História Unlimited Love II - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias B.A.P
Personagens Bang Yongguk, Daehyun, Himchan, Jongup, Personagens Originais, Youngjae, Zelo
Visualizações 11
Palavras 2.937
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - A sós, ShyJae


Fanfic / Fanfiction Unlimited Love II - Capítulo 7 - A sós, ShyJae

As fotos são antigas e eu não estava com a melhor das aparências. Por um momento isso me aflige e minhas mãos começam a tremer. Respiro profundamente e faço o que o psicólogo me ensinou. Em momentos de crise desafie seus pensamentos. Aperto minhas mãos e tento pensar de forma coerente. Me viro e olho pro Jae. Sinto que ele está com medo de minha reação.

 Eu te amo Jae, mas se você me deixar sair na rua vestida assim denovo. Eu juro que te bato.   — digo sorrindo.

Eu o abraço e sinto ele relaxar em meus braços. Sei que a preocupação de Jae e de todos é que eu surtasse de novo. Prometi a mim mesma que isso não vai acontecer. Embora eu internamente me sinta um pouco abalada não vou preocupa-lós com isso.

 Vai ficar tudo bem Jae. Eu não vou surtar. Eu te amo. Eu vou aprender a ignorar essas coisas.- digo a Jae.

“Eu sei bebê, eu sei. Eu vou estar sempre aqui pra você.”— diz Jae.

 Relaxa pessoal, eu estou bem. Eu não vou me estressar com essas coisas. Eu sei tudo que a Liz e o Bang passaram. Na verdade eu já esperava por isso. Está tudo bem.   — digo a todos.

Liz vem e me abraça. Mary, Ana e Emy também.

 “Nós vamos te defender assim como defendemos a Liz”— diz Mary.

“Isso mesmo. E se for preciso nós damos na cara de alguns.” — diz Liz sorrindo.

Eu sei, por isso amo vocês.  — digo a elas.

 “ Mas nós temos uma noticia boa também. Nosso menager nos deu vinte dias de férias. Menos pro Yongguk por que ele sempre vai ser escravizado. — Himcham diz bagunçando com Bang.

Bang olha sério para Himchan e ele para de sorrir. Esses meninos sempre me fazem rir.

 “Isso é serio Guk?” —Liz pergunta.

“E sim linda. Os garotos vão ter férias mas eu não. Triste né.” —diz Bang enquanto abraça Liz.

-“Aish por que eu tive que me apaixonar por um homem tão ocupado. Fala serio.”  — diz Liz  Mas tudo bem você vai me recompensar por isso. — ela completa

Todos conversam e planejam várias coisas para as férias. Mary e Dae vão para a casa dos pais dele. Ana e Zelo não consegue chegar a um acordo, pois como Yongguk ela vais estar ocupada com a faculdade. Himcham e Emy combinam com Gup e Thay de viajar para a ilha de Jeju. Eles convidam a mim e ao Jae mas eu tenho outros planos. 

Fico pensando em uma forma de fazer com que Jae relaxe e fique feliz. Quando penso sobre isso tenho uma idéia. Chamo Jae para conversar em meu quarto. Eu me recosto na cabeceira da cama e digo pra ele deitar no meu peito. Eu o abraço por trás e faço cafuné em seus cabelos.

 “ Ai bebê assim eu vou dormir.”    diz Jae fechando os olhos.

 Eu quero te pedir uma coisa. — digo a Jae.

 “ Voce pode pedir o que quiser mas primeiro eu vou te pedir algo. Não ria ta.”  diz Jae.

 Rir? Por que eu riria de você?  pergunto a Jae.

 “ Só não ria. Eu quero que você me chame de algo carinhoso. Docinho, amor, oppa. Sei lá.” — diz Jae.

Quando ele diz isso não resisto e começo a rir . Ele é tão fofo. Eu o aperto reinando com ele.

 Oppaaaaaaaa. Saranhae. —digo fazendo coração com os dedos para Jae.

“ Aish eu sabia que você iria rir.” —diz Jae fazendo beicinho. Eu o aperto mais.

 Neném, eu te amo tanto que quero te apertar até sair sangue. Seu fofo. — digo apertando Jae.

“Eu tenho medo de você.”  —diz Jae tentando fugir do meu abraço de urso.

Eu vou te chamar de todas as coisas doces que eu conhecer. Você e mais doce que tudo. Eu vou ter diabetes por sua causa.   digo sorrindo e o beijo.

 “ Você e minha princesa. Linda, cheirosa e gostosa. O que você ia me pedir bebê?”  — diz Jae.

