História Winter Day - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Originais
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Bangtan Boys, Bts, Drama, Frio, Hoseok, Inverno, Jimin, Jin, Jungkook, Kooktae, Kookv, Namjoon, Neve, Shipp, Taehyung, Taekook, Vkook, Yaoi, Yoongi
Visualizações 32
Palavras 1.581
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência
Avisos: Homossexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente!
Primeiramente, se tiver erros desculpe >.<
Segundo que, eu to planejando essa fic tem um tempo, mas até então não tive coragem de postar. Mas agora eu tive, depois de muito sangue suor e lágrimas, estou postando!
Espero que gostem, escrevi com muito carinho ^-^

Capítulo 1 - Primeiro dia de Ensino médio


Fanfic / Fanfiction Winter Day - Capítulo 1 - Primeiro dia de Ensino médio

Jeon Jungkook

Pouco antes das 6:30 da manhã. A janela está aberta, permitindo que todo o vento gelado de inverno entre pela mesma.
O vento bate em meus cabelos, fazendo-o balançar em certo ritmo e os bagunçando levemente. 
Lá fora, as crianças brincam, alegres, com sorrisos no rosto. Fazem guerras de bola de neve e lindos bonecos dessa massa branca. Sinto saudades da época em que o inverno também era um motivo para eu sorrir.
Nessa época eu costumava tomar chocolate quente com meus amigos, encher-me de roupas, brincar na neve e depois passarmos o tempo em frente a lareira. Mas então o tempo passou. O chocolate quente esfriou, as roupas envelheceram e o fogo se apagou, e junto se foi a minha alegria, voando junto com a neve.
Suspiro e fecho a janela, lembrar-me do passado é algo que há dois anos apenas me corrompe, e eu apenas cansei disso.
Caminho para meu quarto em passos lentos e largos. Abro a porta e me adentro no lugar, logo jogando-me na cama, esperando que tudo de ruim resolvesse também descansar, resolvesse dormir em algum canto da minha mente e não acordar nunca mais.
Onde estaria agora? Estaria vivo? Triste ou feliz? Está pensando em mim tanto quanto penso nele? Ou apenas me tornei uma mera lembrança?
Enquanto reflito em meus pensamentos, o despertador toca, me avisando que são exatamente 6:30 da manhã. em um suspiro audível, levanto-me bruscamente da cama, desejando que o tempo parasse, e de alguma forma eu parasse junto.
Pego minha mochila em algum canto qualquer do quarto, logo colocando em minhas costas. De longe, olho para o espelho em meu guarda roupa.

-Quanto tempo faz que você se deixou levar pela falta dele? 

Suspiro e fecho meus olhos, tentando ignorar aquilo.
Saio do quarto e caminho para sala, deixando o silêncio da casa me consumir. 
Abro a porta e caminho para fora, desejando que ser nenhum perceba minha presença por onde eu passe.
Hoje será o meu primeiro dia de aula de ensino médio, em uma escola nova, com pessoas novas... Céus! Como eu desejo que ninguém tente falar comigo, eu não estou em boas condições de fazer amizades, é algo que eu realmente quero passar longe. Talvez... Para sempre. 
Meus pés vão afundando na neve a cada passo que eu dou, denunciando para onde eu vou.
Andando pé por pé, cabeça baixa evitando contato visual, chego no colégio e sento-me em um banco qualquer por ali.
Abro minha mochila e pego um livro, logo jogo-a brutalmente no chão. Eu não vou ler esse livro, mas é a única forma de parecer ocupado, evitando que alguém tente se aproximar de mim.
Dois garotos, acredito que da minha idade, brincam de jogar neve um no outro, e acabam por se aproximar de mim.
Um de um lado, e o outro do lado oposto. No meio, eu. Tento ignorar os dois e manter-me concentrado no livro que eu não cheguei a ler nem a primeira frase, mas logo algo gélido bate contra meu rosto, fazendo-o arder e gelar ao mesmo tempo.
Os dois riem enquanto meus olhos se enchem, mas tento não dizer nada e continuar olhando para o inútil livro em minhas mãos. Eles saem correndo sem nem ao menos pedir desculpas.
Eu realmente pensei que as coisas seriam mais fáceis, porém, logo no primeiro dia é possível observar que não terei paz pelo resto desse ano e os dois próximos.
O sinal então toca, fazendo o som entrar em meu ouvido e balançar toda a minha cabeça. Eu realmente odeio o barulho desses sinais, acho completamente desnecessário.
Bufo de raiva e olho para cima, pedindo mentalmente que o responsável por tocar aquele sinal tivesse sua cabeça explodida pelo som alto.
Pego minha mochila no chão e caminho para dentro do colégio, em passos rápidos e apenas olhando para meus pés e o caminho que eu andarei.
Paro de andar e coloco a mão em meu bolso da calça, logo pegando um papel de dentro do mesmo. Abro e tento desamassar um pouco antes de ler o que está escrito.
"Sala 1-A armário 221"
Dobro novamente o papel e guardo no bolso.

-Não faço ideia de onde fica essa sala e esse armário-Falo comigo mesmo e bufo, enquanto volto a caminhar.
Distraído, acabo batendo a cabeça em um armário com a porta aberta.

-Desculpa!-Diz o garoto responsável pela porta aberta do armário.

