História Viagens, desilusões e... Eu - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Chenle, Doyoung, Haechan, Irene, Jaehyun, Jaemin, Jeno, Jisung, Johnny, Kun, Mark, RenJun, Seulgi, Taeil, Taeyong, Ten, Winwin, Yuta
Tags Abo, Alfa, Beta, Dojae, Jonhten, Markyong, Menção Red Velvet, Nct, Neo Culture Technology, Ômega, Seulrene, Taemark, Xiuchen, Yaoi, Yuwin
Visualizações 48
Palavras 1.755
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Escolar, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi, Yuri
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa ter atrasado para postar, mas é que o capítulo 8 ainda n tá pronto;-;-;;-;-;; e também tô com preguiça e blábláblá

Capítulo 8 - Avanço 7


Fanfic / Fanfiction Viagens, desilusões e... Eu - Capítulo 8 - Avanço 7

Durante a madrugada, claro que tivemos mais uma rodada e no momento estou exausto, enquanto há um demônio batendo na porta.

  - Senhores?- Fudeu! Afundo a cabeça sobre o peito alheio escutando as batidas cardíacas do hyung- Senhor Lee, seus appas os esperam para tomar o café da manhã- A mesma voz de ontem... Se eu descobrir quem esse ser é, ela vai estar encrencada. Sabendo que o encosto não vai sair até eu responder, suspiro fazendo desenhos invisíveis na pele do hyung com o dedo.

  - Okay- Grito com a voz rouca e escuto os passos-  Demônio, vai atrapalhar transa em outro lugar, mal comida- Uma risadinha se faz presente e olho para o rosto sereno do mais velho e meu coração falha como sempre quando ele sorri- Ah, hyung, te acordei?- Me bato internamente, ele nega e solto um suspiro aliviado .

  - Calma, mais paz no coração, ela só está fazendo o trabalho dela. Acordei tempo atrás... Vamos tomar café da manhã?- Engulo seco, fala isso com facilidade porque não foi você que se arrependeu profundamente de provocar diversas e diversas vezes. Nego rápido e com veemência.

  - Hyung... Minha bunda- Suspiro pelo constrangimento, ele entende concordando e me dando um leve selinho e sorrindo carinhoso.

  - Eu te ajudo, pequeno- Reviro os olhos sorrindo.

  - Okay, grandão- Sua expressão se torna maliciosa.

  - Depende de onde você fala- Sabia... Porra Taeyong, não pense com a cabeça de baixo! Depois de tomar um banho meio complicado e eu tentar dar uma de santinho, visto um moletom pra esconder as marcas e um short, empresto um par de roupas para o mais velho. Pelo meu corpo estar numa situação mais "frágil", aproveito e desço no colo do hyung, sou esperto!

  - Um coala?- Escuto Henry hyung perguntar em relação a mim... Não querido, isso é apenas o poder "ótimo" de estar dolorido.

  - Bom dia!- Omma sorri e intercala o olhar entre nós dois, eu que não consigo disfarçar, coro até o último fio de cabelo- Mark foi por baixo- Tira de conclusão e estende a mão na direção de appa- Eu falei, dar está no nosso DNA- Bufo sentando com o hyung do lado- E ainda somos ômegas, não sei de onde você tirou a idéia de: "Meu filho mais novo vai ser cabeça dura e ir por cima, o alfa não vai aguentar a pressão e vai deixar"- Imita appa- Você perdeu a aposta, depois vou cobrar.

  Ficam brigando e conversando enquanto appa tenta justificar a perda dele e pede ao menos um empate, até de repente, Henry hyung olha pra mim e Tae hyung.

  - Então... Camisinha! Usaram? Porque não sei se vocês lembram- Aponta pra mim- Ele pode engravidar- Engasgo com a saliva e começo a tossir mais e mais, eu esqueci disso! CARALHO!

