História What a Feeling. - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Styles, One Direction
Personagens Harry Styles, Personagens Originais
Tags Adultério, Cleo, Cleopires, Harrystyles, Romance, Sonhos, Styles
Visualizações 96
Palavras 4.568
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - 12 - Thinking Out Loud


Fanfic / Fanfiction What a Feeling. - Capítulo 13 - 12 - Thinking Out Loud

As pessoas se apaixonam de maneiras misteriosas
Talvez apenas com o toque de uma mão
Bem, eu, eu me apaixono por você a cada dia
Eu só quero te dizer que estou apaixonado
(THINKING OUT LOUD - ED SHEERAN)


Harry Styles
Londres, 28 de Outubro de 2017
10h12min

Sinto alguém se mexer ao meu lado, e sei exatamente quem era. Abro meus olhos e observo o seu dorso nu, a mulher que anda tirando minha sanidade e roubando meus. Aquela que me trás aqueles sentimentos estranhos que me causam medo, por não saber em alguns momentos o que está se passando comigo. 

Um coração disparado e aquele insistente frio na barriga, minhas mãos soam e a vontade que tenho de sempre querer estar com elas em todo seu corpo é surreal. Ela suspira e se vira mais uma vez, o jeito que mexe deixa claro que seus sonhos estão a perturbando. 

Passo uma mão pelas suas costas e aproximo meu corpo do dela, abraço sua cintura e a puxo para mais perto de mim. Cheiro seus cabelos que tinham cheiro de seu xampu de morango e ali deixo um beijo. Ela suspira e seu sono volta a se tornar tranquilo.

Passamos a noite toda falando sobre vários assuntos. Entre risadas, beijos e carícias. Ela me faz bem e não há nenhum ser humano no mundo que possa dizer algo contrário. Ela me completa, e somente um "Hey amor" saindo daquele maravilhosos lábios ilumina todo o meu dia. 

Independente de todos os problemas que eu havia para resolver, nesse pouco tempo que ela tem estado comigo percebi que estaria ao meu lado em todos os momentos. Me apoiaria e me traria paz depois de um dia cheio e cansativo.

Depois de tanto procurar, eu acho que finalmente achei a pessoa certa para mim. Uma de suas mãos vão até a minha e as enlaçam, elas se encaixavam perfeitamente e isso me deixa impressionado.

Evelyn Ferreira, aquela linda brasileira de sorriso cativante e os olhos mais expressivos do mundo havia roubado meu coração, arrisco até a pensar que tenha sido naquela primeira noite em eu a vi naquela pista de dança, balançando seu corpo e dublando algumas músicas.

Cheiro seu pescoço e observo todo seu corpo arrepiar, era tão notável as reações que seu corpo tinha ao meu toque, que me fez sorrir. Ela se virou mais uma vez se ficando de frente para mim. Observo seu rosto, as pequenas sardas em seu nariz quase imperceptíveis, seus cílios longos com lábios carnudos que me deixar sem ar toda vez que toca os meus. 

Levo uma mão até seu cabelo e tiro uma mecha que estava em sua testa, acaricio seu rosto com meu indicador e ela começa abrir seus olhos. Aqueles olhos castanhos, traziam um brilho sonolento e são maravilhosos. Ela levou uma de suas mãos até um dos olhos e o esfregou, e logo após começou a se espreguiçar. 

- Hey amor. - Sua voz era sonolenta mas fez que com tudo dentro de mim se alegrar. Ela colocou seu rosto em meu pescoço e respirou fundo.

- Bom dia baby. - beijo seus cabelos e suas mãos começaram a acariciar minhas costas

- Acordado a muito tempo ? - senti ela dar um beijo em meu pescoço que me  faz arrepiar.

- Não muito. - Acaricio seu cabelo e sorriu. 

- É quantas horas? - Ela pergunta se afastando levemente de mim, olhei para o relógio no criado mudo.

- 10h23. - respondo. - Não é tão tarde, pela hora que dormimos.

- Eu nem lembro que hora fomos dormir. - deu de ombros.

