História Yellow. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Junghan "Jeonghan", Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Personagens Originais, Soonyoung "Hoshi"
Tags Amarelo, Boo, Boo Seungkwan, Chá, Seungkwan, Seventeen, Svt
Visualizações 73
Palavras 8.833
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Fanfic especial de aniversário! Sim, mais uma!!
Espero que gostem e, especialmente você Natasha, eu te amo mais que tudo nessa vida minha irma de alma!
<3

Capítulo 1 - Capítulo Único.


 

- Ya, você vai na festa essa noite, certo?

- Sim. – Resmunguei me virando de costas para dongaseng Lee de modo que ela amarradas meu avental amarelo.

- Taewoo está dizendo que levará o namorado famoso, mas ele não quer dizer quem é. Algum palpite?

Franzi a testa. – Não. Ele é famoso? – Encarei Taewoo.

Ele balançou a cabeça positivamente sorrindo e arqueando as sobrancelhas. – Sim.

- Muito famoso? – Sunbae Min se meteu na conversa gritando do outro lado.

- Sim. – Taewoo ligou as máquinas de café expresso.

Balancei a cabeça positivamente enquanto Lee e Min continuavam a fazer perguntas para descobrir quem Taewoo estava namorando. Modéstia parte eu não sabia se acreditava ou não em Taewoo, ele não havia nos contado tal coisa como se quisesse se gabar e não era de sua índole mentir, mas não conseguia crer que ele estava namorando um famoso. Não que ele não fosse bonito, só que, para mim era irreal alguém comum namorar um ídolo.

Lee Hyunae abriu a porta sorridente e então virou a plaquinha para open enquanto a luz natural entrava pela porta naquele dia nublado e nevoso. Estava frio em Seul e as pessoas já estavam em clima natalino já que dezembro havia acabado de começar. Eu, honestamente, adorava o Natal, era meu feriado favorito, e estava animada para passar meu primeiro Natal com minha mãe e meus amigos, era a primeira vez que comemoraria o Natal em meu novo apartamento e estava ansiosa para a chegada de minha mãe e minha avó da nossa cidade Natal: Gwangju.

Como não era costumeiro e nem rotineiro um grupo de pessoas entrou pela porta da frente, a maioria eram homens, e eles estavam muito bem arrumados, tão arrumados que pareciam famosos, atores ou algo do tipo. Eles usavam máscaras e óculos escuros sendo que nem estava tão ensolarado assim.

Hyunae se curvou para cumprimentá-los e Shin e eu nos dirigimos até às máquinas de café e chá prontos para atendê-los. Sunbae Min sorriu nos encarando e ligou a música ambiente em uma das rádios locais.

- Bom dia. – Fiz uma breve reverência fitando o primeiro deles que vinha em minha direção. – Em que posso ajudá-lo.

Taewoo fez o mesmo ao meu lado e logo uma fila enorme se formou em direção ao café. O primeiro deles, quem parecia ter olhos bonitos e estava maquiado, pediu um chá gelado, que logo o fiz e entreguei agradecendo. Atendemos um por um, e a fila ficou ainda maior para Sunbae Min quem era a única caixa da loja. Taewoo, ao perceber que estava tudo sob controle onde estávamos, resolveu ir ajudá-la e então me virei para o garoto baixinho quem pedia um cappuccino com creme e amêndoas enquanto abaixava a máscara.

Hyunae logo se juntou a mim e permaneceu atendendo onde Taewoo estava. Nunca havíamos recebido uma quantidade tão grande de pessoas logo pela manhã. Estávamos assustados, mas, ao mesmo tempo, com mais animação. Hyunae, quem era a mais nova de nós e a mais comunicativa logo perguntou ao cara sorridente – e que não usava máscara – se estava acontecendo algum evento por ali e se eles eram famosos.

- Somos de um grupo de K-Pop chamado Seventeen. – Ele era alto e falava com um sorriso contagioso.

- Ah, sério?! – Lee sorria simpática. – Minha vizinha adora vocês.

- Ah, diga a ela que muito obrigado. – O próximo a minha frente sorriu e em seguida me fitou direto nos olhos.

Ele tinha um sorriso adorável e usava um casaco amarelo incrível que nele estava ainda mais. Amarelo era minha cor favorita, então, por isso a momentânea felicidade em ver alguém tão bonito usando um casaco da cor. Estupido, eu sei, mas eu nunca fui muito normal. Ele abaixou sua máscara e então sorriu abertamente fazendo com que eu o fitasse nos olhos por baixo daqueles óculos redondos.

- Boo Seungkwan.

Quase me apresentei de volta quando lembrei que era apenas uma funcionária que anotava o nome nos copos para entregá-los ao dono logo em seguida. Esbocei um sorriso escrevendo seu nome tentando, ao máximo, não tremer na hora de escrever, afinal, era o máximo que eu conseguiria impressioná-lo.

- Certo. – Disse erguendo o rosto. – Senhor Boo, qual seu pedido?

- Não precisa do senhor. – Ele sussurrou sorrindo amigavelmente. – Seo.

Sorri de lado. – Ok. – Balancei a cabeça positivamente enquanto olhava para meu crachá. – Boo, qual seu pedido?

- Melhor. – Ele soltou uma risadinha. – Um chá gelado, por favor.

Assenti indo até a máquina e logo enchendo seu copo com chá, gelo e lhe entreguei com o canudo verde no plástico. Seungkwan sorriu e então fez uma breve reverência se curvando em agradecimento. Hyunae atendia o último de todos eles, alguns já haviam saído de dentro da cafeteria e chateria e entrado na van que estava parada em frente à loja e sunbae Min estava mais tranquila no caixa com Taewoo.

Hyunae se virou ainda escrevendo o nome do último no copo, ele parecia ser o mais novo, mas era tão bonito quanto os demais. Ela então escreveu “Lee Chan” seguido e apenas sorri quando ela me fitou e me afastei em direção às mesas vendo que um casal se sentava no local.

Anotei o pedido de ambos e então encarei o vidro vendo parte do garoto sorridente e bonito, com o casaco amarelo, olhando em minha direção. Assim que nossos olhares se encontraram ele desviou encarando o mais novo que corria em sua direção, eles logo entraram na van e foram embora. Esbocei um pequeno sorriso e fui na direção de Hyunae entregando o pedido do casal. Me debrucei no balcão esperando-a trazer ambos os bolinhos e os cappuccinos com creme. Assim que entreguei ao casal fui em direção a sunbae Min quem ajeitava as notas recebidas no caixa.

- Jesus, você viu? – Ela resmungou me encarando. – Não sei porque o chefe Kim me deixa no caixa. Eu sou humanas, Sunyoung. Humanas.

Ri a fitando. – Ele devia deixar Hyunae no caixa.

- Lembra da vez em que ela ficou e atrasou a fila toda porque não conseguia parar de falar com os clientes? – Taewoo nos encarou com um pequeno sorriso. – Pois é.

- Eles eram quantos? – Sunbae Min questionou.