Ah sim. Amor eu preciso ir pro Brasil resolver algumas pendências. Nada serio são assuntos da faculdade e sobre a venda da casa que Liz e eu temos no Rio de janeiro. Eu não quero que ela se preocupe por isso. Ela esta muito atarefada com a galeria. Então eu pensei que você poderia ir comigo. Otte?  —digo a Jae.

 “Viajar só nós dois? Pro Brasil? Existe algo mais perfeito? E claro que eu vou princesa.” — diz Jae animado.

 Perfeito. Temos que ajeitar tudo logo. Precisamos estar no Brasil em uma semana no máximo. Os compradores da casa marcaram com a Liz pra daqui a dez dias. Eu vou pegar minha transferência da faculdade para aqui. Vou começar música de novo no semestre que vem.  — digo a Jae.

 “Otimo, é isso que você precisa. Fazer coisas que você ama. Se dedicar. Você ótima.  — diz Jae.

Como você sabe? Você nunca me viu cantar ou tocar.   digo a Jae.

 “Claro que vi. Já ouvi você cantando no banho. Já vi você tocando na sala. E sei que você e boa por que você ouve uma música e decora a melodia de primeira sem precisar ouvir denovo. Não sei por que você nunca canta pra mim.”  diz Jae.

Você colocou câmeras na minha casa? Você nunca me viu em uma apresentação. Eu cantava em uma casa de show no Brasil. Nada grande mas eu gostava do ambiente. Eu não canto pra você por que prefiro que você cante pra mim, sua voz me acalma.  digo a Jae.

“Mas eu quero que você cante pra mim um dia, quando você achar que eu mereço.”  diz Jae.

 Eu não sabia que você queria me ver cantar amor. Um dia faço isso. Não por que você não mereça agora mas quando eu fizer vai ser muito especial.  — digo a Jae.

Ficamos namorando o resto do dia até Jae ter que ir em casa resolver os detalhes de nossa viagem. Em dois dias tínhamos resolvido tudo. Eu estava ansiosa para ir ao Brasil com Jae. Queria que ele visse como era o meu país, minha cultura. O Brasil tinha muitas coisas ruins, mas também muitas coisas boas. O povo brasileiro e acolhedor. 

Conversei com Liz sobre a venda de nossa casa no Brasil e também liguei para Vanessa, uma amiga brasileira, para que ela organizasse tudo para nossa chegada. Sabia que as fãs do B.A.P descobririam que Jae estaria no Brasil e queria evitar tumultos. Quando tudo estava resolvido nós partimos rumo ao Brasil. Depois de trinta horas de vôo eu estava esgotada. Quando chegamos no aeroporto do Rio de Janeiro havia algumas fãs. Jae acenou para elas com carinho. Alguns guardas do aero porto nos ajudaram a chegar em uma parte mais reservada do aeroporto. Vanessa esperava por nós lá.

“Até que enfim vocês chegaram, estou ha horas esperando.” — diz Vanessa me abraçando.

 O vôo atrasou na conexão da Europa. Eu estou morrendo de fome e de cansaço   digo a Vanessa.

“Imagino. Anda me apresenta esse homem lindo menina. Eu acho que ele já está derretendo coitado.” —diz Vanessa rindo de como Jae estava se abanando com uma camisa.

Peço a Jae que se aproxime e o apresento a Vanessa . Ela fala inglês fluente e consegue conversar com ele. Como Jae não fala português todo comentário que Vanessa fazia a respeito da beleza de Jae ela falava em português. Uma ou duas vezes ela o chamou de gostoso. Jae sem saber o que ela dizia só concordava. Vanessa é muito engraçada. Depois que conseguimos sair do aeroporto fomos para um hotel em Copacabana . Eu estava tão cansada que só queria dormir mas Jae tinha outros planos para nós.

 Eu preciso tomar um banho e relaxar.  digo a Jae jogada na cama

Jae me agarra com as pernas e me abraça como um urso. Eu mal consigo me movimentar. Ele me beija de leve na boca. Eu olho em seus olhos e sei que ele está apaixonado por mim.

 Cada toque que ele me dá me confirma isso. Jae me vira para que eu fique em cima dele. Eu beijo sua boca com intensidade e sinto seu pênis endurecer entre minhas pernas. Eu sorrio para ele de forma travessa. De repente todo cansaço foi embora.

Estou me sentindo quente aqui. Hum que tal um banho.?  —  digo a Jae fazendo charme.

“ E tudo que eu preciso bebê. Vamos para o banho.”  — diz Jae me carregando para o banheiro.

