer calmo, mas aquele dia tinha sido estressante e a perspectiva do jantar com Narcisa não estava ajudando a nenhum dos dois.

– Senhor Malfoy? – o elfo interrompeu os olhares do casal – A sra. Malfoy chegou.

– Draco – Narcisa já entrava na sala indo abraçar o filho, nem notando Hermione no canto – Ah filho, você sumiu não me avisou onde ia, fiquei preocupada. – disse olhando para Draco como se para conferir se ele estava inteiro.

– Estou bem mãe. – ele respondeu.

– Que bom que está aqui. A Mansão não está sendo um dos melhores lugares para se ficar ultimamente. Só não saio de lá para não deixar o Lúcio.  – disse ainda olhando só para Draco – Fiquei surpresa e apreensiva quando me convidou para jantar dizendo que tinha algo importante para falar.

Narcisa virou-se para se sentar em uma das poltronas quando se deu conta de Hermione parada em pé próximo a lareira. Olhou-a de cima a baixo e expressou um olhar de desgosto e descrença.

– Por Salazar! O que essa sangue-ruim faz aqui Draco? – questionou o filho. Draco olhou para a mãe, suspirou e respondeu.

– Sente-se mãe – disse aproximando-se da poltrona em frente a ela, onde Hermione estava. – Esta é Hermione Granger...

– A maldita sangue-ruim que anda com o Potter e o traidor de sangue Weasley? Ela estava na batalha onde seu pai foi preso! Humpf,[MP2]  sei muito bem quem é esta sujeitinha. O que eu perguntei foi o que ela faz aqui. – disse nitidamente irritada.

– Ela é minha passagem para fora de Azkaban. Na verdade, nossa passagem para fora. Minha e sua mamãe. – disse olhando a mãe nos olhos e segurando suas mãos – Eu me casei com ela.

– Você o que? – Narcisa questionou incrédula – Como assim Draco?  Como você casou com essa sangue-ruim? Essa garota sem classe... essa sujeitinha feia, amiga daqueles traidores do sangue, povo nojento que quer nos derrotar, aqueles imbecis...

– Olha aqui! – Hermione disse alto e firme, indo de encontro com Narcisa que se levantou para encarar Hermione – Pode falar de mim, eu não me importo, mas não admito que fale dos Weasleys ou de Harry dessa maneira, a sra. ouviu bem? Eles podem ser pessoas humildes mas tem muito mais dignidade do que a sua família nojenta!

– Como você ousa dirigir a palavra a mim? Ainda por cima falar comigo nesse tom? Alguém como você nem ao menos é digna de tocar o chão que eu piso! Você é menos do que um maldito elfo nojento!

– Você é que é nojenta. Sua preconceituosa. Eu não faço a menor questão de estar na mesma sala com você. E é simples, eu falo com a boca. E também não respeito quem não me respeita, Quem me ofende tem a resposta em dobro. Sou sua nora agora, aceite isso.

– Draco, exijo que me explique isso agora! Como você traz está mulherzinha para cá? Ainda me diz que se casou com ela? Uma garota grossa, arrogante...

– Chata, irritante e muitos outros adjetivos – completou Draco – Acredite, isso também não me agrada, mas foi a forma que encontrei de nos livrar quando esta merda toda acabar.[MP3] 

Draco ficou a próxima meia hora explicando o plano para a mãe que ouvia tudo atentamente, Narcisa não gostou nada deste plano do filho mais viu lógica no que ele tramou, e por fim aceitou a situação. Mesmo assim ainda desprezava Hermione.

– Sonhei tanto Draco com seu casamento, com minha futura nora. – dizia triste – meus netos lindos e educados e agora você me casa com... isso – e lançava olhares a Hermione que permanecia calada, mas morrendo de vontade de voar em sua sogra e socar aquela cara nojenta até ver aquele nariz empinado arrastando no chão – Pelo menos saia para comprar algumas roupas dignas de uma Malfoy pra essazinha, você não pode ser visto andando com uma quase lixeira – completou snobe.

Hermione revirava os olhos e respirava fundo, ainda imaginando como seria divertido ver Narcisa sendo puxada para o lago negro pela lula gigante, e virando comida para o bicho.

– Ainda por cima, vai ter que dormir com essa coisa.