- São treze. – Hyunae apareceu ao meu lado. – Mas a staff deles estava junto.

- Treze pessoas em um grupo? – Perguntei franzindo a testa.

- Como eles dividem o dinheiro? – Sunbae Min perguntou.

- Pegando o total e dividindo por treze. – Hyunae respondeu sorrindo cínica.

- Cuidado que eu corto sua lingua. – Min Yejin a encarou.

- Desculpa. – Ela se curvou rindo e então encaramos a porta enquanto um grupo de três pessoas entravam. – Deixa, são meus.

- Sempre fominha. – Sunbae Yejin resmungou.

- Eles são realmente bonitos. – Taewoo disse se afastando. – Todos eles.

- Mas você tem seu namorado. – Sunbae brincou.

Ele apenas sorriu indo para perto das máquinas e pegando o pedido de Hyunae para atender. Esbocei um pequeno sorriso fazendo uma breve reverência a sunbae Min Yejin e caminhei em direção ao balcão para ajudar Taewoo.

O restante do dia foi mais tranquilo, não recebemos mais famosos, nem artistas ou grupos grandes. Foi um dia tranquilo até quando nosso chefe, Kim Minhui nos liberou quando chegou a noite pronto para fechar o local. Geralmente nos despedimos e nos veríamos apenas na segunda feira, mas tínhamos uma festa para irmos que, segundo Taewoo era uma das festas mais famosas e secretas de Seul. Ele havia conseguido os ingressos com seu namorado famoso e desconhecido por nós até então.

Assim que deu a hora marcada, nos encontramos na porta de minha casa onde eu ganharia carona de Taewoo quem buscaria nós três na porta de casa como bom amigo que ele era. Eu não estava, de fato, muito animada para a festa, mas estava curiosa o suficiente para conhecer não só o namorado de Taewoo, mas também a festa que ele tanto falava maravilhas sobre.

E, realmente, o local era maravilhoso. Era uma casa, enorme, daquelas que lembram algum filme americano ou algo relativo. Assim que entramos fomos recebidos por dois seguranças que pediram nossos ingressos, mas sem retirar o olhar da casa entramos sem nem ouvirmos o que os seguranças falavam, ainda bem que eu estava com minha melhor roupa.

A sala, provavelmente era duas vezes maior que meu apartamento inteiro, as pessoas se encontravam concentradas logo ali e a grande maioria com ternos chiques e vestidos finos. E, como se eu estivesse em um filme ou uma fanfic, arregalei os olhos ao perceber que todos, sem uma mísera exceção, eram pessoas da mídia, ou seja, famosos.

- Isso tá, realmente, acontecendo? – Sunbae Min questionou ao meu lado.

- Caralho. – Foi a vez de Hyunae falar.

Taewoo entrou na nossa frente com um sorriso largo e completamente forçado. – Vocês estão maravilhosas, as garotas mais lindas dessa festa, mas, por favor, não fiquem encarando como se eles fossem a coisa mais extraordinária do mundo.

- Nós não... – Sunbae Min tentou desconversar.

- Ah, por favor, nós estamos normais...

- É, por favor. – Dei de ombros esboçando um pequeno sorriso.

- Não sejam estranhas. – Taewoo advertiu e então se virou na direção de alguém que o chamava.

Era Lee Taemin. Lee fuckin Taemin estava chamando um dos meus melhores amigos como se ele fosse seu amigo íntimo e no instante em que ambos se abraçaram eu decidi o olhar tentando seguir o conselho de Taewoo e não parecer uma completa estranha. Virei-me na direção de Min e Lee e ambas me fitaram tentando, também, não parecerem tão estranhas.

- Ok, é só Lee Taemin. – Yejin sorriu forçada. – Relaxem.

- Ele brilha. – Hyunae sibilou o que nós fez rir.

- Ok, vamos nos acalmar porque... Ah merda.

- O quê? – Yejin questionou se virando para trás.

Encarei Park Jimin com aquele cabelo cinza e completamente incrível vindo em nossa direção, Taemin sorriu e apontou para ele esperando que Jimin entrasse em seu abraço e ele assim o fez. Park Jimin era tão, mas tão bonito pessoalmente que ele sim parecia brilhar. Ele usava uma calça jeans completamente colada que realçava sua bunda que já mostrava a que veio ao mundo junto com suas coxas, usava um sapato social completamente brilhante e uma blusa preta de cetim que estava com o botão de cima aberta. Mas nossa maior surpresa não foi ver como Park Jimin era tão bonito pessoalmente, mas sim vê-lo selando seus lábios nos de Taewoo e o abraçando em seguida.

- O namorado de Taewoo é...

- Park Jimin. – Eu e Yejin completamos ao mesmo tempo.

Taewoo entrelaçou seus dedos nos de Jimin o trazendo até nós e ele, certamente, percebeu que desviamos nossos olhares iniciando um assunto qualquer, mas que não soubemos nem mesmo continuar. Taemin acabou por se aproximar também com um sorriso amigável e segurando um copo em mãos. Só aquele copo dourado devia valer mais que toda a minha vida.

- Garotas. – Taewoo sorriu e encarou Jimin com sorriso mais adorável que já havia visto em seus lábios. – Esse é Park Jimin, meu namorado.

Jimin sorriu o fitando e seus olhos se transformaram em duas luazinhas pequenas devido a seu eyesmile, ele logo nos fitou fazendo uma breve reverência que retribuímos no exato instante.

- Prazer em conhecê-las. Taewoo fala demais sobre vocês.

- Prazer. – Falamos as três em conjunto enquanto nós curvamos em uma reverência amigável.

- Ele não falou nem um pouquinho sobre você. – Sunbae Min soltou fazendo com que todos os olhares se voltassem a ela. – Quero dizer... Claro que ele falou, mas ele nunca nos disse que namorava Park Jimin e que era amigo de Lee Taemin. – E então o fitou. – Eu vou te matar seu filho...

- Ok, ok. – Taewoo a interrompeu sorrindo. – Nós entendemos. – E então encarou Jimin. – Ela é como o Yoongi do nosso grupo.

- Min Yejin. – Jimin sorriu e ela logo retribuiu. – Você e Yoongi-hyung realmente seriam ótimos amigos.

Amigos. Segurei o riso e a língua enquanto ela agradecia educada, uma das coisas que Min Yejin não queria ser era apenas amiga de Min Yoongi tendo em vista todas as vezes em que ela falou o quanto beijaria sua boca se ele assim quisesse. Taemin saiu de trás do casal e então fez uma reverência à nossa frente sorrindo simpático como parecia nas telas de televisão.

- Oi, bem-vindas a minha casa.

- Obrigada. – Agradecemos enquanto nos curvávamos respeitosamente.

Ele mantinha o sorriso e então apontou a sua direita. – Comes e bebes estão ali, sintam-se à vontade.