Seus cabelos são castanhos escuro e um pouco enrolados. Seus olhos acompanham a cor de suas mechas e sua pele é branca.
Ele então fecha a porta do armário, trancando-a com uma chave e vira-se para mim.
Ele olha em meus olhos, o que me faz abaixar a cabeça. Penso em continuar a caminhar, mas ele me para continuando a falar.

-Machucou?-Ele sorri para mim, mas apenas não sorrio de volta.

-Não-Respondo seco, assim ele teria má impressão de mim e pensaria duas vezes antes de tentar ser meu amigo.
Ele pisca para mim e sai andando, me deixando completamente sem graça.
Reviro os olhos assim que ele vai embora e começo a observar os armários ali. Que incrível, um daqueles é o meu.
Abro o armário e coloco dentro do mesmo meu material que estava na mochila. Pego uma foto e fico a observando, cada pequeno detalhe. Cada olhar, cada toque, cada sorriso, cada cor. 
Nós sete, em uma mesma foto, no último inverno que ficamos juntos. Depois do que aconteceu, nenhum de nós nos falamos ou tivemos contato. Lembrar disso faz meu coração doer e se partir em mil pedacinhos.
Mas de todo ali, um se destaca. Há quanto tempo não vejo esse sorriso, esse rosto... Sinto saudade de tocar essa pele, ou afagar esses cabelos.

-Por que isso teve que acontecer?-Sinto meus olhos marejarem e logo passo a manga do meu moletom em meus olhos, eu não posso chorar aqui.
Colo a foto a foto na parte de dentro da porta do armário. Eu sei que olhar para essa foto todos os dias vai me destruir, mas eu apenas não quero esquecê-los, não quero esquecer o sorriso da pessoa que mudou minha vida.

(....)

O tempo todo eu apenas fiquei caminhando pelos corredores do colégio. Eu não queria entrar na sala de aula. Ser o aluno novato não é algo que me agrada, embora eu não seja o único.
Pela décima vez vou ao bebedouro tomar água, afinal, tédio me dá sede, muita sede.

-Por que não foi para a sala?

Levo um susto e acabo me engasgando com a água. Após o desespero, olho para o dono da voz e reconheço a pessoa.
olho para baixo, brinco com meus pés e suspiro. Eu realmente não entendo o porquê desse garoto estar na minha cola.

-Você é tímido?-Ele pergunta e solta uma risada fraca, me fazendo ter pequenos indícios de ódio por ele.

-Não vejo como isso pode te interessar-Respondo e volto a tomar meu caminho.

-Espera! Que sala você está?-Ele me segura pelo braço, fazendo eu parar de andar e o olhar

-Primeiro ano A-Viro o rosto para o lado oposto ao dele

-Eu também! Vem, eu te levo!-Ele começa a me puxar pelo braço

Tenho apenas vontade de gritar para ele me largar. Meu objetivo era não falar com ninguém, passar despercebido, mas parece que tudo o que eu planejei foi por água a baixo.
Quando chegamos em frente a sala, percebo que passei por ali diversas vezes, e nem ao menos percebi que essa era minha sala.
O garoto então abre a porta da sala, revelando-me para todos os alunos e o professor.

-Ele se atrasou por causa da neve!-O de cabelos castanhos diz enquanto me puxa para dentro da sala.

O professor simplesmente não se importa. Olha para mim e volta sua atenção para diversas papeladas em sua mesa.
Lá no fundo, há uma ultima carteira vazia.
"Perfeito, é ai mesmo que vou me sentar"-Penso
Caminho até a carteira vazia, desejando que ninguém me note.
A carteira fica exatamente colada com a parede, onde há uma janela. Então fico olhando para fora, olhando a neve cair lentamente no chão.
Eu poderia ter prestado atenção nas aulas, mas tudo o que fiz foi ficar desejando ser aquela neve, para que assim eu pudesse cair onde quer que ele esteja.
As aulas finalmente acabam, e tudo o que eu faço é correr dali, correr daquela escola, mesmo sabendo que correr não adiantará, pois eu terei de enfrentar aquilo de novo amanhã e todos os outros dias do ano.
Há um lugar que eu particularmente gosto muito.Vou para lá refletir, me distrair, relaxar, enfim, tentar fugir um pouco desse mundo.
É para lá que eu vou, correndo, sem olhar para trás. 
Embora a água esteja congelada e as árvores não tenham mais sua linda cor, o lugar continua me agradando. Na primavera esse lugar torna-se lindo. A água é cristalina, as árvores tem muitas flores de todas as cores, e isso é a única coisa que consegue me distrair por um tempo.
Sento-me exatamente no banco de frente para a água, e apenas fico ali, observando a neve cair enquanto ouço o som do silêncio.
Se eu pudesse fazer agora mesmo um desejo, eu desejaria que você estivesse aqui comigo. Me abraçando para espantar o frio, de mãos dadas comigo, enquanto apenas o silêncio habitaria entre nós. É tudo o que eu quero, mas como uma borboleta você voou para longe e me deixou, apenas com lembranças do que um dia vivemos.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
E esse Jungkook todo tristonho ai? :/ posso sentir a dor dele
Eu tbm odeio o barulho do sinal, talvez eu tenha me inspirado em mim mesma nessa parte? Kkkk
Bom, é isso! ^-^ beijinhos e até o próximo capitulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...