- Passava das quatro. - beijo seu ombro acariciando sua barriga. - O que pretende fazer hoje? É sábado.

- Eu não sei. - suspirou. - Tinha planos com Claire, mas acho que ela deve estar com Niall hoje. 

- Ele vai ter que ir essa noite, amanhã ele tem um show na Itália. Então eu também acho muito provável eles estarem juntos. 

- Então senhor Styles, o que pretende fazer hoje? - Sorriu para mim e levou uma de suas mãos acariciando minha nuca. 

- Primeiro eu gostaria, muito, de beijar minha namorada. - falei colando nossas testas. - E logo depois acho que nós poderíamos tomar um belo banho juntos, naquela banheira que eu nunca usei. 

- Hmm, eu gostei. - nossos lábios se rossavam. - E depois?

- Depois quero a levar até a cozinha e preparar um belo café da manhã. - Lhe dei um selinho. 

- E você acha que vocês poderiam fazer algo mais antes desse belo café da manhã. - sorriu maliciosa e começou a beijar meu pescoço. 

- Tudo que ela quiser. - Puxo sua cintura colando seu corpo ao meu.

Nossos lábios finalmente se encontraram trazendo aquelas emoções maravilhosas dentro de mim.

(...)

- Não. - ela resmungou. - Harry pare com isso. 

- Eu não estou fazendo nada. - riu.

- Para de tirar foto minha. - coloca a mãos no rosto. 

- Você está linda. - ela me lança um olhar derretido. 

- Tudo bem, se você quer tirar fotos, tira. - deu de ombros - Mas vem aqui e tira comigo.

- Todo mundo está cansado de ver esse rostinho, eu prefiro só ter uma sua. - Ela vestia somente uma camisa minha e seus pés estavam descalço. 

- Eu quero uma nossa. - Veio até o mim que estava sentado numa das banquetas da minha cozinha e pegou minha câmera polaroide de minhas mãos se encostou em minha perna virou ela para nós e bateu.

- Essa sim, ficou uma foto linda. - olhou e me entregou, voltando para o fogão e olhando o forno.

Na foto ela olhava para câmera, com um sorriso maravilhoso. Meu rosto olhava para o seu e meu sorriso era marcado por minhas covinhas. 

- Essa vai sempre andar comigo. - me levanto e ando até ela a abraçando por trás - O que é isso que está fazendo mesmo ?

- É pão de queijo. - se virou e passou os braços por meu pescoço, mas logo os abaixou. - Detesto ficar sem calcinha. Eu não sei porque você teve que rasga-la ontem a noite.

- Eu estava excitado, além do mais as coisas ficaram bem mais fáceis hoje. - desci minha mão até sua bunda e apertei. 

- Deixa de ser safado. - ela riu ficou na ponta do pé e me deu um selinho.

Voltou a olhar para o forno quando o mesmo apitou. 

- Comi esse pão de queijo quando fui ao Brasil. - comento.

- Mas você não comeu o original. - Tirou uma forma cheia de bolinhas de dentro do forno. - Esse é a receita original, os pão de queijo do Rio e de São Paulo são secos, não só por fora como por dentro também. Mas o Mineiro, esse pão de queijo - pegou um e o amassou em sua mão - tem a casca crocante mas pro dentro, olha só... - se aproximou e puxou mostrando uma massa macia e amarela por dentro, me ofereceu metade. 

Mordi e vi realmente a diferença que ela falava, esse era muito melhor. Ela comeu e gemeu fechando os olhos me fazendo observa-la. 

- Tinha tanto tempo que eu não fazia essa receita. - seus olhos brilhavam. - Tem gosto de infância para mim. - sorriu - Quando eu era pequena, minha vó sempre fazia para tomarmos o café da manhã ou o da tarde. 

- Sei o que quer dizer, sempre que vou a Holmes Chapel minha mãe faz um prato do belo feijão inglês que me lembra a minha infância. É maravilhoso. - peguei mais um pão de queijo direto da forma.

