História Wishing I Was 23 - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Austin & Ally
Tags Aluna, Irmão, Professor, Romance
Visualizações 97
Palavras 1.393
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey, I’m back :D

Voltei com um capítulo 32 novinho em folha, como havia dito no aviso. Sem mais enrolação... vamos ao capítulo.

Capítulo 32 - Capítulo 32


Fanfic / Fanfiction Wishing I Was 23 - Capítulo 32 - Capítulo 32

I'm back!
How you like me now?- Zendaya (I’m back)

***

POV Ally 
   Peguei minha mochila no fim da escada do meu quarto, era meu primeiro dia de aula depois das festas de fim de ano. 
 Estava de voltar a Miami, morando em um minúsculo apartamento próximo a escola, sozinha. Papai, havia me deixado voltar e até se disponibilizou em pagar meu aluguel, mas me pediu para ficar longe do Austin. 
 Obedeci, não queria atrapalhar Austin novamente.
  Sai e parei na cafeteria que ficava ao lado, um bom café sempre fazia bem. 
 ...
  Não me demorei a chegar na escola, como havia dito, moro próximo agora. O estacionamento ainda estava vazio, exceto pelo carro bonito e preto parado, era o carro da Mimi. Olhei bem e vi Bianca descer sorrindo. A dona do carro estava ao

 Sai rápido de lá, ninguém sabia que eu estava aqui, consegui manter segredo até dos meus amigos. Caminhei devagar até o banheiro, retoquei meu batom e arrumei meus cabelos, recém-pintado de loiro nas pontas. Arrumei a saia e sai do banheiro.

 Tudo estava calmo, mas um garoto me chamou atenção, era alto, quase era desengonçado, seus cabelos eram negros e cacheados como os dos anjos de desenhos animados. Usava óculos, e pude ver seus olhos castanhos cor de mel quando me encarou. 

Me aproximei, ele não era daqui, pelo menos ano passo ele não estava aqui. 

-Oi.- falei. 

-Oi- falou como de estivesse nervoso. 
-Tudo bem? Posso te ajudar? 
-S-sim, eu sou Mike, acabei de chegar na escola, não sei de nada aqui. 
 Sorri, com certeza estava nervoso, era engraçado. 
 -Ótimo, eu posso te ajudar, Mike.- estendi a mão em sua direção e sorri.- Sou Ally.

 Ele aceitou minha mão e apertou, estava gelado. 
 
- Ótimo, poderia me levar até o meu armário? Essa escola é enorme, já estou a um bom tempo procurando. 
 -Sim, é só me segui.- começamos a caminhar em direção ao corredor onde nossos armários ficavam. -Então, Mike, onde você morava antes? 
-Ah, eu não me mudei, minha mãe apenas resolveu que eu deveria mudar de escola. 

Sorri, aquele motivo era inexplicável, não era comum uma pessoa mudar de escola assim. 

 -Você é aluno sênior? 
-Sou, ainda bem, você também é? 
-Sim, ainda bem.- repeti o que ele havia acabado de falar e o arranquei uma gargalhada.
-Você é comprometida?- perguntou, mas pareceu mudar de ideia, acabou ficando mais nervoso.- Me desculpe, não é coisa que eu deveria perguntar.
  

Não vou mentir, acabei corando. Meu desejo era gritar que sim, que namorava o loiro mais lindo do mundo, mas não era possível, nem menos era verdade. 

-Não sou, e você é?
-Não.- ele olhou para baixo e arrumou o óculos.- Você toparia tomar um café? E-eu gostaria de conhecer você melhor.
-Ah Mike, eu não queria ser chata, mas agora não. Tá bom? Acabei de sair de um relacionamento, quando estiver pronta eu mesmo terei o prazer de te chamar. 
-Puff, me desculpe. Eu não sabia. 
-Tudo bem. Aqui estamos, está entregue, corredor de armários. Preciso ir encontrar umas pessoas, você consegue se virar agora? 
-Sim.- falou corado, era adorável como ele é tímido. 

 O abracei e sem ao menos falar nada, fui embora. Talvez eu também tenha ficado nervosa, paquerar depois da minha história com Austin estava se tornando algo difícil. 
 Peguei meu celular e liguei para Elliot, não demorou para que atender. 

-Ally? É um puta milagre você está ligando.- falou, ele parecia caminhar. 
-Há há, bastante engraçado. Como você está? 
-Entrando na escola, sozinho. Queria você aqui, Mack e Trish não se falam a um tempo.
-Ainda? Nossa, achei que Mack seria uma madrasta legal. 
-Sua vaca, eu estou vendo você. 

 Olhei para o lado e vi Elliot sorrindo tirando o celular do ouvido, vestia seu uniforme, mas não parecia meu amigo que usava tudo bem certinho. 

-Quando pretendia nos contar que... Ally, você não ia morar com seus pais?- falou ao meu lado, já me puxando para um abraço. 
 -Era a ideia, mas eu quis voltar, e minha mãe super legal-falei irônica.- me deixou voltar.
 -Deus, eu estou tão feliz.- Elliot me apertou mais um pouco. 
 -Percebi, agora, Elliot, você está me esmagando. 
 -Opa, me desculpe. – ele me soltou e me encarou mais um pouco.- Me conta como foi em Rosemery. 
 -Chato, muitos caras dando em cima da Ally D. aqui.
 