- Obrigada. – Agradecemos novamente.
Taemin apenas apertou os ombros de Taewoo e Jimin e os dois sorriram agradecendo a ele também. A maioria das pessoas da festa, ou seja, a maioria dos idols da festa nos encaravam como se quisessem saber de onde éramos e, provavelmente, de qual grupo rookie nós pertencíamos, o que fez com que eu sugerisse a todos que nos sentássemos por estarmos chamando atenção demais.

- Tudo bem, baby. – Taewoo encarou Jimin sorrindo. – Você pode sentar com seus amigos, nós arrumamos um lugar...

- Por que não sentamos todos juntos? – Jimin sugeriu.

- Com vocês... Bangtan? – Hyunae questionou com a voz trêmula.

- Sim, mas não todos nós. – Jimin sorria simpático. – Taehyung e Jungkook saíram em uma viagem pra Jeju, Yoongi está em Daegu e Hoseok em Gwangju, por isso eles não estão aqui. Estamos só eu, Namjoon e Seokjin.

- Ah, eles vieram? – Taewoo sorriu como se estivesse perguntando sobre seus melhores amigos.

- Sim, Seokjin-hyung queria experimentar as comidas que Taemin Sunbae disse ter comprado. – Riu fofamente fazendo com que seus olhos ficassem pequenos. – Por favor, venham.

Jimin se pôs a frente sem soltar a mão de Taewoo quem o seguia logo em seguida, o que nos fez sorrir. Tentei, ao máximo, ser discreta e não ficar encarando os famosos que nos encaravam de volta, mas, ainda assim nos cumprimentavam simpáticos. Eu não esperava, mesmo, que algum dia eu me encontraria em uma festa na casa de Lee Taemin, se eu contasse para minhas amigas fãs de SHINee ao redor do mundo elas jamais acreditariam.

Assim que nos aproximamos de um sofá de couro preto pude ver Kim Namjoon e Kim Seokjin e eu, certamente, estava vendo deuses tamanha a beleza de ambos. Kim Namjoon era completamente maravilhoso com aquela pele, aquela altura, aquele corpo e sorriso, mas Kim Seokjin, esse homem não devia, mesmo, ser real. Nunca havia visto um homem com a pele, cabelo, rosto, ombros, corpo e sorriso tão bonitos. Ele não era real, não podia ser. E no instante em que ficou de pé para nos cumprimentar, com Namjoon, realmente tive certeza de que aqueles homens eram parte do Olimpo, ou algo relativo. Eram talentosos, lindos e completamente simpáticos. É, eu devia estar sonhando.

Eles insistiram que nos sentássemos no sofá ao lado de ambos e eu achava a coisa mais maluca do mundo estar ao lado de dois ídolos. Por favor, Sunyoung para de olhar para esse homem, seja normal, não fica encarando Kim Seokjin como se ele não fosse só um cara normal, ele é normal e humano. Desviei o olhar, tornando a observar as pessoas daquela festa e então senti alguém me olhar, olhei na dreçãodo homem e ele desviou o olhar assim eu nossos olhares se encontraram, ele estava em um grupo grande como o de hoje de manhã e eu me perguntava... Ah, caramba. O que estava acontecendo na minha vida e, por que, de repente, as coisas pareciam dar certo? Era mesmo o garoto da chateria? O mesmo garoto que tinha um sorriso incrível e pediu um chá gelado fazendo uma piada sobre ser um pinguim por gostar de coisas geladas mesmo no frio? O mesmo homem que havia me fitado antes de entrar na van com seus amigos? Boo Seungkwan?

- Ai meu deus. – Hyunae surgiu do meu lado praticamente me empurrando.

Ela sentou-se segurando em meu braço e sorriu abertamente enquanto ficava em silêncio esperando que eu adivinhasse.

- Lee Chan.

Franzi a testa achando o nome completamente estranho. Eu deveria conhecer de quem ela falava sobre?

- Lee Chan. – Ela repetiu arqueando as sobrancelhas como se fosse óbvio.

- Desculpa Hyun...

Ela logo me interrompeu. – O maknae do Seventeen que atendemos essa manhã.

- Oh! – Sorri balançando a cabeça. – Pelo visto a sorte não está só comigo.

- O quê? – Ela me encarou confusa.

- Nada. – Dei de ombros.

- Devo esperar que ele venha falar comigo?

- Ele está te dando indícios de que quer?

- Ele olhou algumas vezes. – Ela sorriu e então cruzou as pernas fazendo uma cara estranha. – E está olhando nesse exato momento.

Virei meu olhar em direção ao grupo que ocupava o centro da sala no sofá branco ao lado de algum girlgroup que eu não conhecia, mas eles sequer trocavam olhares. Ninguém estava olhando em nossa direção a não ser um garoto com cabelos escuros e um corte um pouco estanho, que parecia estar crescendo, vi Hyunae acenar, de canto de olho, e ele sorriu mostrando seus dentes grandes e fofos.

- Quantos anos ele tem?

- Sua idade. – Ela sorria ajeitando o cabelo.

- Parece que ele está a fim de você.

- E aí vem ele. – Ela sussurrou sorridente.

- Boa sorte, baby. – Falei ficando de pé pronta para sair dali.

Sorri para Taewoo e Jimin quem dividiam um sofá de dois lugares e ambos retribuíram o sorriso enquanto eu me afastava. Passei por Lee Chan quem fez uma breve reverência e apenas a retribui sorrindo. Uau, fácil assim? Acho que foi mais fácil do que nas séries de televisão onde tudo parece rápido, fácil e mágico. Caminhando em direção ao bar, parei no instante em que vi sunbae Min segurando uma taça, assim que ela se virou em minha direção esbocei um pequeno sorriso.

- O que tá fazendo aqui? Você nem bebe. – Ela disse dando um gole demorado em sua taça que continha uma mistura arco íris. – Legal han?

- Pelo amor de deus pega leve. – Implorei a fitando.

- É uma festa chique. – Ela sorriu amigável. – Não vou estragar tudo.

- Ótimo. – Balancei a cabeça. – Agora volta para o bar porque aquele lugar... – Olhei na direção vendo Seokjin e Namjoon sentados no sofá ao lado de Chan quem os cumprimentou com uma respeitosa reverência. – Está infestado de casais.

- Eca. – Yejin fez uma breve careta. – Vem querida dongsaeng. – Ela riu fazendo com que a fitasse desconfiada. – Parece que essa noite somos só eu e você. Não no sentido sujo.

Ri anasalado a acompanhando em direção ao bar. – Como se nunca fossemos eu e você, no fim das contas. Não no sentido sujo.

- Irmãs de alma. – Ela resmungou.

- Irmãs de alma. – Repeti sentando no banquinho ao seu lado.

O barman veio nos atender assim que sentamos e Yejin pediu mais um “Rainbow Acid” como era chamada aquela bebida. Apenas franzi a testa pedindo uma água, o que fez com que ela me encarasse não acreditando no que estava acontecendo. Dei de ombros deixando que ela me julgasse, ela sempre o fazia, não tinha como, eu não gostava de beber como ela então permanecia sóbria carregando os encostos da noite. Sim, eu era a pessoa que dirigia e colocava todo mundo na cama. Legal demais para ser real.