– Ah! Quanto a isso sogrinha, noite passada Draco não reclamou nem um pouco, e não me parecia nem um pouco enjoado com o fato de estar transando com uma, como vocês me chamam mesmo? – perguntou sínica – Uma sujeitinha de sangue-ruim. Muito pelo contrário, ele até elogiou meu corpo, não foi querido? – questionou com um sorriso falso para Draco que estava com o rosto rubro e tomava um gole de vinho para disfarçar seu constrangimento perante o olhar chocado da mãe.[MP4] 

– Draco! – Narcisa recriminou o loiro – Olha que sujeitinha vulgar! Dizendo essas coisas na mesa do jantar! – Narcisa parecia que ia ter um ataque.

– Falou o que quis, escutou o que não quis. – Hermione respondeu sarcástica.

– Draco fale alguma coisa!

– Você quer que eu fale o que mãe? Sou homem, tenho que aproveitar alguma coisa deste casamento, e quanto a educação da Hermione, ela foi criada com trouxas a sra. esperava o que?

– Meus pais me educaram muito bem, mas não gasto a educação que tive com pessoas que são indignas dela – respondeu no mesmo tom.

– Indigna? Você é a indigna aqui. – respondeu Narcisa – Sujeitos com sua descendência não deveriam nem se quer pisar no mundo bruxo.

– Não se esqueça que essa indigna aqui é que irá gerar seus netos Narcisa. E que é o meu testemunho que irá livrá-los de mofar em Azkaban.

Draco e Narcisa fizeram uma careta como se tivessem acabado de levar um crucio, parecia que só agora eles haviam percebido que a criança seria metade dela. Pela primeira vez durante aquela noite Hermione sorriu verdadeiramente.

O jantar seguiu calmo depois do comentário de Hermione, Draco pediu para a mãe contar só o necessário para Lúcio e que este informasse Milord deixando explícito que Draco estava disponível para quando ele quisesse melhores explicações. Narcisa deixou o filho prometendo que logo voltaria e nem se quer dirigiu um olhar para Hermione que ainda estava curtindo o momento em que fez Narcisa e Draco calarem a boca.

**

Hermione saia do banheiro já trocada para dormir quando Draco entrou.

– Você terá que melhorar seus modos Granger, temos uma reputação a zelar – falou Draco próximo a garota no meio do quarto.

– Eu quero que você e a reputação de sua família nojenta se explodam, estou pouco me importando com isso. – Hermione ia virar as costas para sair de perto de Draco quando ele a puxou pelo braço.

– Pois deveria, porque como você mesmo me recordou hoje pela manhã, agora você é minha esposa Sra. Malfoy, carrega o nome, como você mesma diz, desta nojenta família – falou Draco puxando Hermione para ainda mais próximo dele.

Draco cheirava o pescoço de Hermione e colocava leves beijos pela sua extensão, suas mãos desciam pelas suas curvas, enquanto Draco puxava Hermione para ainda mais perto dele a beijando com volúpia. Hermione sentia o beijo do loiro e como o mesmo estava animado, não poderia negar que o garoto tinha pegada e a aproximação dele por mais que ela não quisesse admitir a fazia pegar fogo. Enquanto ele a beijava ela lembrava das sensações da noite passada, e o fogo aumentou ainda mais, mas também veio em sua mente o dia que teve, a briga com Harry e os Weasleys, com Draco e o jantar com a Narcisa. Hermione ajuntando todas as suas forças empurrou Draco para longe.

– Não Malfoy!

– Não? Como assim, não? – perguntava incrédulo.

– Não é não! – Hermione ia se afastando dele.

– Você é minha esposa, eu exijo que você transe comigo – Draco disse irritado.

– Você acha que é assim? Você me destratou hoje o dia todo, me desrespeitou me tratou pior do que lixo. Você e sua mãe nojenta. E agora você quer me levar pra cama? Me faz um favor? Vai se ferrar Malfoy! – Hermione pegou a varinha e foi para o quarto em frente.

– Você não pode fazer isso Granger! Nós temos um acordo – o loiro gritava na porta do quarto.

Hermione abriu uma fresta da porta com a varinha em punho.

– Bem, eu fiz. E se você ousar tentar entrar aqui, eu te lanço uma azaração tão forte, que você não vai conseguir engravidar alguém nem mesmo em seus sonhos. – e bateu a porta com força.

Draco ficou ali parado por alguns instantes completamente sem ação.

– Domar a sangue-ruim não vai ser tão fácil quanto eu pensava.  – disse indo para seu quarto, furioso. 

*********************

 


Notas Finais


E ai como foi? Hermione não abaixou a cabeça,amei escrever este capitulo. Ate o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...