- Existe outras coisas que lembram a minha infância broa de queijo, bolo de mandioca, bolinho de chuva e de arroz. hum... - gemeu jogando a cabeça para trás me fazendo morder o lábio, ela me seduzia até em momentos sem malícia. - Chega me dar agua na boca.

- Não sei o que são essas coisas mas se for tão bom como esse pão de queijo, sua infância foi maravilhosa.

- Ela foi, nós não tínhamos muito dinheiro e meu pai nunca foi de se lembrar que tinha filhos, minha mãe trabalhava durante todo o dia enquanto houvesse claridade. Eu e meu irmão passávamos o dia todo com nossa vó. Ela era aquela mulher maravilhosa, sempre estava ao nosso lado, nos dava bronca e nos levantava quando estávamos tristes. - Seus olhos se encheram de lágrimas, e eu achei lindo a admiração que ela falava de sua avó. - Uma vez... - ela riu. - Carlos e eu aprontamos uma das grandes, ficamos quarenta minutos ajoelhados no milho. Era o pior castigo para nós naquela época. - suspirou e deu ombros voltando a morder o pão de queijo.

- Vem cá. - a puxei pela cintura e a coloquei entre minhas pernas. - Segunda tenho que ir para casa, visitar minha família. Gostaria que você fosse comigo... - seus olhos arregalaram-se .

- Você quer me levar para conhecer sua familía? 

- Sim. - Dei de ombros. - Você já me apresentou seu filho, gostaria que conhecesse minha mãe formalmente. 

- Mas... - suspirou. - Eu não sei, tem Claire e eu não posso a deixar aqui sozinha.

- Eu não iria comentar, porque eu não sei se ela aceitou. Mas Niall comentou ontem comigo que iria convidar Claire para viajar os últimos dias com ele. 

- Eu não acho que ela aceite. - dei de ombros. - Ela morre de medo de relacionamento, se ela for com ele vão estar praticamente assumindo um.

- Vê com ela, não precisa me responder agora. Você tem até segunda de manhã. - ela assentiu.

- Harry? - me chamou e eu a olhei. - Eu estou com medo. 

- Pelo o que ? - acaricio sua cintura.

- Pode ser estranho o que vou dizer agora. - deu uma pausa e suspirou abaixando a cabeça e a colocando no meu peito.

- Hey baby, pode falar sobre o que quiser comigo, tudo bem? Sempre. 

- Tudo bem. - levantou a cabeça me olhando. - Eu tenho um sonho, desde que era adolescente fanática pelo grupo. No inicio eu achei que era só mais um sonho e que aquilo nunca ia se realizar. Um pouco antes de Alex terminar comigo, eu o tive. Foi angustiante acordar e não conseguir saber o que estava acontecendo. - se afastou. - A questão é que essa noite eu o tive novamente.

- E sobre o que é esse sonho?

- É com você. - eu assenti. - Nele você tem um olhar decepcionado e é angustiante, eu sempre tento dizer algo mas as palavras não se formam em minha mente e você vai embora. Eu estou com medo, eu não sei o que vai acontecer com nosso futuro mas eu definitivamente não quero ver você me olhando daquele jeito. - Eu assenti e a puxei para um abraço.

- É só um sonho Ivye, sonhos nem sempre são coisas que podem acontecer. Não precisa ter medo, independente do que acontecer, eu vou estar aqui. - olho em seus olhos quando digo as ultimas palavras. - A alguns dias atrás na primeira noite que eu estava em Los Angeles e a gente se falou por facetime, você se lembra? - Ela assentiu. - Você se lembra do que me disse no final da chamada. - ela afirmou novamente. - O que eu vou te dizer não é da boca pra fora então eu preciso que leve a sério. 

- Tudo bem. - mesmo nervoso eu precisava lhe dizer.

- Eu... - respirei fundo e colei nossas testas. - Você me conquistou em tão pouco tempo que não pude evitar, mulher, você é a dona dos meus pensamentos desde que eu acordo. Tinha tempos que eu não conseguia me sentir assim, tão ligado e apaixonado por alguém. - ela arregalou os olhos. - Eu estou apaixonado por você Evelyn, você já me tem por inteiro.