Encarei o sofá extenso em que Boo se encontrava, diferentemente das outras vezes ele não desviou o olhar e apenas permaneci o encarando enquanto ele fazia o mesmo. O garoto ao seu lado, então socou seu ombro fazendo com que ele o fitasse e resmungasse algo, o que me fez rir.

- Tá de olho em quem? – Escutei Yejin perguntar.

- O quê? – A encarei me fazendo de desentendida.

- Quem te fez rir nesse exato momento? – Ela perguntou tranquilamente enquanto terminava seu primeiro copo.

- Ninguém. – Desconversei bebendo minha água.

- E eu sou a senhora Min, sim, casada com Min Yoongi. Prazer em te conhecer.

- Você viu Jimin falando que vocês seriam bons amigos? – Ri me lembrando.

Ela me acompanhou na risada. – Só se formos amigos que se beijam e transam toda a noite.

Permaneci rindo. – Exatamente.

- Boa tentativa. – Ela sorria me encarando. – Eu conheço você.

- Eu te odeio.

- Te amo mais. – Ela sorriu como se fosse fofa. Ela não era.

- Não é ninguém, é só...

- O loiro sentado no sofá do lado de um cara sorridente e de outro com olhos de relógio marcando dez e dez? – Ela questionou.

- Como você sabe? – Questionei incrédula.

- Sou uma ótima observadora. – Ela sorria orgulhosa de si mesma.

- É, e eu sou a senhora Jung. – Arqueei as sobrancelhas.

- É só isso. – Ela disse terminando seu primeiro copo.

Tornei a olhar na direção do loiro quem, agora, encarava algo no celular enquanto o amigo sorridente falava algo com o garoto de olhos de relógio – realmente seus olhos pareciam ponteiros marcando dez e dez, era fofo. Como se um ímã o atraísse ele ergueu o olhar me fitando com seus olhos pequenos e escuros. Ele era tão bonito, céus, também parecia não ser real com aquela pele, corpo e rosto, nunca o tinha visto com outra cor de cabelo, mas eu podia dizer que o loiro deixava incrível, eu tinha certeza.

- Ah, meu bebê está crescendo.

Fechei os olhos suspirando por Min Yejin ter atrapalhado aquele momento que estava sendo, até então, incrível. Virei meu rosto em sua direção a mais revoltada que eu conseguia e ela sorria cínica com o copo em mãos.

- Por quê?

- O quê? – Ela questionou se fazendo de idiota.

- Você estragou todo o clima.

- Desculpa, querida. – Ela sorriu de lado forçando sua voz. - Idiota. –

Resmunguei a encarando e franzi a testa ao vê-la se afastar. – Ya, onde você vai?

Ela sorriu limpando o canto dos lábios. – Ao contrário de você e do loirinho, eu tenho atitude.

- O quê? – A fitei confusa.

Ela então sorriu confiante. – Espere e verá. – E então me mandou um beijo voador no estilo Kim Seokjin. – Amo você.

Sentada no bar, sozinha, franzi a testa enquanto a encarava se afastar na direção de Boo e seus amigos, ela não ia falar com ele por mim como se fôssemos crianças do ensino médio, ia? Senti meu coração saltar em meu peito e então a observei ir na direção oposta à dele, fazendo com que eu soltasse o ar que nem mesmo havia percebido que estava prendendo. Mordi meu lábio enquanto observava os meninos pararem de falar para fitá-la e apenas sorri ao perceber que até Seungkwan a encarava confuso.

Sunbae Min Yejin era uma mulher que tinha seus momentos de confiança, mesmo sendo insegura a maior parte do tempo, mas em momentos de confiança ela fazia coisas como aquela e, honestamente, eu a admirava por isso. Ela então parou na frente de um deles, o mais baixo de todos, e ele apenas ficou de pé fazendo uma reverência para ela, quem logo retribuiu, ele pegou seu copo e logo passou o braço em volta de sua cintura a direcionando para um dos lugares mais vazios da sala.

Ah, deus, eu realmente sorria achando aquilo uma das coisas mais adoráveis e legais que eu havia visto, ela agora estava sentada como uma garotinha inocente enquanto ele sequer parecia o garotinho pequeno e apagado no meio dos demais. Ok, aquilo tinha dado certo. E dava certo a maioria das vezes que ela o fazia, ou Hyunae fazia, e até mesmo Taewoo antes de namorar Jimin.

Desviei o olhar de ambos que agora sorriam e meus olhos encararam Boo, vendo que ele também me fitava. Boo bebia algo roxo, talvez vinho, eu não sabia dizer, mas ele logo virou seu copo no mesmo instante em que o fiz com o meu como se a água fosse capaz de me dar a coragem que a bebida trazia, por exemplo.

Fiquei de pé tomando a coragem necessária para andar até ele e quando me dei conta sentia muito mais do que apenas o olhar de Seungkwan em mim, mas eu não olhava ao redor, apenas o fitava enquanto ele fazia o mesmo parecendo um tanto quanto atento ao que eu faria. Eu nunca tinha feito nada do tipo antes e, exatamente no meio do caminho daquela sala absurdamente enorme, senti meu coração acelerar em meu peito. Eu estava mesmo indo falar com um idol, assim como sunbae Min havia feito? Era sério? Eu não era como ela, que merda eu estava na cabeça?

Parei subitamente como se algo tivesse me travado. Eu estava próxima ao sofá, mas não o suficiente, e ainda assim encarava Boo quem, agora, franzia a testa me fitando confuso. Ele devia me achar uma completa idiota. Mas antes mesmo que eu me virasse e fosse embora da festa e da Coreia do Sul por não ter a mínima coragem nem mesmo de falar com um cara, Boo ficou de pé sorrindo e sem desviar o olhar. Ele caminhava em minha direção e parecia tão confiante quanto eu: zero. Mas mesmo assim ele vinha, caminhava com um sorriso fofo nos lábios que logo sumiu quando ele, repentino, tropeçou em alguma coisa.

Lembra aquele papo de sorte? Aquele que eu parecia estar com a sorte em alta por ter encontrado com ele, novamente, naquela festa? Então, a sorte não estava tão a meu favor assim visto que, Boo Seungkwan havia acabado de me sujar, quase que completamente, com o líquido vermelho de seu copo que agora estava caído ao lado de meus pés.

- Ah meu deus. – Escutei sua voz enquanto olhava para baixo encarando meu vestido amarelo ainda mais colado em meu corpo devido ao líquido. – Ah meu deus, me desculpa.

Ergui o olhar sentindo meu rosto queimar. Eu não gostava de ser o centro das atenções e, naquele momento, Seungkwan e eu estávamos sendo, mas, principalmente eu. Escutei algumas risadas baixas e apenas franzi a testa sorrindo para Boo tentando tranquilizar a ele e a mim mesma. Ele se aproximou percebendo que meu sorriso significava que estava tudo ok.

