História You really my happiness? - Taehyung and Jungkook - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Jeon Jungkook, Jungkook, Kim Taehyung, Taehyung
Visualizações 41
Palavras 1.423
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei bem cedo agora por que eu sou toper

Desculpa ae qualquer erro... E espero que gostem.. ❤

Capítulo 7 - Stable relationship


Fanfic / Fanfiction You really my happiness? - Taehyung and Jungkook - Capítulo 7 - Stable relationship

Depois daquilo eu me contentaria com apenas continuar de baixo daquele chuveiro tentando ficar limpa e não me sentir tão suja.

Mas era por dentro que eu me sentia suja, e essa sujeira eu não conseguiria limpar com um banho, nem com outro tipo de utensílios de limpesa.

Então depois de um longo tempo lá eu apenas sai caminhando o mais devagar possível pela dor que eu ainda sentia e fui para um outro quarto que tinha na casa.

Eu não dormiria ao lado do Jungkook sabendo que no outro dia ele provavelmente me olharia com os mesmos olhos que me olhou enquanto fazia tudo aquilo.

Pra mim ainda é difícil lembrar...

Pensar que eu poderia ter tido uma primeira vez que qualquer garota sonhava com ele, se talvez ele não tivesse descoberto me dói.

Por que ele mesmo tendo feito isso continuava ser o meu Kookie entendem?

Talvez não...

Mas não vem ao caso agora.

Depois que eu tomei banho e fui para o outro quarto e me certifiquei que tinha trancado a porta bem, fui tentar dormir, o que mesmo com tudo que aconteceu, logo consegui por estar incrivelmente cansada.

E no outro dia apenas acordei com batidas leves na porta.

Eu sabia de quem era e estava com medo de abrir.

Jungkook: Amanda? Abre a porta.

A voz dele parecia ser de outra pessoa.

Não parecia a mesma de ontem à noite.

Ele não parecia aquele homem bruto que me forçou a fazer sexo com ele só pra ter uma posse à mais de mim pra si.

Eu sei que muitos poderiam me julgar errada, mas eu não consegui deixar ele lá me chamando, eu apenas fui lá e abri a porta, mas eu não falei nenhuma palavra, apenas encarei ele.

Olhei no fundo dos seus olhos e eles estavam com olheiras causadas provavelmente pela bebida.

Meu olhar com certeza foi o mais frio que eu já tinha lançado pra ele.

Ele tentou se aproximar mas eu rapidamente me afastei assustada.

Eu não queria que ele me tocasse, não queria que ninguém me tocasse.

Amanda: O que você quer aqui?

Jungkook: E-eu, não sei o que dizer pra você.

Amanda: Eu não quero ouvir, quero que saia e me deixe sozinha, eu quero ficar sozinha e tentar descansar.

Jungkook: Eu fui muito bruto não fui? Eu te machuquei, eu sei disso, eu lembro de ter feito da pior maneira possível, me perdoa por favor, meu amor.

Eu vi que em seu olhar havia um desespero e o que eu vi também foi um garoto indefeso que não sabia o que estava fazendo.

Talvez eu veja inocência onde não existe...

Por que eu não consigo ver ninguém sofrer, sabe?

Eu não posso ver pessoas sofrendo, por que prefiro sofrer por elas.

Vi que ele olhou pra todo o meu corpo e parava o olhar em cada marca deixada por ele, eu sentia como se cada uma estivessem sendo feitas naquele instante em que ele olhava, por que a dor ainda era muita.

Jungkook: Meu Deus Amy, o que eu fiz com você? O que eu fiz?

Amanda: Jungkook, eu realmente quero ficar sozinha.

Jungkook: Me perdoa por favor, e-eu não queria, não deveria, eu não... Ai meu Deus o que eu fiz com você meu amor? Você era virgem e eu fiz isso, me desculpa eu sabia que você era e eu te fiz passar por aquela dor, eu não estava na minha consciência boa, me perdoa.

Ele se ajoelhou perto de mim chorando, mas eu não deixei ele me tocar.

Então ele apenas ficou ajoelhado chorando sofridamente.

Amanda: Eu te perdôo.

Assim que eu disse isso ele me olhou com os olhos vermelhos e surpresos, mas sem parar de chorar.

Jungkook: Tá falando sério? Não tá brincando comigo?

Amanda: Não tô brincando Jungkook, eu te perdôo, de verdade.

Ele se levantou e tentou vim até mim mas eu rapidamente me afastei de novo.

Jungkook: Mas, eu pensei que...

Amanda: Eu te perdoei Jungkook, mas isso não quer dizer que não existem dores, marcas, sequelas e medos que você me deixou depois daquilo que você fez, que você falou... eu te perdoei sim, mas não quero que me toque, eu não quero que ninguém me toque.

Jungkook: Mas eu sou o seu marido Amy, eu uma hora ou outra vou ter que tocar em você.