  - O QUE? COMO ASSIM?- Appa grita pela minha reação, puxando o ar e respirando forte diversas vezes- Eu vou morrer, Min, me ajuda- Sussurra com os olhos arregalados e o omma revira os olhos achando graça de tudo e abraçando appa que passa a olhar para o nada e fazer drama.

  - Não tem chance alguma disso acontecer no momento, hyung, antes de terminar com tudo, eu...- Taeyong para de falar com o beliscão que dou em sua coxa.

  - Hyung, fecha essa matraca e come, falar isso é o suficiente- Sussurro e coloco na boca do mesmo uma bolacha. Escutamos mais passos e logo Seulgi e Irene noonas, seguidas de Haechan e Renjun aparecem, minha casa virou motel agora?!

  - Taeyong?- Irene noona fica com um ponto de interrogação quase que desenhado automaticamente na testa, não que estejamos diferentes dela, eu e Taeyong ficamos alheios à essa novidade.

  - Bom dia noona. Dormiram bem?- As duas trocam olhares sorrindo.

  - Como pode ser tão inocente?- Entendo a referência- Mas, está fazendo o que aqui? Qual é o quarto de visitas em que você ficou? Porque Haechan e Renjun estão aqui? Dormiu bem?

  - Como pode ser tão inocente?- Appa repete a frase de Seulgi noona.

  -  Dormir não é a definição mais certa- Irene noona solta um gritinho e corre animada até mim que apenas ficou comendo e se perguntando o que seus próprios appas têm na cabeça.

  - Cunhado! Ah, finalmente!!- Olho pra mesma tentando não sorrir.

  - Noona!- Omma ri da minha falsidade... Me respeita!

  - Ele gostou disso, só está fazendo sua típica ação de ser bunda doce, opa, no momento não dá- Reviro os olhos e ficamos conversando e Haechan nem quis me zoar, porque está no mesmo estado então apenas ficamos trocando dor.

  Em certa parte, Irene noona não colabora e fica falando de pessoas que se relacionaram com o hyung e etc... Quase que a mato mentalmente de novo, eu sei de tudo que ela falou, ou não me chamo Mark.

  Termino de comer, levanto chamando atenção e vou para meu quarto, não sou obrigado à ficar escutando mimimi, de tanta raiva, nem ligo para a dor em minha área baixa dolorida. O que o ciúme faz com alguém?

  - Mark?- Tiro o olhar da tela do celular e olho para o mais velho na porta. Ele a fecha e anda calmamente sentando na beirada em posição de índio virado para mim- Isso tudo é ciúme?- Pergunta rindo e faço bico deixando meu outro marido na cama e engatinho até Tae hyung, o futuro (marido).

  - Humpf, não gosto de escutar isso, hyung, e além do mais, já deixei bem claro que sei de tudo isso- Falo contra seus lábios e com uma mão boba, massageio seu membro e o mais velho arfa pelo contato, sorrio da forma mais inocente e aumento o aperto com o mais velho dando o primeiro gemido. Abaixo e desamarro o nó da calça moletom, tirando-a até metade de suas coxas... Vou "markar" meu território temporariamente.

  - Mark...- Hyung chama e ignoro, Taeyong levanta seu quadril para ajudar e abaixo sua cueca, vendo o membro com ótimas medidas começar a "despertar", só de imaginar o volume dentro de mim, minha boca saliva em expectativa.

  - Hm, daddy, o que você acha melhor: que eu o faça ficar duro dentro ou fora da minha boca?- Se ele quer brincar, que os jogos comecem. Faço uma expressão inocente com um sorrisinho, mas o sorriso é trocado por um bico (falso, claro) quando o vejo já excitado e etc- Poxa, queria tanto que fosse dentro- Dou de ombros depois de falar essa frase vergonhosa... O que estou fazendo da minha vida?!- Outro dia posso fazer isso, certo?- Concorda rapidamente e massageio a base, espero um pouco apenas para começar a tortura.