- Céus, eu sou um idiota. – Ele falava enquanto encarava o estrago que escorria de meu tórax até meus seios. – Sério, me desculpa.

Esbocei um pequeno sorriso passando a mão pelo vestido o sentindo molhado naquela região. – Está tudo bem, sério.

- Vem aqui. – Ele disse segurando minha mão e me puxando de leve em direção ao bar.

- Está tudo bem. – Falei o encarando. – Ei, está tudo bem.

- Não, não está. – Ele encostou o cotovelo no balcão e apoiou sua mão na testa. – Eu sou um idiota.

- Oi, prazer em te conhecer. – Sorri puxando alguns papéis do suporte e os usando para tirar o excesso do líquido. – Sou Seo Sunyoung. – Fiz uma rápida e breve reverência.

Ele riu anasalado me encarando. – Você ainda está falando comigo e se apresentando. – Ele franziu a testa sorrindo de lado. – Oi, eu sou Boo Seungkwan, um idiota que acaba de derrubar um copo inteiro de suco de uva na mulher mais bonita de toda a festa.

Sorri o encarando ele fez uma breve reverência tornando a me encarar preocupado logo em seguida.

- Eu posso pagar pela lavanderia, ok? Não sou rico, nem nada do tipo, mas eu... Eu pago. Eu espero mesmo que essa mancha saia, porque se não sair eu te devo um vestido novo.

- Ah, por favor. – Esbocei um sorriso secando meu tórax com o papel. – Olha essa mancha roxa. – Apontei na direção molhada. – Estilistas do mundo inteiro, vocês querem? Essa é uma coleção única feita por Boo Seungkwan.

Ele riu passando a mão pelos cabelos loiros e então me encarou. – Como você ainda está falando comigo?

- Não deveria?

- Deveria. Sim. Claro. Muito. – Ele falou pausadamente o que me fez rir. – Eu estou realmente contente que não estraguei tudo, mas... Céus, me desculpe.

- Está tudo bem. – Falei juntando os papéis e entregando o barman quem sorriu os jogando no lixo e então fiquei de pé. – Eu só preciso ir ao banheiro tentar tirar essa mancha e o melado do meu ombro, por exemplo. – Ri o encarando. – Não se preocupe, eu vou voltar.

- Está tudo bem se eu for com você? – Ele perguntou e então ergueu as mãos. – Eu espero do lado de fora ou há metros de distância, se preferir. Eu só... Quero ser útil e saber se devo, ou não, te dar outro vestido.

Ri anasalado balançando a cabeça negativamente. – Claro. Mas agora você pode me ajudar me dizendo onde é o banheiro.

- Vamos. – Ele disse tomando a frente, mas logo parou para me esperar e caminhar ao meu lado.

Sim, não havia sido a melhor coisa da noite Seungkwan sujar meu vestido de suco de uva, mas também não estava na lista das piores. Certamente os olhares em ambos estavam trazendo uma sensação ainda pior, mesmo com ambos nos afastando em direção a um corredor que nos levaria ao banheiro. Mas eu tentava, ao máximo, não me importar.

Caminhávamos em silêncio por um corredor longo e largo que acendia as luzes automaticamente, a casa de Taemin era maravilhosa e o corredor era cheio de quadros e molduras relacionados a ele, seus álbuns solos, suas fotos ou de SHINee, me sentia em um paraíso, onde caminhava pelo corredor de minha casa. Esbocei um pequeno sorriso com o pensamento e Seungkwan então parou na primeira porta de madeira indicando que ali era o banheiro da casa. O agradeci abrindo a porta e soltei uma risada anasalada quando ele disse que estaria ali fora caso eu precisasse.

Abri a torneira deixando a água cair enquanto encarava o estrago em um dos meus vestidos favoritos, mordi meu lábio me policiando em não xingar Boo mentalmente por aquilo, afinal, não havia sido sua culpa. Peguei a toalha branca do banheiro a molhando na ponta e começando a esfregar no vestido, mas, por mais que a toalha começasse a assumir um tom rosado, o roxo permanecia em meu vestido amarelo como se fizesse parte do estilo do mesmo. Esfreguei mais algumas várias vezes e então escutei uma batida na porta seguido de uma voz amigável:

- Está tudo bem? – Era Boo perguntando. – Eu pagarei outro vestido, prometo.

Abri a porta o encarando agora com o vestido não só úmido e manchado de suco de uva, mas também de água. – É, eu acho que você me deve um vestido novo. – Brinquei.

Ele coçou a nuca soltando uma risada desconcertada e logo fez uma referência demorada. – Me desculpa.

- Ei, eu já falei que está tudo bem.

- Não, não está. – Ele ergueu o corpo me fitando. – Eu realmente sinto muito.

- É só um vestido. – Dei de ombros.

- Por favor, eu vou até lá pegar o dinheiro com nosso manager e já volto aqui para trazê-lo.

- Não. – Balancei a cabeça negativamente achando aquilo ridiculo. – Não. Não precisa.

- Sim, precisa. – Ele falava com um pequeno sorriso no rosto, mas não parecia, de fato, bem.

- Eu falo sério, não precisa.

Ele então fez outra reverência me ignorando e se afastando. Soltei a porta ao perceber que ele voltava para a sala para fazer o que tinha acabado de dizer, e caminhei em sua direção o puxando pelo pulso. Boo me encarou parando de andar e eu apenas parei de andar em um solavanco inesperado, não esperava que ele parasse de andar com tanta facilidade.

- Não vou demorar, eu prometo.

- Não precisa. – Disse ainda segurando em seu pulso, insegura se devia ou ao solta-lo.

- Você fica tão bem de amarelo e eu consegui estragar isso. – Ele sorriu de lado e foi um sorriso completamente triste, frustrado.

- É minha cor favorita. – Disse com um pequeno sorriso.

Ele balançou a cabeça positivamente. – Eu suspeitei quando te vi entrar.

Franzi a testa o encarando. – Só por me ver entrar?

- E por lembrar do avental amarelo, na chateria essa manhã. – Ele sorria. – Eu realmente sinto muito.

- Você se lembra?

Ele riu anasalado se virando em minha direção. – Desculpa, mas você não é do tipo inesquecível.

O fitei esboçando um sorriso ainda maior. Eu ainda segurava em seu pulso, mas ele parecia não se importar, e muito menos quando dei um passo à frente me aproximando dele. Seungkwan me fitava nos olhos com um sorriso um tanto mais confiante nos lábios, ele não parecia mais tão desapontado ou frustrado consigo mesmo e isso fazia com que eu me sentisse melhor. Melhor o suficiente para aproximar meu rosto do seu e selar nossos lábios, algo que eu queria desde o primeiro instante em que o vi naquela fila com seu sorriso largo e adorável.

Seungkwan, a princípio não soube o que fazer e não o culpava, afinal, tinha sido completamente impulsiva, mas impulsividade parecia ser a palavra do dia então, não estava surpresa. Me surpreendi no exato instante em que senti a mão de Seungkwan em minha nuca e simplesmente o deixei iniciar o beijo fazendo com que eu me arrepiasse por um breve momento com sua língua quente em contato com a minha. E ele estava com gosto de uva, o que me fez sorrir em meio ao beijo, ele logo percebeu o sorriso e o retribuiu por um pequeno segundo, logo voltando a atenção para o excelente beijo que dávamos.

