História Vai cobrar o aluguel? - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags 2jung, Híbrido, Hopekook, Hopev, Junghope, Seoktae, Taekook, Taeseok, Vhope, Vhopekook, Vkookbrot, Vkookfriendship
Visualizações 231
Palavras 1.440
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei amados meus, preparem o forninho

Capítulo 4 - O leãozinho tarado e o coelhinho também


Fanfic / Fanfiction Vai cobrar o aluguel? - Capítulo 4 - O leãozinho tarado e o coelhinho também

HoSeok chegou cedinho, na realidade, se dependesse daqueles dois e até dele mesmo ele nem teria saído pela manhã daquele apartamento, quanto mais ter esperado tudo aquilo para voltar para o junto deles. O ruivinho de sorrisinho doce e inocente prezava demais pela companhia daqueles rapazes e fazia de tudo que podia e que não podia para agradar aos dois, mesmo que de uns tempos para cá, mesmo que ele não notasse, o que agradava aos seus “inocentes” meninos era uma coisa que ele tinha no meio das pernas e, com certeza, atrás de sí também. E ele descobriria isso, mais cedo ou mais tarde.

E naquela noite, nada mais o animava, do que a ideia de comer juntos de seus meninos e poder alimentá-lo com o bolo de sorvete que levava para os mesmos. Ele acreditava fortemente que seria recebido da forma mais docinha do mundo e que seria uma refeição tranquila e que até rolaria um cineminha em casa, onde eles poderiam ver uma animação ou até mesmo um filminho romântico. Estava torcendo para que Taehyung e ele ganhassem na escolha do filme, já que se dependesse do Jeon veriam filmes sangrentos ou de terror a noite toda. Esses eram seus planinhos, quando animado e saltitante chegara na casa dos meninos com seu bolo não. Mas bem… não foi bem isso que aconteceu. Primeiramente eles estavam vestidos para matar, com blusas sociais frouxinhas e de cores claras e um jeans parecendo um couro tão colado que HoSeok podia ver o que achava que não queria ver. E segundo… as intenções deles não eram tão boas assim.

Já estava com mais ou menos meia hora de que havia chegado, sentado naquela mesa, tendo os dois mais novos, um de cada lado, cada um com a mão grande – porque aqueles meninos eram bem desenvolvidos – em sua coxa firme, porém pequena demais para uma tara tão grande. Taehyung fazia um movimento mais tímido, subindo e descendo da metade da coxa até seu joelho, mesmo que sua cauda estivesse se roçando perto demais de onde não devia. Já JungKook era bem mais ousado, sua mão estava na parte interior da coxa do mais velho, dando ali leves apertos, isso quando não estava roçando seus dedos perto da virilha do ruivinho.

HoSeok estava suando, com as pernas trêmulas, as mãos mal conseguindo levar os hashis a boca, a mente tentando a todo custo não pensar bestese controlando para não arfar e não sabendo se devia ou não pedir que aqueles meninos parassem com aquilo. Mas estava tão gostoso, mas tão gostoso que ele se sentia até mal por achar que aquele “carinho” – segundo seus saengs – fosse tão errado assim. Tanto que nem conseguia se concentrar na comida bem preparada e temperada que JungKook havia feito para eles. Os carinhos se intensificavam, não lhe deixando nem se lembrar como é que se mastigava e houve uma hora que ele não conseguia mais conter um gemidinho sôfrego que escapara assim sem querer. E foi incrível como aquilo acendeu ainda mais aquelas suas pessoas que já estavam mais do que acessos. TaeHyung assim como JungKook já estava durinho e quando o gemidinho de seu hyung foi captado por sua audição apurada não teve outra, eles queriam aquele corpo nu de um jeito ou de outro.

– Hyunguei, você não quer me alimentar? Seu leãozinho está com fome. – TaeHyung se aproximou perigosamente do ouvido alheio, não evitando mordiscar a ponta da orelha bonita daquele hyung que se estremeceu todo e tragou em seco sentindo o corpo quente.

– Cla-claro TaeTae-ah. O que meu saeng quer comer. – JungKook olhou feio para o Kim que fez um biquinho de quem pensava no que queria, tão cínico ao ver do mais novo que o fez querer competir com aquilo na hora. Não seria naquele dia que ele teria o amado hyung só para ele.

– Eu também quero hyunguie, me dá de comer. Coloca na minha boquinha que eu gosto de chupar. – aquela frase soou tão erótica de um jeito que HoSeok já estava começando a rezar para tentar purificar a sua mente.

– Você também quer que eu coloque na sua boquinha? – infelizmente aquela frase saiu. Mas saiu toda dengosinha, gemidinha e com uma entonação que pôs mais loucura na mente pouco sã de TaeHyung.