No banheiro Jae abre o chuveiro e a água e tão gostosa. Jae me puxa para baixo do chuveiro e enquanto a água corre por nossos corpos, nos beijamos. Jae me levanta e eu prendo minhas pernas em sua cintura. Ele me encosta na parede e começa a beijar meus seios.

 Todo meu corpo deseja que ele entre em mim. Quando ele começa a chupar meu seio eu mal consigo pensar, tudo que quero e fazer amor com ele. Eu começo a arranhar suas costas a cada chupão que ele me dá. De repente ele me põe no chão e se abaixa em minha frente. Jae põe minha perna direita por cima de seu ombro e começa a beijar meu sexo de leve.

 Eu fico tão enlouquecida com a sensação que mordo meus lábios. Quando Jae começa a me chupar, ele faz com intensidade. Eu não consigo parar de gemer sentindo sua boca em meu sexo. Sua língua entra em mim fazendo com que eu tente pressionar minhas pernas. Jae abre minhas pernas fazendo com que eu fique bem arreganhada. Jae intensifica os chupões em meu sexo me fazendo tremer e gemer ao mesmo tempo. Ele enfia sua língua tão forte que sinto que vou gozar a qualquer momento.

 Eu... te ...hum.hum. amo Jae. Eu te amo Jae. Te amo, ... te amo.  — digo a Jae em meio a gemidos.

Depois que digo a Jae que o amo ele me chupa tão forte que eu gozo. A sensação de gozar na boca dele é perfeita. Jae levanta e me vira de costas. Ele levanta minhas mãos e as segura na parede. Ele entra em mim com intensidade me fazendo senti uma dor gostosa. Jae se empurra em mim uma e outra vez bem forte eu sinto que ele vai gozar e me lembro que não estamos usando camisinha.

 Amor você não pode gozar em mim sem camisinha.  — digo a Jae.

Jae se empurra em mim um pouco mais e antes de gozar ele tira o pênis de mim e goza fora. Ele me abraça por trás e beija o alto da minha cabeça.

“Se você não tivesse me lembrado nós já iríamos ter filhos.”  — diz Jae me virando para olhar para ele.

Nós vamos ter filhos mas não agora.  digo a Jae e beijo seu queixo.

 “Nós vamos? Serio? quer dizer que nós vamos nos casar? Você está me pedindo em casamento? É isso?”    diz Jae rindo.

 Eu não estou te pedindo em casamento. Você vai me pedir em casamento. E depois nós teremos lindos filhos mestiços.  digo a Jae.

“Olha você não pode me iludir ouviu. Falar em casamento é serio. Eu amo você. Muito. Quero mesmo ter filhos com você. Quero dividir minha vida com a sua. Quero te fazer feliz.”  — diz Jae olhando em meus olhos. Eu sei que ele não está mentindo.

 Eu te amo.  — digo a ele com todo meu coração . É a única coisa que consigo dizer.

Jae me ajuda a tomar banho e depois nos deitamos na cama para dormir. Eu ligo para Liz e aviso que cheguei bem. Jae liga pra mãe e pra Bang também. conversamos um pouco mas como estamos cansados dormimos rápido.

Já estamos no Brasil há uma semana. Esses dias fomos a restaurantes, visitamos pontos turísticos e assistimos a uma peça de teatro. Hoje decidi que deveríamos ir a praia de Copacabana. Faz tempo que não pego um solzinho. Na Coréia as pessoas não costumam ser como no Brasil. Não existe garotas de biquíni lá. 

Quando cheguei no Brasil a primeira coisa que fiz foi comprar um biquíni e um maiô. Jae não viu e isso vai ser engraçado. Sei que ele vai ter um treco quando me ver de biquíni. Me visto e ponho um vestidinho leve por cima do biquíni. Jae está de bermuda e camiseta. O hotel que estamos não é longe da praia de Copacabana então decidimos pegar um táxi. 

O dia está lindo. Logo que chegamos á orla alugamos uma barraca de sol. As ondas estão calmas e por ser um dia de semana não tem muita gente. Jae começa a arregalar os olhos quando algumas garotas passam perto de nós vestidas de biquínis fio-dental.

 “Pelo amor de Deus, me diz que sua roupa de banho tem muito mais tecido do que a delas.”    diz Jae abismado.

 Eu rio.

Amor, aqui é o Brasil. Todo mundo veste biquíni, relaxa. Meu biquíni é um pouco maior.    digo a Jae ainda rindo da expressão que ele está fazendo.

 “Deixa eu ver.”  — diz Jae se aproximando para olhar dentro de meu vestido.