Não que eu tivesse pensado o contrário, mas Seungkwan beijava muito bem, ele conduzia o beijo se dificuldades e, mentalmente, eu agradecia por ele ser tão bom. Bom o suficiente para que eu me sentisse completamente à vontade com seus lábios e ele não parecia estar diferente. Ergui os braços os passando em volta de seu pescoço, mesmo com salto Seungkwan ainda era mais alto do que eu, não muito, mas o suficiente para que ele tivesse de se curvar um pouco seu corpo para manter o beijo.
Senti sua outra mão em minha cintura enquanto mantínhamos o beijo, agora, mais caloroso e dei alguns passos para trás de modo que o trouxesse comigo. Eu nunca havia feito nada do tipo, mas parecia uma boa ideia na minha mente. Eu não tinha nada a perder, de qualquer maneira.

Seungkwan quebrou o beijo me encarando na porta do banheiro, seus lábios estavam rosados e o encarei tentando esconder o fato de que estava ofegante devido ao beijo. Mordi meu lábio ainda com os braços em volta de minha cintura e apenas sorri quando ele sussurrou:

- Você é linda.

E antes que eu pudesse responder ele tornou a me beijar mais necessitado do que antes, retribui o beijo sem pensar duas vezes e o senti me direcionar em direção ao banheiro sem pensar duas vezes. Assim que entramos fechei a porta com meus pés, e o puxei em direção a porta encostando minhas costas na mesma, agora fechada.

Subi minhas mãos para sua nuca sentindo seu cabelo macio entre meus dedos, Seungkwan retirou a mão de minha nuca e logo escutei o barulho da tranca da porta, o que me fez morder seu lábio enquanto eu sorria quebrando o beijo e o fitando nos olhos, mas ele mantinha seus olhos fechados enquanto suspirava com a mordida e, caralho, aquilo era tão sexy. Seungkwan abriu os olhos e umedeceu os lábios enquanto eu fitava sorrindo. Ele segurou em minha cintura com ambas as mãos enquanto mordia o próprio lábio úmido e rosado.

- Nunca fiz isso antes. – Ri anasalado o encarando.

- O que? Beijar ou...?

Soltei uma risada um tanto quanto mais alta. – Não. Não o beijo. – Passei a língua entre os lábios e apenas observei Seungkwan observa-los atento. – Sexo no banheiro de uma festa. – Sibilei lentamente.

Seungkwan ergueu o olhar mordendo o próprio lábio. – Nem eu. – E então desceu as mãos para minhas coxas erguendo o vestido até minha bunda. – Mas parece ótimo.

Fechei os olhos o sentindo apertar minha bunda. – É, definitivamente, parece.
Senti os lábios de Seungkwan molharem meu pescoço enquanto ele beijava minha pele avido e de uma maneira incrivelmente gostosa. Sorri de lado ao sentir sua língua quente e calorosa percorrer por meu pescoço em direção a meus seios. Ele então ergueu o rosto me fitando, novamente.

- Você tem gosto de suco de uva. – Brincou rindo.

- Alguém derrubou suco em mim. – Fiz uma breve careta, rindo em seguida.

Ele segurou o riso. – Omo, como puderam fazer isso com você?

O empurrei de leve para trás fazendo com que Seungkwan me fitasse um pouco confuso. – Não sei. – Resmunguei enquanto ficava ainda menor já que estava tirando os sapatos de salto. – Acho que foi um acidente. – Resmunguei levando minhas mãos até as costas do vestido descendo o zíper lentamente.

- É? – Ele questionou tentando manter a pose, mas o volume em sua calça o entregava.

- É. – Sussurrei descendo o zíper por completo sem desviar meu olhar do seu.

- Ele é um idiota.

Empurrei o vestido por meus ombros deixando que ele escorregasse por meu corpo até cair ao chão. – Você acha? – Perguntei chutando o vestido amarelo para o lado.

- Definitivamente. – Seungkwan umedeceu os lábios olhando para meu corpo seminu a sua frente.

Me aproximei andando lentamente e então parei a sua frente esboçando um sorriso safado. – Eu quero ele tanto, sabe?

Ele mordeu o lábio inferior e então segurou em minha nuca. – É, ele sabe. Porque ele também te quer muito. Porra, e como ele quer.

Seungkwan tornou a selar nossos lábios e apenas fiquei na ponta dos pés enquanto segurava em seu ombro firme o suficiente para que ele entendesse o que se passava, ele logo entendeu e senti sua mão em minha perna direita me puxando para seu colo sem demora. Passei as pernas em volta de sua cintura e logo o senti caminhar comigo até algum lugar onde me colocou sentada, percebi ser o balcão do banheiro, próximo a pia, mas não me interessava tanto assim. Descruzei as pernas e desci minhas mãos para os botões de sua camisa branca social um tanto quanto desesperada por seu corpo. Seungkwan me ajudou a desabotoar sua blusa e quebrou o beijo a retirando rapidamente e jogando em qualquer lugar no chão do banheiro.

Esbocei um pequeno sorriso enquanto o encarava sentindo suas mãos alisarem minhas pernas e apenas conti um gemido ao senti-lo apertar minhas coxas. Seungkwan percebeu que aquele era meu ponto fraco e então o fez novamente me encarando completamente pervertido. Apenas mordi meu lábio sorrindo e deitando o rosto para trás enquanto fechava os olhos sentindo as mãos de Seungkwan subirem por minha perna, e foi então que abri os olhos ao senti-lo parar em meu quadril segurando as laterais de minha calcinha.

O encarei erguendo o quadril e lhe dando total liberdade para puxá-la para baixo, o que ele logo o fez mordendo seu lábio e a descendo por minha perna de uma maneira completamente sexy. Assim que ele a deixou cair ao chão, o fitei abrindo as pernas lentamente, o que fez com que ele deitasse o rosto um pouco para o lado enquanto umedecia os lábios. Céus, eu já estava molhada, e completamente necessitada de Boo Seungkwan, mas não queria ser completamente apressada, estava disposta a aceitar o que ele tivesse a me oferecer.

Seungkwan tornou a se aproximar e se encaixou entre minhas pernas selando nossos lábios novamente e iniciando um beijo intenso, retribui imediatamente e senti suas mãos em minhas costas me puxando para mais perto de si enquanto eu fazia questão de chegar meu quadril para a beirada o máximo que conseguisse. Ele logo quebrou o beijo e desceu os beijos para meu maxilar, em seguida meu pescoço e meu tórax fazendo com que eu ansiasse por seus lábios em outro local, mas era exatamente para lá que Boo se direcionava.

