História Words- Interativa - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~EuTouNoShawn

Postado
Categorias Originais
Tags Adolescentes, Colegial, Drama, Escola, Interativa, Violencia, Words
Visualizações 48
Palavras 1.682
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Escolar, Esporte, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hey guys!

Não tenho muito o que dizer, apenas agradecer aos comentários sz

Capítulo 5 - Welcome Back, Idiots Part. 2


“Que gente idiota...”, essa frase rodava a cabeça de Malachai milhões e milhões de vezes. Ele apenas conseguia ver aqueles adultos que mais pareciam crianças dançando, se embebedando e se drogando por todos os cantos doginásio. Ainda se perguntava como a diretora havia autorizado a ausência de monitores na festa, e o que tinha na cabeça daquelas pessoas, porque definitivamente não era um cérebro.

Com um copo de cerveja, ele preferia beber aos poucos, diferente dos outros espalhados por aquele local, que viravam uma garrafa atrás da outra na boca. Ele ainda bebericava o primeiro copo, enquanto haviam pessoas que já deviam estar bebendo o centésimo.

- Como queria não estar aqui... – Malachai murmura e afasta o copo de perto de si, cruzando os braços e suspirando pesadamente.

- Hey, garoto! – Uma garota de aparência coreana acena de um outro grupo de meninas, as outras estavam bêbadas demais para perceber que uma das integrantes havia se afastado. Diferente de muitas das garotas da festa, ela trajava um vestido branco e longo, um pouco inapropriado para a situação, mas ressaltava sua bela aparência praticamente perfeita. – Qual seu problema? Por que não curte a festa em vez de ficar pensando na vida e desperdiçando bebida?

- Não lembro de ter pedido sua opinião. – Malachai responde em um tom inaudível com um sorriso sarcástico. Balança a cabeça em seguida e sorri falsamente. – Não quero, obrigado pela sugestão.

- Vou fingir que não ouvi a primeira frase. – Ela mostra o sorriso mais cínico que Malachai já havia visto em toda sua vida. É, nunca julgue um produto pela embalagem. – Parece esse garoto branquelo atrás de você, Dereke, Deker, tanto faz o nome dele. Só sei que é outro estranho, idiota que só sabe ficar nesse canto desde sabe-se quando. – Ela ri, ato que faz algumas pessoas olharem para ela.

- Meu nome e Derek. – O menino do qual a garota havia falado se pronuncia irritado. – E você é tão pálida quanto eu, senhorita Mazikeen. E eu sou melhor que você, que não consegue ver um garoto bonito passando que já fica de olho.

- Gente, a festa mal começou e já estão assim. – Uma loira de olhos azuis aparece com um prato de salgadinhos nas mãos. Ela ria e parecia ter passado um pouco dos limites com a bebida, não que isso fosse um problema para ela.

- Não se mete, Bevy. – Mazikeen revira os olhos e empurra a amiga para evitar que ela se envolvesse na confusão.

- Pra você é Bervely, senhorita Mackenzie. – Bevy encara a asiática com os olhos semicerrados.

- Ah, agora vai agir assim? – A coreana cruza os braços, nesse instante a música para e toda a tenção da festa se volta para as duas garotas que começavam a discutir.

- O que você queria? Que eu fosse um amor de pessoa com uma pessoa igual a você? – Bervely ri alto, atraindo a raiva de Mazikeen para si. – Jura que eu sou sua amiga? Só você me considera como amiga, porque eu prefiro te chamar de inimiga, querida. Já viu o quanto você é desprezível?

- Sua mentirosa, desgraçada! – Mazikeen parte pra cima da loira com as unhas em riste.

Começava ali uma batalha a qual ninguém queria que houvesse naquela festa, afinal, todos os anos era a mesma coisa, Mazikeen e Bervely brigavam, mas no primeiro dia de aula já eram amigas novamente, todos já sabiam o fim daquilo, as duas sairiam cheias de arranhões e completamente descabeladas, uma das duas chorando e a outra cantando vitória. Geralmente, Bervely tinha o dom de vencer as brigas, ou, quando perdia, nunca chorava, isso ninguém, sabia o porquê.

- Chega meninas! – Caitriona se mete no meio das duas e separa as meninas. Era uma novata, e não sabia como aquela briga infantil era comum.  – Isso é uma festa, não um octógono do UFC!

- A briga estava divertida! – Algum aluno aleatório grita do fundo da multidão, fazendo alguns rirem e outros balançarem a cabeça em negativo.

- Pare de nos atrapalhar e me deixe mostrar pra essa imbecil o que ela precisa aprender, que no caso é respeito! – Mazikeen grita cravando suas unhas na pele branca de Cait, que observa o esmalte vermelho sendo penetrado em seu braço.

- Garota, se põe no seu lugar! – Um tapa é desferido na mão da asiática que sente o local arder e ficar vermelho rapidamente. – Deixem de ser infantis! Vocês são praticamente adultas e agem como crianças de 5 anos de idade!

- Ei! – Uma menina de cabelos negros se mete segurando o braço de Cait. Ela olhava a outra profundamente e a puxava para sair do meio da briga. – Não vale a pena, sai daí, elas não vão parar por nada, acredite.