 Para Young Jae. Você vai ver porque eu vou tirar meu vestido agora.  — digo afastando ele com as mãos.

Quando tiro o vestido Jae vê meu biquíni. Ele olha ao redor procurando olhares direcionados a mim. Jae fecha os olhos e senta na areia com cotovelos nos joelhos e o queixo apoiado nas mãos. Eu sento ao lado dele e dou um beijinho no seu rosto. Ele nem reage e continua sério.

Oppa, não fica chateado. Ei, olha pra mim.  — digo a Jae mas ele não olha.

Olha pra mim amor.   digo de novo. Mas ele continua chateado.

  Está bem então. Eu vou dar um mergulho e depois eu volto. — falo. 

Corro para água mas fico de olho em Jae sentado na praia. Enquanto mergulho algumas vezes um cara se aproxima de mim. Quando ele chega muito perto me assusto.

“Nossa gata. Você é realmente bonita. O que essa sereia faz nadando sozinha?   o cara diz.

Eu não estou sozinha. Meu namorado está sentado na praia.  — digo ao cara.

 “Aquele japa que está vindo na nossa direção?”  o cara diz vendo Jae vir em nossa direção com cara de poucos amigos.

Não é japonês é coreano.   digo e já vou caminhando pra encontrar Jae.

Saio da água antes de Jae chegar perto do cara. Ainda assim ele começa a xingar o cara em coreano.

 A primeira coisa que ele diz é “chugulle?” seguido de várias palavras impróprias para menores. Digo pra Jae se acalmar mas ele é bem barulhento quando está com raiva. O cara se aproxima com as mãos fechadas.

“Olha aqui japa, eu sei que você está me xingando no seu idioma. Eu te garanto que você não agüenta um cascudo seu magrelo. Cuida da sua mina e não deixa ela solta sozinha.”  — o cara diz a Jae e vai embora.

Jae não entende o que ele disse o que torna a situação engraçada. Ele continua falando alto como se tivesse brigando.

 “Aish. Aish aish por que você tinha que sair de perto de mim. Todos os caras estão de olho em você . Aish eu estou fervendo. –diz Jae chateado.

 Eu começo a rir dele.

 "Whe... hã... por que você esta rindo?”

Por que você é a coisa mais fofa desse mundo amor. Me dá essa boquinha bicuda aqui.  — digo a Jae e o beijo.

 “Aish... hajima. Eu estou muito bravo agora.”  —diz Jae.

Oppaaa miane. Você não tem motivos pra ficar chateado amor. Eu sou sua. Não importa quantos homens olhem para mim. –  digo a Jae de forma fofa e o abraço bem forte.

 “Diz isso de novo.”  — diz Jae.

Hum? Isso o que?  — pergunto.

 “Que você é minha.”   — diz Jae.

 Young Jae, eu sou sua. Só sua.   digo a Jae.

Jae sorri para mim e sei que ele não está mais chateado. Aos poucos ele vai relaxando na praia e começa a curtir tudo. Brincamos com uma bola. Tomamos sorvete e água de coco. Mergulhamos várias vezes. 

Como o Jae é claro sua pele começa a ficar bem bronzeada. Me preocupo de a pele dele ficar ardida mesmo tendo passado bastante protetor solar. Algumas fãs reconhecem e percebo que é hora de voltarmos para o hotel. Quando chegamos ao hotel tomamos banho para tirar o sal e a areia do corpo. Jae me ajuda a lavar os cabelos. E eu lavo os cabelos dele. Nunca tinha ficado tanto tempo a sós com o Jae. Essa sensação de parecermos casados me deixa feliz.

Eu adoro isso.  — digo a Jae.

“Isso o que?” —  Jae pergunta.

 Isso. Nós dois juntos, como se fossemos casados. É como se fizéssemos isso há muito tempo.  — digo a Jae.

 “Nós vamos fazer isso por muito tempo. Eu nunca vou te deixar. Está ouvindo? Nunca.”  — diz Jae.

Depois do banho nos arrumamos para dormir. O dia foi cansativo e Jae está com a pele super ardida do sol. Da varanda de nosso quarto, há uma vista linda. A cidade brilha a noite. Lembro do lugar que Jae me levou no nosso encontro. Lá era tão brilhante quanto aqui. Lembro também de quando morava aqui sozinha. Passava muito tempo fora de casa pois me sentia triste por não ter ninguém em casa me esperando. Tantas coisas mudaram. Agora moro com a Liz e as meninas. Os caras estão sempre lá em casa. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...