  Aproximo mais e lambo a pequena quantidade de pré gozo que começa a escorre e em seguida, lambendo também as veias que quase pulam pele à fora enquanto o mais velho tem a reação de xingar e arquear as costas, grudando seus dedos entre meu cabelo e fazendo pressão contra minha cabeça.

  Reviro os olhos pela impaciência de Tae e o abrigo em minha cavidade oral até onde aguento, tentando ir mais fundo e o que não cabe, uso uma mão, mas se acham que a filha da "putagem" acaba aí... HÁÁ, mero engano.

  Volto para cima novamente e apenas o falo fica dentro, esse com qual uso meus conhecimentos e testes feitos em pirulitos e ele solta um... Grito? Solto uma risada abafada sobre si e o mesmo geme.

  Começo em velocidade lenta vendo o hyung gemer mais e fechar os olhos em deleite, logo os abrindo de novo e mantendo contato visual comigo. Sua mão que está em minha cabeça, escorrega e para em meu rosto, este que é acariciado e continuo o torturando, "brincando" com seus testículos com a mão desocupada.

  Depois de um tempinho, tenho piedade e paro com o boquete, tirando minha boca do pênis do hyung e o olhando, ele fica confuso e pego sua mão já parada sobre o colchão e a coloco em cima de minha cabeça, vou deixá-lo se divertir um pouco, o torturei bastante por hoje.
  
  Engulo o máximo que consigo da extensão pulsante novamente e o ritmo é ditado pelo mais velho. Além da velocidade, os gemidos vêm com mais frequência e de forma mais alta. Por mais uma vez, seu mebro é de forma bruta é arremessado contra minha garganta e sinto um pouco de ânsia com pequenas lágrimas que seguro e minha boca dói por ficar tanto tempo aberta sem poder encostar os dentes no sexo do outro.

  Em pouco tempo, os gemidos e arfares denunciam que seu limite está chegando, e sinto o jato quente preencher todo o lugar engulindo o máximo que consigo com dificuldade deixando sem querer, uma pequena parte escorrer pelo canto da boca.

  - Oahh daddy, seu "leitinho" é o melhor! Pena que só teve isso- Falo em tom inocente mesmo com um pouco de vergonha e o hyung sobe sua cueca e calça novamente, ganho um carinho na cabeça e sorrio passando a língua sobre os lábios tentando achar mais resquícios do líquido... Estou seduzindo, licença! Não estou mentindo na frase quando disse que é bom... Estar apaixonado é uma merda, puta que pariu.

  - Hm? Que bom que gostou, baby, porque você vai tomar muito mais dele, caso queira, claro- Sorrimos maliciosos e ele passa o polegar no canto da minha boca, onde está sujo e lambo.

      Hyung deita de lado e me puxa, logo acolhendo em seus braços quentinhos e fico encolhido aproveitando o máximo do conforto e os lábios do outro.

  Criadas avisam que o almoço está pronto e descemos com os lábios inchados e vermelhos, cabelos bagunçados e roupas amassadas, tudo mostrando o que fizemos.

Ficam enchendo Taeyong hyung de perguntas e ele apenas sorri, dizendo que tinha sido o melhor ataque de ciúmes que já tinha visto e disse que estava vendo até mesmo unicórnios e arco-íris por todos os cantos.
 
  O que é bom, infelizmente, não dura por tanto tempo e o appa de Irene noona e omma do hyung insistem para que os irmãos vão para a casa de cada e de bônus, Irene leva Seulgi também. Haechan e Renjun fazem o mesmo e até Henry hyung saí com Zhou Mi.

   Bufo entediado e olho no espelho as marcas pelo meu corpo enquanto minha bunda e boca ainda doem um pouco por causa da mesma pessoa.

  Avanço do dia: Comprovação do trauma de uma criada por mim, melosidade entre eu e Taeyong e "consequências" de nossas ações (moon face).


Notas Finais


Flws


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...