História Wish List (G!P) - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~ManiloverDinah

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Dinah Jane Hansen, Normani Hamilton
Visualizações 188
Palavras 1.370
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Capítulo IV


Fanfic / Fanfiction Wish List (G!P) - Capítulo 4 - Capítulo IV

Quando chegou ao apartamento de Normani, Dinah estava decidida a ter uma boa noite de diversão, já que ela estava cedendo, que pelo menos aproveitasse ao máximo a ocasião. Ponto final. Portanto, quando tocou a campainha e Normani a atendeu usando apenas um gorro de papai noel sem esquecer o belo destaque em seus belos cachos, e um avental com a inscrição Dê um beijo na cozinheira, Dinah largou a bolsa no chão e pulou em cima da negra.

-Puta merda! -pega de surpresa, Normani cambaleou para trás, mas conseguiu ao menos fechar a porta antes de se jogar no sofá mais próximo. Elas desabaram sobre o couro preto, uma linda mulher seminua e sua parceira para lá de determinada.

Montada sobre a negra, Dinah se inclinou para a frente e a beijou com ardor e a mais pura vontade, saciando um pouco de sua vontade, o cheiro dela tomou conta de seus sentidos, e seus mamilos endureceram, ficando dolorosamente pontudos.
Normani soltou um grunhido.
Dinah se sentou sobre sua volumosa ereção, um sinal claro de que ela também estava mais do que pronta para ela, remexendo no bolso da saia a loira tirou uma camisinha e largou sobre o peito de Normani.

-Põe essa coisa logo. -piscando os olhos surpresa Normani perguntou:

-Assim do nada? Oi tudo bem, vamos trepar?

-Está achando ruim? -Dinah falou em um tom sedutor.

-De jeito nenhum. - enquanto Dinah se ajoelhava para levantar a saia, Normani rasgou a embalagem do preservativo com uma pressa quase cômica, quando olhou para cima de novo, seu olhar foi direto para o meio das pernas da loira.

-Minha nossa Dinah... Você está sem calcinha.

-Ops. Eu devo ter esquecido de vestir. - a loira diz sorrindo com deboche, prendendo a bainha da saia no elástico da cintura. 

Enquanto punha a camisinha, Normani lambeu os lábios sedutoramente.

-A lista de desejos de quem estamos realizando mesmo?

O desejo estampado nos olhos semicerrados de Normani fez a loira estremecer, o gorro do papai estava todo torto, e seus cachos caídos sobre os ombros, somando-se a isso o fato de estar usando apenas o avental, a aparência dela deveria estar ridícula, porém em vez disso, ela, Normani, parecia deliciosa, seus braços eram extremante sensuais, com sua pele negra e os músculos bem definidos.

-Vem aqui. -esse comando foi emitido com uma voz rouca sedutora carregada de tesão que deixou a loira toda arrepiada, apesar de o calor da lareira aquecer a sala inteira.

-Onde? - Dinah perguntou baixinho em tom de provocação.

-Até a minha boca, eu quero lamber você todinha.

Claro como não? 

Obrigando a si mesma a se mover lentamente, para não parecer desesperada, Dinah se ajoelhou no sofá, sobre a cabeça de Normani, com um joelho apoiado em um braço do sofá e outro na borda do assento, ela se abriu inteira, proporcionando a negra uma visão ilimitada, as mãos de Normani subiram por suas coxas, enquanto ela respirava com a boca junto ao seu sexo, a negra apertou a bunda de Dinah onde a loira gemeu de tesão...
E então passou a língua pelo seu sexo em uma lambida longa e caprichada.
Ela se agarrou no sofá como se fosse uma boia salva-vidas, e começou a gemer.
Acariciando a parte posterior das coxas dela, Normani continuou se fartando, deslizando a língua pela abertura de Dinah, quando encontrava um lugarzinho que a fazia gemer mais alto, ela se concentrava por lá por um instante antes de continuar sua exploração, sem nunca deixar de voltar de tempos em tempos ao clitóris.

-Não goza agora. -Normani murmurou quando a loira começou a tremer toda.

-Está brincando? -Dinah rebateu, ofegante remexendo os quadris na boca da negra.-A culpa é sua por ser tão boa nisso. -Normani soltou um risinho de pura satisfação ao ouvir isso.

-Eu quero que o meu pau esteja dentro de você quando gozar. -a loira estremeceu violentamente.

-Então é melhor você pôr logo essa camisinha.

-Eu já estou pronta minha linda, se você quiser.