Caitriona observa a garota e depois torna a olhar as duas briguentas que ainda se encaravam com fogo nos olhos, ela suspira e sai do meio, como se dissesse: “Ok, se matem aí e que se foda o resto.” Realmente, não valia a pena continuar a tentar separar Bervely e Mazikeen, elas podiam ser muito amigas, mas quando uma se encontrava bêbada, as verdades sobre a outra vinham à tona. Isso apenas provava que a amizade delas não era concreta, e que qualquer deslize elas estavam a beira de espancar uma a outra.

Sendo arrastada pela garota ainda desconhecida, Caitriona pode observar a beleza de seus traços. Ela, definitivamente, não pertencia à nenhum país europeu ou asiático, ela possuía traços americanos, mas com uma beleza extraordinária. Ela parecia decidida a levar Cait para um lugar bem distante daquele, no qual tivesse um pouco de paz e, particularmente, era isso que ambas desejavam.

- Não vai me dizer seu nome? – Cait finalmente resolve dizer algo, mas não obtém resposta imediata.

- Calma. – A garota de cabelos negros limitou-se a responder apenas isso, coisa que fez a outra arquear uma sobrancelha.

- Não gosto de me sentir presa.

- Não me fode, caralho! – A outra praticamente grita. – Estou tentando te ajudar, não acabe com  minha paciência. Fica calada aí.

- Detestei você.

- Idem.

A conversa parou por aí, e logo o campus foi avistado, ali estavam sentados dois garotos, com aparências orientais. Eles mexiam em seus celulares debaixo de uma grande árvore com flores brancas, algumas pétalas caíam e formavam um belo cenário, mesmo escuro, era lindo observar.

- Vamos ficar ali. – A garota se pronuncia mais uma vez, parando de segurar o pulso de Cait, que se sentiu aliviada por estar livre novamente.

As duas seguem caminhando lentamente até debaixo da planta, sendo seguidas pelos olhares dos dois garotos, que, finalmente, tiraram o olhar do celular para observa-las. Eles sorriam abertamente, e pareciam uns dos mais sinceros dali.

- Mais uma pra rodinha, Naomi? – O garoto de cabelos negros pergunta e as duas se sentam ao lado dele. A garota de cabelos da mesma cor dos dele sorri e assente.

- Sim, essa é uma novata. – Ela revira os olhos. – Sabe de nada, coitada. Qual seu nome ingênua criança? – Naomi diz ironicamente.

- Caitriona. – A outra cruza os braços e morde o lábio inferior nervosa. – O que tem de tão ruim nessa escola que me avisam desde que coloquei um pé aqui dentro?

- Espera, - O outro garoto, de cabelos avermelhados, ergue a mão em sinal de calma. Seu rosto expressava preocupação. – qual pé colocou primeiro aqui dentro?

- Ahn, pra quê isso? – Cait diz.

- Aqui toda superstição é válida, senhorita. – Naomi fala e tira, de dentro do cano de sua bota, um canivete. – E toda proteção também. – Suspira.

- Oh, pra quê isso... Naomi? – Cait fala e os dois garotos riem.

- Essa escola é o inferno na terra, Cait, posso te chamar assim? – A garota de cabelos negros fala e a fita profundamente. – Bem, esses idiotas, os que viu no ginásio, os outros que estão por aí fazendo algo de ilegal ou se comendo nos arbustos... – Ela estremece e põe a língua para fora em sinal de nojo. – Eles não tem pena de ninguém, e podem fazer atrocidades que ninguém fora daqui imaginaria...

- Espera, mas Lawrenceville não é o “lugar perfeito”. – Cait faz aspas com os dedos e uma expressão assustada, afinal, não poderia ser mentira tudo que ouviu sobre a escola.

- Olha, os professores, coordenadores e supervisores são facilmente subornados pelos alunos que tem dinheiro, e eles fazem o que bem entendem. – Henry, o garoto de cabelos negros fala. – Não estranhe se tiver um casal se beijando no meio da aula, ou alguém fazendo bullying na frente de um supervisor.

- Que horror... – A garota complementa.

- Horror não, essa é a realidade, algo completamente normal aqui. – Kim, o outro de cabelos avermelhados se pronuncia. – Comece a se acostumar, e sugiro que ande conosco, Naomi tem certa reputação com esses idiotas. E, de qualquer maneira, temos proteção.

- Obrigada, mas sei me virar. – Caitriona fala decidida.

- Não ter amigos aqui é perigoso, senhorita. – Naomi volta a se pronunciar enquanto observa suas unhas. – Sugiro que aceite nossa proposta, não é todo dia que oferecemos isso a alguém.

- Por favor, Caitriona... – Henry junta as mãos em forma de prece e faz a feição mais fofa que consegue.

- Ah, tá, tanto faz. – Ela diz e bufa.

- Isso! – Kim tira o celular do bolso e abre na câmera. – Vamos registrar esse momento!

- Whatever – Naomi ajeita seus cabelos e logo se prepara para a fotografia. – Vamos rápido com isso, quero ir lá dentro, me esquivar dos imbecis, e pegar um pouco de bebidas para nós.

O ruivo posiciona o celular acima do grupinho, as duas garotas ficam sentadas à frente e os dois garotos atrás delas, todos com um sorriso no rosto até o flash se apagar, então a realidade volta à tona, e os sorrisos se desmancham, prontos para encarar o triste ano letivo que se iniciava mais uma vez, não só as aulas, mas também os bullies e as provocações.

“Between Heaven And Hell”- Essa foi a legenda que a foto teve, e ela não podia ter sido mais adequada para o momento.


Notas Finais


Perdão qualquer erro, me avisem tá ^^

sz

Até mais <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...