- Você... - Ela começou a dizer apontando para mim - Por mim ? - apontou para ela mesma.

- E como eu não estaria? - jogo seus cabelos para trás de seus ombros. - Você é uma mulher maravilhosa, então independente se esse sonho se realizar ou não, quero que se lembre. Meu coração é seu, e não ninguém nesse mundo que vá o tira-lo de você. 

- Eu também Harry. - Voltou a colar nossas testas. - Estou completamente apaixonado por você, acho que sempre estive. - mordeu seu lábio inferior contendo um sorriso. 

- Acho que estávamos destinados a nos encontrar naquele dia, naquele pub. - lhe beijei, antes de segura-la pela cintura e a levantar e a sentar na bancada - Se lembra do que eu disse? - desço os beijos para seu pescoço.

- Sobre ? - sua voz estava ofegante e sua pele arrepiada.

- Ser mas fácil. - segurei ambas as partes da camisa e abri deixando seu corpo a mostra. 

- Você também está bem fácil - desceu minha cueca que era a única coisa que estava em meu corpo antes de agarrar minha ereção e começar a me masturbar. 

Beijo seus seios enquanto estimulo sua boceta com meus dedos, a fazendo soltar leves gemidos de vez enquanto. A puxo para a beirada do balcão, e passou meu pau entre seus lábios vaginais molhados me fazendo gemer.

- Porra. - Ela puxa meus cabelos da nuca me puxando para um beijo. 

- Você toma remédio? - pergunto sem a mínima disposição para ir até o quarto buscar um preservativo.

- Sim, e também estou limpa. Faço exame todo ano. 

- Ah que bom. - me enfio nela de uma vez. 

Ela se deita um pouco para trás se apoiando em seus cotovelos, me dando uma bela visão dos seus seios. Os mesmos que ela segura enquanto invisto com mais força nela. 

Tudo estava mais quente, tudo estava melhor. Carne a carne é sempre melhor, sua boceta se aperta um pouco e eu levo minhas mãos até seu clitóris o esfregando a fazendo gozar. Suas pernas tremem em volta da minha cintura e seu gemido foi tão maravilhoso que tenho que sair o rápido de dentro dela e gozar sobre sua barriga.

Minha respiração que estava ofegante voltou a se normalizar. Ela ainda estava sobre seus cotovelos, se sentou e me beijou. Suas mãos passavam pelos meus cabelos e eu acariciava suas costas por baixo de minha camisa. 

- Precisamos de outro banho. - Ela sussurrou contra meus lábios, me fazendo rir e concordar. - E eu vou precisar de uma de suas cuecas.

- Pra que ? - pergundo franzino o cenho.

- Para vestir. - deu de ombros e começou a descer do balcão. - Eu estou inchada amor e dolorida. Sem mais sexo por hoje. - eu ri a acompanhando para o corredor.

- Irei fazer uma massagem nesse banho para ajudar. - abracei sua cintura por trás. 

- Nem pensar, suas mãos vão ficar longe da minha neném até amanhã. 

- Poxa. - fiz uma expressão triste - Queria tanto lhe dar uns beijinhos p ra ela sarar. - comentei e ela riu negando enquanto ligava o chuveiro.

Deus, por favor, me permita passar o resto da minha vida ao lado dessa mulher. 

(...)

- Como não? - ela negou mais uma vez. - Diario de Uma Paixão é o melhor filme já produzido. A historia é maravilhosa. 

- Eu não consigo gostar. - deu de ombros. - Eu sou muito mais Um Porto Seguro ou A Ultima música dos romances do Nicholas Sparks. 

- Então você vai ter que ver esse filme novamente, porque você viu errado. - Pego o Dvd a mostrando.

- Mas eu estou com saudades de assistir " Um amor para recordar". - fez bico. 

- Temos a tarde toda baby, podemos ver esse agora e depois podemos ver o que você quiser. 