O senti puxar meu sutiã de renda e sem alça para baixo enquanto beijava minha clavícula me fazendo morder o lábio, antes mesmo que eu pudesse esperar senti sua mão agarrar meu seio com força me fazendo soltar um gemido agradável, Seungkwan logo a abriu fazendo com que a palma de sua mão roçasse em meu mamilo e, novamente soltei um gemido fazendo com que ele me lançasse um olhar prazeroso antes de descer seus lábios quentes para o seio esquerdo.

Seungkwan beijava, mordia e chupava meus seios enquanto massageava o outro com suas mãos, eu estava me sentindo cada vez mais uma úmida e não conseguia controlar os gemidos enquanto ele se deliciava com meus seios. Tudo o que eu conseguia fazer era apertar minha mão em seu cabelo loiro enquanto apoiava a outra próxima a pia. Seungkwan tornou a erguer seu rosto e sorriu de lado afastando meus joelhos mais uma vez, de modo que eu compreendesse o que ele queria.

Ergui meu quadril o aproximando da beirada do balcão e ele apenas sorriu levando dois dedos até os lábios e os umedecendo enquanto eu o fitava ofegante e, provavelmente, desesperada por seu toque. Ele então sorriu e levou os dois dedos em minha vagina me fazendo soltar o ar enquanto fechava os olhos. Senti Seungkwan fazer movimentos circulares em meu clitóris com o dedão e, sem nem mesmo esperar, o senti introduzir um dedo em minha vagina me fazendo jogar o rosto e parte de meu corpo para trás.

Seungkwan logo colocou um segundo dedo fazendo com que eu mexesse meu quadril em um espasmo, abri os olhos o encarando e ele apenas esboçou um pequeno sorriso aproximando seu rosto de minhas pernas. Sem desviar o olhar, Seungkwan aproximou seus lábios o suficiente de minha vagina para que eu soltasse um gemido abafado enquanto mordia meu lábio ansiando por mais. Ele então sorriu e estremeci ao sentir sua língua quente em toda minha extensão enquanto mexia seus dedos dentro de mim.

Desci minha mão para seu cabelo novamente e ele logo entendeu que eu o pedia para me chupar, o que ele logo o fez sem pestanejar. Seungkwan passava a língua por todo o meu clitóris lento e deliciosamente enquanto eu sentia seus dedos cada vez mais rápidos dentro de mim. Estremeci ao senti-lo chupar meu clitóris não uma, nem duas ou três, mas diversas vezes sem um espaço de tempo certo. Eu já não conseguia mais segurar os gemidos como antes e apertava minhas mãos em seus cabelos enquanto o sentia chupar meu clitóris e passar a língua no mesmo ao mesmo tempo em que mexia os dedos dentro de mim. Puta que pariu, como ele era bom.

Mordi meu lábio segurando firme em seu cabelo, e ele ergueu o rosto fazendo com que eu o fitasse soltando um gemido manhoso, Seungkwan permaneceu mexendo os dedos dentro de mim enquanto aproximava seu rosto o meu, novamente, ele passou a língua por seus lábios como se estivesse sentindo meu gosto e apenas selei nossos lábios iniciando um beijo quente e necessitado. Seungkwan logo retribuiu e pude sentir meu gosto em seus lábios que agora não tinham mais gosto de suco de uva. Puxei sua mão de minha vagina, o que fez com que ele quebrasse o beijo me fitando confuso.

- Se você não parar, eu não vou aguentar.

Ele apertou minha coxa mais uma vez permanecendo com sua mão ali. – Mas você está tão molhada.

- E você duro. – Sussurrei inclinando meu corpo para frente e apertando o volume que se formava em sua calça, ele apenas soltou a respiração me encarando com um pequeno sorriso. – Como você sabe, estou suja de suco de uva. – Segurei o riso. – Acho que preciso de um banho.

Seungkwan olhou por cima do ombro nu encarando a ducha de Taemin e em seguida me fitou sorrindo. – Isso parece uma ótima ideia.

Sorri mordendo meu lábio e o empurrei para trás enquanto descia do balcão, assim que o fiz, selei meus lábios nos de Seungkwan mais uma vez enquanto descia minhas mãos para a barra de sua calça jeans a desabotoando de imediato. Não fiz menção e muito menos demorei para descer sua calça o máximo que minha mão ia, sem atrapalhar o beijo, mas ele logo terminou de retirar sua calça e boxer com os pés e a chutei para o lado, soltando uma risada anasalada ao quebrar o beijo e encarar seu membro duro. Mordi meu lábio segurando sua mão e logo o puxando comigo em direção a ducha grande e chique. Apertei no painel o botão de ligar e logo coloquei para a água morna cair em cima de nós, Seungkwan me encarou enquanto eu deixava a água cair por meu corpo de modo que ficasse, literalmente, toda molhada. Antes que isso pudesse, de fato, acontecer, ele tornou a selar nossos lábios iniciando um beijo quente embaixo da água que, agora, molhava ambos os corpos.

Passei os braços em volta dos ombros de Seungkwan e o virei em direção a parede quebrando o beijo mais uma vez, mordi seu lábio e logo o soltei descendo os beijos para seu maxilar enquanto me aproveitava de cada pedaço do mesmo que era bem marcado em seu rosto perfeito, desci meus beijos por seu pescoço e tórax e antes mesmo de me ajoelhar a sua frente, senti Seungkwan entrelaçar os dedos em meu cabelo longo fazendo como que eu sorrisse excitada.

Ajoelhei a sua frente e assim que olhei para cima vendo Seungkwan me encarar atento com os lábios entreabertos e um pequeno sorriso, senti meu corpo esquentar ainda mais. Umedecendo meus lábios e segurando em seu pau duro a minha frente, Seungkwan não demorou a soltar um gemido manhoso e apenas sorri sem deixar de encará-lo enquanto envolvia a cabeça de seu pênis com meus lábios, como se estivesse chupando o pirulito mais gostoso que havia experimentado.

Seungkwan segurava firme em meu cabelo e assim que fez um breve movimento para frente de modo que eu o chupasse por completo, logo o fiz fazendo com que meus lábios descessem por toda sua extensão o colocando por inteiro em minha boca. A água caia em nossos corpos deixando tudo aquilo muito mais sexy e muito mais gostoso.

O chupava com vontade enquanto mantinha seu membro por inteiro dentro de minha boca, algo que não estava sendo muito fácil levando em consideração que Seungkwan não era pequeno, mas só de ouvi-lo gemer todas as vezes em que seu pênis batia no céu de minha boca me esforçava para fazer acontecer mais vezes enquanto dava breve pausas para chupar apenas a glande de seu pênis que estava inchada e realmente grande.

No instante em que dava uma atenção maior para sua glande, Seungkwan me puxou levemente para trás fazendo com que um estalo saísse de minha boca por não estar mais em contato com seu pênis, o encarei erguendo o olhar e ele apenas sorriu me puxando para cima e selando nossos lábios sem nem mesmo se justificar, mas ele provavelmente não demoraria a gozar visto que sua glande estava inchada, e, assim como eu, ele não queria que tudo aquilo acabasse rápido demais.

