História Uma semideusa um pouco diferente - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Grega, Percy Jackson & os Olimpianos
Tags Deuses, Mitologia Grega, Semideuses
Visualizações 5
Palavras 619
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Hey demigods! Turu bom?
Quanto tempo!
Bem eu estou bem desanimada para postar os capítulos ent vai demorar um pouco para que eu lance outro capítulo. O motivo? Simples, não estou sentindo um crescimento. Claro que tenho que ter paciência. Mas... sla. Não estou tendo o incentivo de vcs leitores. Por isso peço que comentem e compartilhe a fanfic se possível. Muito obrigado pela paciência e interesse.❤
Boa leitura!

Capítulo 17 - Caçadoras


- O que significa isso, Laurie? -Perguntou Téo.

- Pergunte ao Vitor! -Respondi.

- É uma grande história. Ai! -um cipó enrolou no Victor.

- Ei! – Disse Claire quando outro cipó se enrolou nela e a suspendeu no ar assim como Victor.

Dois cipós prenderam minhas pernas no chão. Acabou que todos nós ficamos presos.

- Téo! O que é isso?

- Parece que é uma ninfa dríade. Ela ataca todos que a “machucam”. As vezes ela faz pequenos testes para testar a humildade das pessoas.

- A flor! Era um teste! Como uma flor como aquela estaria aqui? Ela vive em lugares tropicais. -Eu disse enquanto eu estava sendo sufocada pelos cipós.

- Peça desculpa para ela! -Gritou Hanne se dirigindo a Victor. – Eu sou muito linda para morrer sufocada por cipós de árvores secas.

Depois disso pareceu que o cipó que enrolava Hanne a apertou um pouco sua cintura.

- O que? Porque devo pedir desculpas?

- Pode dar certo! – disse Lee.

- Faça qualquer coisa antes que meus olhos pulem para fora! -berrou Hig

Os cipós nos apertava cada vez mais. Comecei a ficar tonta. E agora? Minha visão estava começando a ficar embaçada. Morta por um cipó. Que merda! Antes de desmaiar eu vi uma silhueta de uma pessoa. Tudo ficou escuro. (Obs Laurie: eu odeio desmaiar!)

Acordei dentro de uma cabana, eu estava deitada em uma cama no chão. Não tinha ninguém perto de mim, só tinha uma bebida brilhante do meu lado. Onde eu estava? Ainda estava tonta para me levantar, mesmo assim tentei engatinhar para fora. Assim que pus minha cabeça para fora dei de cara com uma garota alta com os cabelos, curtos, escuros e uma mecha azul no lado. Ela tinha olhos lindos e parecia ter 16 anos.

- Você acordou! Como está se sentindo?- Ela me perguntou.

- Hum... inteira? Ainda estou sem forças para andar...

- Então volte para a cama!

- Mas onde estou?- Perguntei tentando procurar por pessoas do lado de fora da cabana.

- Você está com as caçadoras. Não se preocupe, todos estão salvos. Agora volte a sua cama e tentei dormir de novo.

Resolvi não insistir. Voltei engatinhando para a cama e me deitei com dificuldade. Antes da garota ir embora eu perguntei seu nome. Ela respondeu:

- Meu nome é Thalia.

Fechei meus olhos lentamente até cair no sono.

Voltei a tenda que eu sonhara aquela fez, com a garota me fazendo a proposta de ficar ou não com as caçadoras. Desta fez Thalia estava lá.

- Tem certeza? Não tome decisões com a cabeça quente.- A garota falou comigo.

- Escute você mesma por um instante.- Aconselhou Thalia.

Senti que eu falava algo mas não conseguia escutar o que eu mesma dizia.

- Ok então. Laurie, filha de Atena Deusa da Sabedoria. Você promete se comprometer as caçadoras pela eternidade?

De repente comecei a ver sombras escuras e acordei com um susto.

Jasmim estava em meu lado. Ela tinha um olhar calmo que estava direcionado as árvores de onde se conseguia ver e escutar galhos e folhas dançando de acordo como o vento mandava.

O tempo passou rápido. Quem diria que já fizera quase 1 ano sem ver meu pai. Pelo menos não fisicamente. Tenho sonhos com ele as vezes, sonho que somos uma família unida. Mas agora já era outono. Quando as folhas morrem para depois da temporada de frio voltarem a viver. Mas não são mais as mesmas. Algumas pessoas são como folhas. Elas mudam conforme a vida as cobra, direta ou indiretamente. Pena que nem todas são assim. Essas nascem e morrem e deixam por assim mesmo. Infelizmente conheci pessoas que mudaram demais assim, uma delas era Ana


Notas Finais


Espero que tenham gostado!❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...