- Tenho que falar com Claire. - Ela suspirou mexendo em seu celular enquanto eu colocava o filme. 

- Daqui a pouco você consegue. - lhe dei um beijo no rosto deitando ao seu lado. - Ela deve estar com Niall por isso o celular desligado.

- Ela nunca desliga o celular. - Suspirou.

- Relaxa. - a puxei para deitar no meu peito. - Está começando. - dou um beijo nos seus cabelos e ela começa a rodear a minha tatuagem de borboleta com a ponta do dedo.

Começo a prestar atenção na historia de Noah e Allie . Eu realmente acho incrível como ele luta pela mulher que ama até o seu ultimo suspiro. Não vemos amores hoje em dia com tanta força como o deles. 

- Meu Deus, se eu fosse homem não ficaria depindurado de uma roda gigante só para conseguir sair com uma mulher. - Evelyn comenta me fazendo soltar um riso.

- Você não acha bonito? Ele faz tudo para conquista-la. - acaricio seus cabelos. 

- Acho, mas isso dizer

que eu faria. - Da de ombros.

- Eu faria. - ela me olha com uma sobrancelha arqueada . 

- Você não me parece ser romântico assim

- Evelyn, eu te vi num bar e mesmo correndo riscos de você ser uma psicopata te mandei um bilhete e te chamei pra sair. - ela riu e levantou d sobrancelha. - Eu fui quase um Noah. - Ela gargalha.

- E eu fui uma Allie, minha primeira vez foi exatamente assim . - Apontou pra TV, e eu rio. - Eu não conseguia parar de falar, e doeu tanto. - nego e acaricio a cabelo dela.

Enquanto na TV Allie e Noah discutiam e terminavam ela suspirou. 

- É por isso que odeio os filmes que originam os livros de Nicholas Sparks. Foram 365 cartas e a vagabunda da mãe dela destruiu todas. - Ficou um silencio uns segundos. - Ele foi pra guerra, e se ele morresse e nunca mais visse a Allie. O amigo dele morreu, meu deus. 

Suspirou novamente me fazendo rir, me olhou e me deu um selinho. 

- Esse cara ta falando de casamento? Não, ela não pode casar com ele, ela é do Noah. ELA DISSE SIM? NÃO.

- Baby, você ja viu mesmo esse filme? - pergunto.

- Uma vez, em 2009. Não me lembrava que ele era tão frustrante. - se sentou. - Ela não casa com aquele bonitão né? Quero dizer, ele é bonitão mas ta na cara que é um babaca.

- Não baby, eles não se casam. - assim que acabei de dizer ela se deitou novamente.

- Ah que bom. 

(...)

- Eu odeio o Nicholas Sparks. - Evelyn disse limpando as lágrimas quando os créditos do filme começou a subir me fazendo rir. - Não ria. - me deu um tapa no braço.

- É só um filme e tem um final feliz. - dei de ombros.

- Harry, qual é a seu ponto de vista de um final feliz? - perguntou indignada. 

- Eles ficam juntos para sempre.

- Sim, mas estão mortos. 

- Vão ficar juntos para sempre no céu. - 

- Céu? Não existe isso de morrer e ir para o céu. - da de ombros e se levanta andando para cozinha. 

- Você não acredita em céu e inferno? - me levantou e vou atrás dela.

- Sim, eu acredito em céu mas não em inferno e não que as pessoas vão morar nele depois da morte.

- Então você não acredita que tenha vida após a morte?

- Não, para existir vida o cérebro tem que funcionar e quando a gente morre, ele morre junto então, eu acredito que deixamos de existir. - levantei uma sobrancelha. 

- Pensando por esse lado. - dei de ombros e bebi um pouco de agua e voltamos para sala. - Agora você escolhe. 

- Tudo bem hã... - mexeu na estante. - Amizade Colorida? - se virou com a capa na mão. 

- Pode ser. - sorri e peguei da sua mão colocando na TV.

- É o meu favorito. - sorriu se deitando sobre sim assim que me deite.