 Elliot me encarou de olhos arregalados, acabei caindo na gargalhada. 

-Sua safada!
-Mas eu não fiquei com ninguém.
 
 Meu amigo enfim sorriu e me puxou para andarmos, mas paramos bruscamente quando encontramos Bianca nos encarando com uma cara nada boa. 
 
-O que você está fazendo aqui?- perguntou horrorizada como se visse em sua frente um fantasma. 
 -Estudar? Estamos em uma escola, lembra?- falei irônica. Elliot ao meu lado apenas encarava Bianca. 
 -Mas como? Você deveria estar em Rosemary. 
 -Ah sim, deveria, mas nada como morar em Miami. Relaxa, Bi, eu não sou mais uma ameaça para você. 
 -Não acho que você seja uma ameaça.- falou ofendida. 
 -Claro! Eu agora preciso ir, manda uma beijo para Mimi e dá um cheirinho no seu pequeno Toby por mim? Ele é uma gracinha. 
 -Sua ninfeta...
 -Até mais, Bi. 

 Puxei Elliot para ficarmos o mais longe de Bianca possível. Estava enjoada só de olhar para a cara dela, talvez eu tenha ficado nervosa, mas soube esconder bem. 

 -Beeeem afrontosa você.- falou meu amigo, meu antigo Elliot. 
 -Elliot, você falou como o Elliot de tempos atrás. 
-Preciso te contar algo...
 
Elliot iria me contar algo, mas é interrompido por Gabriel. 

-Elliot? Achei que tivesse sido expulso. 
-Bom, não fui. Me me conta aí quem é você?- falou o moreno claramente confuso. 
 -Então você realmente não lembra de nada? 
 -Exato, não lembro, deveria lembrar de você?- meu amigo me olhou. -Devo lembrar dele, Ally? 
 -Não, era, ainda continua sendo, um ser insignificante na sua vida. 
 -Tudo bem.- ele olhou para Gabriel.- Acho que agora eu vou indo. 

 Fui puxada e arrastada para longe do loiro. 

-Eu fiquei com esse cara? 
-Eca! Não... Bom, não que eu saiba. 
-Ele gosta de mim, seus olhar era tão intenso quanto o do Tony. 
-Você acha? Porque esse cara odiava você, Trish até disse que ouviu a voz dele no dia em que foi atacado. 
-Sério? 
-Nunca falei tão sério em toda minha vida. Agora vamos para a sala, quero ver a cara das meninas. 
*** 
 -Sua vadia.- falou Mack me encarando.- Você está de volta à Miami a quanto tempo? 
 -Alguns dias. Queria fazer surpresa.- respondi. 
-Onde você está morando? Seus pais vieram com você? 
 -Não, estou morando sozinha em uma casa pequena aqui perto. Depois da aula quero que vocês vão até lá comigo. 
  -Hoje eu preciso ir no médico, mas amanhã sem falta.-falou Elliot. 
  -E você, Mack? 
  -Pode ser amanhã? Hoje eu preciso resolver umas coisas.
  -Uma Pena, mas tudo bem. Aproveito e dou uma geral para vocês. 
 -Que gracinha, sempre tão organizada.- falou Elliot e logo arregalou os olhos. 
  -Sempre?- perguntou Mack- Elliot, você lembrou de alguma coisa? 
  -Sim, da Ally, minha garotinha e do nosso tempo no acampamento. Da Trish, quando Ally nos apresentou. 

 Mack e eu escutamos com atenção, não sabíamos o que fazer. Eu só queria pular e comemora, mas Mack parecia desesperada.

-Tony, eu amo aquele garoto. -Continuou.- Mas você, Mack...
-Já chega não quero mais ouvir. Todos me avisaram, você iria lembrar dele, mas eu não sei ouvidos.

 A morena levantou e saiu correndo em direção a entrada do refeitório. 

-Você lembrou de tudo, não foi? 
-Não tudo, eu não lembrava do Gabriel... Bom, ate ver ele hoje de manhã. Nós ficamos, Ally, aparentemente eu não deveria está contando isso, mas ele foi meu primeiro. 

 Eu não estava entendendo nada, Gabriel era homofóbico, mas havia transado com Elliot no passado. 

-Nossa.
-Gabriel e eu tivemos uma briga, ele prometeu se vingar. Acho que ele estava lá aquele dia. 
-Sinto muito. 
-Eu também sinto. Não queria lembrar de porra nenhuma. Minha vida estava ótima com a Mack, mas agora...
-Você não gosta mais dela como mulher!- falei. 
-De jeito nenhum, eu amo a Mack, Ally, pra caralho até, mas... tem o Tony... 
-Tudo bem, eu já entendi. Você quer que eu fale com ela? – perguntei. 
-Não, eu vou falar com ela. 
 
 Meu amigo passou as mãos nos cabelo e levantou. A conversa deles seria difícil, torcia para ficar tudo bem. 

 

 


Notas Finais


Gostaram? Comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...