Quebramos o beijo novamente e Seungkwan sussurrou sobre camisinha saindo de dentro do boxer e indo em direção a sua calça jeans, assenti em silêncio e me enfiei debaixo da água o esperando enquanto sentia a água escorrer por meu corpo, ele logo voltou segurando a camisinha em mãos e antes mesmo que ele pudesse colocá-la, segurei suas mãos me aproximando e desenrolando a camisinha em seu pênis ereto enquanto ele me encarava respirando pesado. Esbocei um pequeno sorriso tornando a selar nossos lábios.

Seungkwan segurou em minha cintura fazendo com que eu desse alguns passos para trás e paramos ao sentirmos o azulejo, sem quebrar o beijo ergui minha perna em direção a cintura dele quem, logo, me segurou em ambas as coxas, me puxando para seu colo, quebrei o beijo mordendo o lábio e ele sorriu se ajeitando entre minhas pernas, segurei em seus ombros e apenas deitei meu rosto para trás, sentindo a água cair em meus seios, quando Seungkwan penetrou lentamente.

Mordi meu lábio e arrepiei ao sentir seus lábios, novamente, em meu pescoço. Seungkwan mexia o quadril lentamente de modo que eu me acostumasse consigo dentro de mim, mas assim que rebolei meu quadril junto ao dele, ele percebeu que estava tudo bem aumentar os movimentos. Soltei um gemido abafado assim que ele retirou seu pau de dentro de mim e o colocou de uma única vez, apertei as mãos em seus ombros e voltei meu rosto ao normal fazendo com que ele retirasse os lábios de meu pescoço.

Nos encaramos enquanto e sorrimos, praticamente, no mesmo instante enquanto nossos olhares se encontravam, Seungkwan umedeceu os lábios aumentando a velocidade de seu quadril junto ao meu, não me esforcei para conter o gemido naquele momento e apenas mordi meu lábio sentindo meu corpo cada vez mais quente. Apesar da água morna estar caindo em nossos corpos eu sentia o calor tomar conta de mim, e me sentia cada vez mais quente.

Com as costas encostadas no azulejo atrás de mim, sentia Seungkwan apertar minha cintura com ambas as mãos enquanto ele me mantinha seu colo, me preocupava se, talvez, estivesse ruim para ele me segurar de tal maneira, mas seus gemidos me faziam crer que não, que estava tudo bem. Seungkwan mexia seu quadril um pouco mais rápido enquanto nossos gemidos se misturavam nem tão altos e não tão baixos e tudo o que fiz foi descer minhas mãos por suas costas enquanto ele tornava a beijar minha clavícula fazendo com que eu sentisse o arrepio percorrer por todo meu corpo. Arranhei suas costas de leve fazendo com que ele perdesse toda a concentração em meu colo e soltasse um gemido enquanto descia as mãos para minha bunda de modo que segurasse firme enquanto a apertava.

- Você vai me deixar louco. – Ele sussurrou com os lábios em minha pele.

- Você é tão bom. – Soltei em meio a gemidos.

Ele apenas sorriu e mordeu meu lábio de leve, passei os braços em volta de seu pescoço colando nossos corpos um pouco mais e tornei a deitar o rosto para trás sentindo Seungkwan por inteiro dentro de mim. Não me importava se estava gemendo alto demais ou se chamaríamos a atenção de alguém e, pelo visto, nem mesmo Seungkwan quem soltava alguns gemidos manhosos e descontrolados enquanto chupava e mordia meu pescoço tornando tudo aquilo muito mais gostoso.

Apertei minhas mãos em seu cabelo quando senti meu corpo estremecer, sabia que estava próxima do meu ápice e apenas sussurrei no ouvido de Seungkwan seu nome e antes que pudesse completar minha frase, ele me interrompeu respondendo ofegante:

- Sim... Caralho, sim, eu também tô quase lá.

Esbocei um pequeno sorriso e então mordi meu lábio deitando meu rosto para trás sem conseguir, ou querer, controlar o gemido. Senti todo o meu corpo estremecer enquanto eu me mantinha com o mesmo colado no de Seungkwan, a água que caia por meu corpo fazia com que eu arrepiasse ainda mais e apenas apertei minhas mãos nas costas de Boo sentindo meu orgasmo e gozando enquanto ele se situava e mexia seu quadril um tanto quanto mais rápido fazendo com que meus gemidos se tornassem ainda mais altos e arrastados.

Seungkwan, logo em seguida, não foi diferente. O senti apertar minha bunda com uma força ainda maior e sabia que ele havia chego ao seu ápice, também. Arrepiei ainda mais ao senti-lo gemer em minha pele fazendo com que seus dentes arrastassem por meu ombro enquanto ele gozava. Mexi meu quadril junto ao seu de modo que o auxiliasse e ele apenas sorriu erguendo o rosto e juntando sua testa na minha. Seus cabelos loiros caiam por sua testa e quase tampavam seus olhos enquanto ele me fitava em êxtase, selei nossos lábios em um beijo lento enquanto tentava recuperar meu ar e pude sentir Seungkwan parar de mexer seu quadril junto ao meu se entregando ao beijo calmo. Provavelmente o mais calmo de toda aquela noite.

Assim que separamos nossos lábios Seungkwan e eu nos encaramos ambos ofegantes e então sorrimos. Ele tornou a subir a mão para minha cintura e tornei a colocar os pés no chão o fitando. Seungkwan aproximou nossos rostos e então beijou meu maxilar e meu pescoço por um tempo, até que me fitou, sugerindo:

- O que acha de terminarmos nosso banho e sairmos daqui?

- Da festa?

Ele balançou a cabeça positivamente. – Sim, da festa.

- Eu acho uma excelente ideia. – Sorri de lado o fitando.

Ele selou nossos lábios rapidamente. – Podemos tomar um chá.

Soltei uma risada anasalada balançando a cabeça positivamente. – Um chá parece maravilhoso.

- Prometo não derrubar o chá em você. – Ele segurou o riso balançando a cabeça positivamente.

- Ah, se caso o fizer, vou precisar da sua ajuda de novo. – Sorri arqueando as sobrancelhas.

Ele sorriu e então fez um bico. – Sendo assim, não posso te prometer nada. – Acho que é melhor assim. – Ele riu.

Passei os braços em volta de seu pescoço e então balancei a cabeça positivamente sorrindo enquanto me sentia, realmente, sortuda naquela noite:

- Definitivamente, é melhor assim.


Notas Finais


Natasha, se eu falar de você aqui eu vou ter que criar uma história de mais de 10k de palavras e mesmo asism não vai ser o suficiente pra mostrar o quanto eu te amo e quanto eu to feliz por estar com você o seu aniversário. Eu te amo demaaaaaaaaaaais! Você é minha melhor amiga, eu te amo muito, você é minha irmã de alma e sempre tá presente na minha via e mesmo de longe te sinto aqui de pertinho.
Te amo mais que tudo, obrigada e que você tenha um dos melhores dias da sua vida!!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...