– Ah, hyunguie, não vale. Eu pedi primeiro e eu amo dar uma lambidinha. Se você me der de comer, além de comer gostoso eu ainda lambo todinho antes, bem lentamente. – o tom naturalmente rouco do loirinho deixou a mente do mais velho em outro plano. Ele estava incendiando e os apertos começaram a ficar ainda mais fortes e a serem mais bem aplicados. E parecia que o Kim não estava tão contente só com aquilo, fazendo com que sua cauda espertinha começasse a roçar aonde ele queria roçar outra coisa, já que a cadeira tinha uma leve abertura atrás e o Jung estava empinadinho demais.

– TaeTae… – arfou sem querer o ruivinho. Não estava aguentando aquele roçar, tinha de pedir para parar ou para se meter logo de uma vez.

– O que foi hyunguie? – o tom inocente era um combustível para a perca de sanidade de HoSeok. Aqueles meninos queriam lhe por louco.

– Sua cauda neném. – HoSeok tragou em seco ao sentir uma mão do Jeon lhe acariciar, agora, a cintura.

– O que tem ela hyunguie? – disse dengoso. – Ela está quietinha, quietinha. – De quietinho ali só a comida em cima da mesa, mas esse detalhe já estava deixando o mais velho prestes de ter uma erupção.

– Se me deem licença eu vou ao banheiro. – de forma abrupta e desesperada o mais velho se levantou fazendo com que as mãos e cauda saíssem de seu corpinho indefeso e correu para o banheiro, que ele já sabia bem aonde ficava.

– Olha o que você fez seu idiota. – o coelho relou indignado. – Tinha mesmo de ser tão agoniado e tarado assim? Ele fugiu da gente. E se ele não quiser mais voltar.

– Eu? Olha quem fala, eu vi suas mãos nele também, nem adianta dizer que não. – o Kim bufou e cruzou os braços. – E claro que ele vai voltar seu idiota. Ele não vai sumir pelo vazo não. Ô mentecapto. – JungKook o imitou com uma vozinha nada madura. Cruzou os braços também e bufou. TaeHyung havia estragado tudo.

Ficaram ali por mais ou menos cinco minutos e nada do Jung voltar. JungKook já estava a tempos de chorar e Taehyung já roía os dedos, porque unhas não haviam mais ali. Eles nem se olhavam, só para a comida que mal havia sido tocada. Realmente tinham feito besteira? Perguntava-se internamente. Mas vejam bem. HoSeok é inocente demais ou melhor, acha que eles o são e mesmo com tanto tempo de investidas, com tantos olhares e até toques onde ainda não deviam o ruivo não parecia entender o que eles queriam consigo. Aquilo os deixava muito irritados e os fazia querer gritar. Era triste e ao mesmo tempo dava raiva. Eles queriam que o Jung notasse que o que eles queriam era mais do que aquele carinho. E depois queriam que ele soubesse que eram completamente apaixonados por ele. Tanto que já não se imaginavam mais vivendo sem o outro. Suspiros e mais suspiros até um deles ter uma ideia.

– TaeTae hyung. Eu já sei o que fazer…

HoSeok estava no banheiro a um tempo, refrescando sua mente assim como ao seu corpo. Não queria avançar o sinal com aqueles meninos, mas entendia que eles não estavam ajudando em nada. O Jung gostava deles, gostava muito e queria que um dia, pudesse se declarar da forma correta e esperar que eles aceitassem seus sentimentos. Por mais que estivesse inseguro se os dois aceitariam. Não sabia se estava sendo egoísta ao querer os dois rapazes ao invés de apenas um deles. Mas não conseguia não gostar mais de um do que do outro. Amava TaeHyung assim como a JungKook, mesmo que gostasse mais de uma coisa de um do que do outro, mas nunca em tamanhos desiguais.

Assim, um tanto quanto refeito, o mais velho voltou para a sala que dava para a cozinha e naquele momento seu coração quase parou e seu pau pulsou com tudo naquela cueca apertadinha do Piu-piu com o que ele viu. Aqueles meninos queriam que ele tacasse o fodá-se em tudo mesmo, só podia. E que audácia deliciosa, que audácia... Tanto TaeHyung quanto JungKook estavam completamente nus, sentados um ao lado do outro no sofá, com os paus durinhos, sendo acariciado lentamente e com um olhar que o quebrou inteiro.

– E então hyung, vai nos alimentar agora? – disseram ao mesmo tempo com os olhares mais sacanas do mundo. 


Notas Finais


* Aquela carinha*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...