Amanda: Você não entende não é? Eu era virgem Jungkook, e eu fui estuprada pelo homem que eu amo, como você acha que eu me sinto agora? Eu me sinto um lixo e eu não quero que ninguém chegue perto de mim, não agora... Eu tenho direito de querer isso.

Lembro que ele fez uma carinha de quem não estava querendo concordar mas apenas afirmou com a cabeça cansado.

Jungkook: Posso pelo menos te abraçar?

Amanda: Me desculpe, mas não. Pode sair por favor?

Quando ele saiu e fechou a porta eu me deitei na cama com toda a calma do mundo pra não ter que sentir nenhuma dor de novo e fechei meus olhos na tentativa de não pensar sobre aquela noite.

Eu não podia acreditar ainda.

E mesmo amando o Jungkook, eu não queria ter que conviver na mesma casa que ele, por que seria demais pra mim.

Mas eu não tinha escolha, estávamos casados e eu não podia simplesmente ir embora dali.

                    (...)

Se passou 2 meses depois desse acontecido e eu já tinha voltado a trabalhar com as crianças, sentia muita falta da Yerin e seu lindo sorriso.

Meu relacionamento com o Jungkook não ficou aquela convivência ruim, nós voltamos a nos falar normalmente e eu já não me sinto muito incomodada com seus toques em mim, apesar de não serem muitos já que eu evito que ele me toque demais.

Porém eu nunca mais deixei que ele me tocasse de uma forma mais íntima.

Eu tinha ficado com um enorme trauma, sei que pra muitos isso não passava de uma besteira e que já que ele é meu marido eu não deveria me sentir assim, mas eu estava com mais medo de fazer isso agora do que quando eu era virgem, entendem minha situação? Eu tenho medo de sentir que todas as lembranças daquela noite estão voltando.

Ele aparentemente pareceu aceitar isso, mesmo eu sabendo que ele sentia vontade de fazer e de se redimir comigo, mas ele não tocou no assunto e nem tentou nada, por que sabia o quanto eu tinha ficado traumatizada depois de tudo aquilo.

Eu estava lá no meio das crianças quando Yerin veio correndo toda sorridente pra mim, como sempre fazia com aquele seu lindo sorriso quadrado.

Yerin: Titia Amy, você está muito linda hoje.

Lembro que quando pequena, a Yerin sempre foi uma criança esperta e também bastante carinhosa.

Ela nunca poupava seus elogios comigo, mesmo eu não sendo a mais linda das mulheres dali ela parecia me bajular mais, talvez porque nós éramos mais próximas.

Amanda: Sério meu amor? Que bom que acha isso, eu nem me arrumei tanto.

Yerin: Você sempre está maravilhosa Tia Amy, o Tio Kookie tem muita sorte de ter casado com você.

Com o passar do tempo o Jungkook tinha conseguido conquistar o coraçãozinho da Yerin e ela o amava muito.

Ele conseguiu ser amigo dela por ser uma pessoa ótima em se comunicar com quem é uma pessoa tímida igual a ele.

Eu sei o que estão pensando.

Talvez eu deveria ter raiva dele pelo o que ele me fez passar, mas eu não consigo ter raiva do Jungkook, só consigo ter uma tristeza e mágoa por saber que ele se alterou tanto a ponto de me agredir daquela forma.

Mas não é raiva, eu não consigo sentir isso, por que apesar de tudo eu o amo...

Mesmo com todas as coisas não se pode deixar de amar alguém de uma hora pra outra...

De longe vi uma silhueta alta de cabelos escuros se aproximar e já conheci quem era, assim que viu Yerin saiu correndo em direção do seu melhor amigo/Tio o abraçou.

Ele veio andando até mim e sorriu, apesar do tempo o seu sorriso continua infantil...

Jungkook: Ela fica pesada a cada dia.

Amanda: Eu que o diga, ela parece um tijolo e ainda se joga nos braços das pessoas.

Yerin: EI, EU SOU UMA PRINCESA, NÃO PODEM FALAR ASSIM DE UMA PRINCESA.

Jungkook: Tudo bem princesa, me desculpe.

Sorrimos e passamos aquela tarde conversando.

Era bom conversar com ele mesmo que estivéssemos ainda nos entendendo.

O Jungkook era uma ótima companhia.

Assim que deu meu horário de saída fomos juntos para casa e ele todo o caminho não deixava nossa conversa parar em nenhum momento.

Apesar de tudo nossa relação estava sendo boa...

Mas não era o suficiente, entendem?

Eu sentia que não éramos verdadeiramente feliz.

Por que eu sabia que mesmo que estivéssemos nos reconciliando de novo, eu não tinha confiança nele ainda.

Eu só espero que minha confiança nele volte, então quem sabe nós podemos ser finalmente felizes de verdade..


Notas Finais


E aí bebês, o que estão achando?
Falem comigo...
Adoro ler os comentários de vocês ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...