-Hã? -o sorriso de Normani era pura malícia.

-Acho que você acabou se distraindo um pouco.

Virando a cabeça para o outro lado do sofá, Dinah arregalou os olhos, Normani levantou o avental e revelou o objeto dos sonhos da loira, tanto dormindo como acordada, grosso, comprido e arqueado na direção da barriga, o pau da negra fez a loura salivar, não era à toa que a sujeita tinha aquele ar de eu sei que vou enlouquecer você na cama. A foto que ela ganhou não fazia nem jus ao que estava vendo ao vivo e em cores.

Dinah engoliu engoliu em seco e se posicionou sobre os quadris da negra, Normani ajeitou o pau no ângulo certo, sentindo seu coração disparar dentro do peito, Dinah ficou parada por um instante, se passassae daquele ponto não poderia mais voltar atrás, as coisas nunca mais seriam iguais entre elas depois que fizessem sexo. Ela seria capaz de lidar com isso? Saberia manter distanciamento necessário?

-Dinah. - Normani a chamou tirando de seu mundinho, a loira a encarou fixamente.-Esqueceu a sua lista? - o olhar de Normani exalava a mais pura luxúria e sua boca carnuda estava toda melada, mas apesar de toda a sua sensualidade, seus olhos negros também transmitiam cumplicidade e desejo na mesma medida.-Minha linda, não tem problema nenhum você realizar seus desejos. -Normani disse baixinho.-Ainda mais sendo de comum acordo entre as partes.

Dinah respirou fundo, e notou a música natalina tocando ao fundo; e o cheiro de um pinheiro sem decoração encostado em um canto da sala, caso fosse para casa, passaria a noite sozinha ou então poderia ficar com Normani Kordei.

Era isso que ela queria. E era Natal!
Molhada de tanta vontade, ela foi deslizando sobre ele lentamente, tomando para si o único presente que queria ganhar naquele ano. A única coisa que tinha desejado em muitos anos, ser tocada, possuída, ser desejada.

-Ah isso. -Normani grunhiu, passando as mãos pelas coxas da loira, arqueando as costas.-Minha nossa Dinah, como você é gostosa.-a loira mordeu o lábio inferior, sentindo a penetração ir cada vez mais fundo, Normani a preencheu por inteira e sua rigidez a fez perder o fôlego, o comprimento dela, a largura...Quando as nádegas dela encostaram nas coxas torneadas da negra, ela deixou escapar um ruído que mostrava o quanto estava entregue e fragilizada.

-Pode deixar comigo. -Normani falou com a voz áspera quando a loira se deixou cair sobre ela, toda trêmula, Normani acariciou suas costas, murmurando.-Levanta só um pouquinho...shh, pode deixar que eu me ajeito assim, agora é só ficar paradinha aí. -a negra ergueu os quadris, penetrando-a com uma estocada de tirar o fôlego.

-Mani... -Dinah sussurrou afundando o rosto no pescoço dela, sentindo seu sexo se contrair completamente.

-Ah! -Normani repetiu o movimento, entrando profundamente em sua abertura faminta.-Está gostoso minha linda? -a negra perguntou arfando.

-Eu estou louquinha de tesão. -Dinah olhou para a negra que respirou fundo, e seu peito comprimiu os seios da loira, nesse momento Dinah desejou estar nua para sentir o contato de sua pele contra a de Normani.

-Que bom, eu não queria ser a única a ficar assim. -segurando-a pelos quadris a negra acelerou o ritmo, deixando apenas a cabeça lá dentro antes de meter até o fundo, soltando gemidos de pura satisfação.

Gemendo baixinho, Dinah a segurou pelos ombros e se deixou levar pelo ritmo das pancadas do quadril da negra contra o dela, ela era tão gostosa, tão cheirosa.

Normani falou entre os dentes cerrados.

-Não precisa me esperar. -a negra finalizou sua ordem com uma estocada brutal, que comprimiu o clitóris da loira da maneira ideal.

Foi um orgasmo estonteante, Dinah ficou paralisada incapaz de se mover, cada célula de seu corpo estava  concentrada na pulsação de seu sexo em torno da infinita extensão do pau de Normani, a negra se contorceu a baixo dela e depois a puxou com força contra si gemendo em seu ouvindo de um jeito unicamente manhoso enquanto gozava.

Abraçada a Normani, Dinah ouviu as violentas batidas de seu coração, misturadas com o ritmo suave da música, e se sentiu querida e acolhida.

Pela primeira vez em muito tempo, seu Natal parecia um Natal de verdade.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...