- Eu também gosto.


(...)

Evelyn Ferreira 

Londres, 28 de outubro de 2017
18h23min

- Poderia pegar a chave do quarto 402 por favor. - pedi a recepcionista do hotel, ela sorriu e assentiu se virando. 

Peguei meu celular e tentei ligar mais uma vez para Claire, seu celular estava fora de área o dia todo. Tentei ligar várias vezes mas não consegui saber nada dela.

- Aqui senhorita Ferreira. - Sorri e agradeço a menina. 

Ando até o elevador respondendo as mensagens de Bruno. Meu filho estava bravo por ter que ir ajudar na biblioteca hoje, em pleno sábado. 

Olho os botões e resolvo ir até o andar de Claire para ver se a encontro. Assim que o elevador para em seu anda e ando até a porta de seu quarto e começo bater sem para na porta.

- Claire você está ai? - continuo batendo. - Abre, eu estou preocupada.

Segundos depois a porta se abre, Claire enrolada no lençol e com os cabelos ruivos bagunçados sai. 

- Eu estou bem. - sorriu. 

- Eu te liguei o dia todo, você não é de deixar o celular desligado...

- Deve ter descarregado, não olho ele desde ontem a noite. - responde me fazendo sorrir.

- Niall está ai? - mesmo a pergunta sendo obvia resolvi perguntar.

- Sim, está. E você está com a mesma roupa de ontem e nos atrapalhando. - apontou para o elevador. - Desce, daqui a uma hora ou mais apareço no seu quarto. 

- Eu tenho que falar com você, não demora. 

- Não irei e eu também tenho que falar com você. Mas agora Tchau. - entrou e bateu com a porta na minha cara.

Em outra ocasião eu até teria me estressado mas nesse momento eu entendo. Meu celular toca em minhas mãos me acordando, é Harry.

- Hey amor já com saudades? - pergunto andando até o elevador. - Estou entrando no elevador pode cair a qualquer momento.

- Baby, descobriram qual é seu hotel. A porta está lotando de paparazzi.

- Como? - pergunto franzino a testa.

- Eu não sei, alguém deve ter seguido meu carro quanto te levei. - suspirou. - Isso é um saco.

- Não se preocupa amor, sabíamos que isso iria acontecer em algum momento. - saio do elevador andando até a porta do meu quarto. - Descobriram meu nome?

- Eu não sei, eu acho que não mas isso é questão de minutos ou horas. 

- Está tudo bem Harry, eu sabia que isso iria acontecer. Estou preparada. - ele respira aliviado. - Estava preocupado que eu ficasse brava?

- Sim. 

- Harry... 

- É que a maioria ficou ... você sabe, esses caras costumam ser muito invasivos. 

- Eu sei, não está nos meus planos sair hoje. Está tudo bem. - me jogo de costas na cama. - Estou pensando em dormir, você me deixou exausta e dolorida.

- Na hora você não reclamou. - podia ver o seu sorriso safado na minha mente, aquele mesmo sorriso de canto maravilhoso.

- E não estou reclamando agora. - Sorrio.

- Boa noite baby, sonhe comigo.

- Irei e você sonha comigo. - o sorriso idiota estava no meu rosto quando desligamos.

Suspiro e olho ao redor do quarto criando coragem para ir tomar um belo banho. Andei até meu closelt e peguei somente uma blusa e calcinha indo para a maravilhosa banheira que me aguardava .

(...)

Escutei batidas na porta quando procurava um canal para assistir, só podia ser Claire. Andei até a porta e a destraco a mandando entrar e volto para cama. 

- Primeiramente, eu quero dizer que você é a melhor amiga do mundo. - ela se jogou ao meu lado com um sorriso do tamanho do mundo.

- Eu sei nenem. - lhe dei um beijo no rosto e logo após um tapa. - Nunca mais me deixe preocupada daquele jeito. 

- Não irei. 

- Me conte tudo. - sorri desligando a tv.

- Ah Ivye, foi tudo tão mágico. - ela sorriu. - Quando cheguei até a mesa, ele já foi logo dizendo que aquela era uma fã maluca que o persegue desde da época que estava no the x-factor. 

- Que situação. - ela assentiu.

- E quando me sentei, ele disse que foi naquela mesa que eles estavam quando ele me viu, ele disse cada passo que eu dei aquela noite. Ele sabia até que bebidas eu havia tomado, disse que não conseguiu tirar os olhos de mim. - o sorriso estava trancando em sua face. - Depois ele me contou, como se sentiu todas as vezes que nos falávamos e no fim, disse que seu pedido de namoro naquela noite foi sincero, e disse que quer ficar comigo independentemente dos obstáculos que ele terá que enfrentar. No fim eu não me aguentei e joguei sobre ele.

- Que lindo amiga, fico tão feliz por você. - lhe abracei. - Harry me disse que está apaixonado. - soltei a bomba e ela tentou se afastar mas eu a apertei antes de continuar. - E quer me levar para Homes Chapel na segunda para passar alguns dias com a família dele.

- Puta que pariu. - ela gritou quando conseguiu se soltar. - E você vai não é?

- Não, sem chances. Viemos para essa viagem juntas, eu não irei te deixar.

- Eu sinto tanto amiga, você irá ficar sozinha. - fez biquinho. - Estou indo para a Itália com Niall em quatro horas.

- O que? - abri a boca chocada.

- Eu ia te dizer, mas você não me deu tempo. 

- Você vai me abandonar? Você é uma péssima amiga. 

- Não estou te deixando só, estou te deixando com Harry apaixonado Styles. - sorriu. - Evelyn, se joga. Até eu me entreguei. - levantou sua mão onde tinha um anel fino e discreto na cor prata.

- Não acredito. - arregalo meus olhos.- Claire Sant'ana namorando de aliança e tudo? O que essa viagem fez com você? Esse mundo está mesmo acabando.

- Estou morrendo de medo, logo voltaremos para o Brasil e eu não sei o que vai ser desse namoro a distancia mas... - deu de ombros. 

- Estou tão feliz por você. - suspiro.

- Eu também estou por você, aceite ir com o Harry. Ele quer te apresentar oficialmente para a mãe, ele quer mesmo deixar tudo mais sério.

- Eu tenho medo Clai, eu não sei sabe... O sentimento que eu tinha por Alex, não chega aos pés do que é pelo Harry. - olho para o teto e sinto meus olhos se encherem de lágrimas. - Eu custei a superar a separação com Alex, acho que só consegui quando ele apareceu na minha vida. Eu não sei se conseguiria superar novamente...

- Eu sei, mas independentemente do que acontecer você me terá ao seu lado, assim como eu sei que você estará por mim. - juntou nossas mãos as entrelaçando. - Essa viagem nos mudou, nos trouxe algo maravilhoso e acho que devemos aproveita-las sem pensar no futuro.

- Eu concordo. - sorriu.

- Promete que nos falaremos todos esses dias? 

- Sim.

- Eu volto a Londres na noite anterior a nossa volta. Aproveite Harry, eu irei aproveitar Niall. Só temos mais sete dias. 

- Prometo que irei aproveitar. - sorriu.

- De dedinho? - levantou seu mindinho.

- De dedinho.

Algumas horas depois ela se despediu e se foi viajar pela Europa em uma turnê com um cantor mundialmente famoso. 

Mandei uma mensagem para Harry confirmando a minha ida com ele para casa de sua mãe. E falei alguns minutos com Bruno. 

Adormeci um pouco após á meia noite, esperando ansiosamente o dia de amanhã para aproveita-lo ao lado de meu namorado, Harry Styles.

Continua


Notas Finais


Notas Finais:

AÊEEEEEE CLAIRE E NIALL NAMORANDO.

Nosso Harry se declaroooooooou, não foi um "Eu te amo" mas já foi quase kkkkkkkk 
Evelyn em Holmes Chapel? O que podemos esperar disso?

Estou tão feeliz. Beijos Elie. 😙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...