História You're lucky (mitw) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Felipe "Febatista" Batista, Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Personagens Mike, Pac
Tags Mike, Mitw, Pac, Tayr, Tazercraft
Visualizações 181
Palavras 2.410
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Chegada


capítulo 1

>Chegada<

 

Você tem sorte.

Você está apaixonado pelo seu melhor amigo.

A pessoa que te aceita nos seus piores momentos.

A pessoa que ri das suas piadas idiotas.

A pessoa que te conhece melhor do que você mesmo.

Você tem sorte.

 

— Pode deixar que eu levo suas malas, moço. — Mikhael diz quando abro o porta-malas do meu Porsche e tiro três malas, soltando-as no chão.

— Não se preocupe, Mike. — respondo o moreno que já pegava duas.

— Eu insisto, fí. — Mikhael carrega as duas para dentro da casa, enquanto Tayr fechava o portão já que eu deixei o carro estacionado dentro do pátio.

Pego a última mala e carrego para dentro, ambas as três eram grandes e pesadas, já que eu tentei trazer o máximo que pude de roupas e coisas.

Me mudar de vez para São Paulo foi uma decisão complicada de se tomar. Eu deixei meu apartamento, vendi coisas, e outras deixei com meus pais mesmo, tudo precipitadamente após uma briga feia com Amanda.

Foram tantas e tantas coisas ditas, que minha mente se sobrecarregou e ao menos lembro de onde começamos, só sei que não terminamos nada bem.

Fui insultado de babaca e entre mil outras coisas, sendo que quem estava errada era ela. Nosso relacionamento não ia nada bem, e ter tomado a atitude de sumir sem que ela soubesse foi o melhor.

Aqui eu posso lidar com as coisas do meu canal com o Mikhael facilmente, posso ir mais em eventos, além de simplesmente me fazer presente e termos mais opções para gravar vídeos.

Subo para meu quarto, ainda vazio, onde Batista largava a caixa com meu PC e outras coisas. Batista ia ocupar o quarto do Cafeinado, que ficava lá embaixo, já que o Café tinha se mudado, e eu ia ficar com o quarto do Felipe aqui em cima. Eu me ofereci pra ficar com o quarto lá embaixo, mas Batata insistiu dizendo que ele não via problemas em ficar lá, pois ele teria até mais privacidade. Quem sou eu pra reclamar, certo?

O problema, é que faltam móveis pro meu quarto, e vou ter que organizar isso aos poucos. E com isso, vem o fato de que terei que dividir quarto com o Mike até lá.

Largo minha mala junto com as outras duas que o Linnyker já tinha colocado aqui.

— Pac, vem cá! — Mike me chama de seu quarto.

— To indo!

Subo minha calça jeans preta, com rasgos no joelho, já que ela estava baixando. Acho que emagreci um bom tanto pra ela estar escorregando com facilidade. Minha camisa branca está manchada na barra com óleo, quando parei no posto de gasolina vindo pra cá acabei esbarrando num metal sujo.

Vou até o quarto do Mike, e quando entro, vejo ele separando sua cama ao meio com travesseiros. Gargalho um pouco.

— Oque tá fazendo? — pergunto me aproximando e ele sorri de canto.

— Vamos dividir a cama até você comprar a sua e organizar seu quarto, portanto, estou fazendo uma divisória de travesseiros pra você se sentir melhor.

Reviro os olhos e vou até ele, que estava vestido com uma camisa preta e sua jaqueta de couro, e jeans também escuros, arranco os travesseiros da cama, atirando no chão. Mike me fita e ajeita os pés com meias azuis claro com sorvetinhos de morango de casquinha espalhados por todo o tecido, cruzando as pernas como colo de índio, e ri de leve.

— Por que fez isso? — pergunta e dou de ombros.

— Eu que te pergunto. Não há nada demais em dividirmos cama, só não precisamos comentar isso com o público. À menos que você vá fazer algo comigo enquanto durmo, aí sim colocamos os travesseiros. — digo zombeteiro e Mike se joga na cama rindo.

— Tudo bem então. Sem travesseiros de divisória. — ele se levanta e caminha até as janelas de seu quarto, abrindo-as.

— Temos vídeos prontos pra hoje? — pergunto e ele resmunga que sim — Ótimo, isso significa que posso apodrecer descansando e dormindo. Vou tomar um banho.

— Tá bom. Eu vou descer e ver com o Tayr quem vai fazer o almoço, aí você pode dormir tranquilo que eu vou vir te chamar pra comer. — ele sorri e eu concordo balançando a cabeça.

Mike sai do quarto e eu vou para o meu, abrindo a mala azul e tirando de lá minha toalha, e indo para a mala preta, pego uma camisa cinza, uma calça de moletom preta e meias brancas, além de uma box branca.

— Oh Mike!? — berro no corredor.

— Fala Pac! — ele grita lá de baixo.

— Posso usar seu shampoo, condicionador e sabonete?

— Pode sim, só deixa a água escorrer no sabonete depois pra não compartilhar seus germes nojentos comigo! — ele gargalha e ouço a risada de Tayr junto.

— Pode deixar. — respondo rindo também.

Vou para o quarto do Mikhael, fechando a porta e indo para o banheiro, e fechando ela também, mas esta eu tranco com a chave.

Penduro minha toalha num pino, largando minhas roupas sobre o balcão. Esfrego o rosto com olheiras e aparentando cansaço de dias.

Eu dirigi por horas durante essa noite, não dormi um minuto sequer, estou exausto.

Arranco as roupas do meu corpo, indo rapidamente para o box e ligando o chuveiro morno, deixando a água escorrer preguiçosamente sobre minha pele clara. Afundo o rosto na água, molhando os cabelos e esfregando devagar, como uma massagem no couro cabeludo para relaxar.

Me abaixo e pego o shampoo, colocando uma boa quantidade em minha mão e esfregando meus cabelos.

Nem ao menos lembrei de pegar esse tipo de coisa, só então me dou conta do quão despreparado sou para a vida adulta, e olha que eu já devia ser faz tempo. Lavo os cabelos rapidamente, usando o condicionador e deixando ele no cabelo enquanto lavo meu corpo, enxaguando logo após.

Desligo o chuveiro e saio do box, agarrando a toalha grande azul e secando o corpo. Bem clichê talvez, mas eu gosto de azul de verdade, e por sorte, eu lembrei de comprar uma toalha nova e decente pra vir pra São Paulo.

Me seco rapidamente, já vestindo as roupas e seguindo para o quarto, me jogando na cama de qualquer jeito.

[;]

— Moço. — Ouço a voz de Mikhael e um leve balançar em meu ombro.

— Hum? Ah. — abro os olhos e me sento na cama, esfregando os olhos — Dormi muito?

— Acho que sim. O almoço tá pronto. — ele sorri e passa a mão no cabelo, colocando a seu topete (que agora é franja, afinal ele não ergue mais), para trás.

Mikhael me passa uma imagem de tranquilidade muito forte. Isso é algo que eu nunca vou entender. Quando eu venho pra São Paulo só pra passar alguns dias, parece que todos meus problemas morrem, ele suga tudo isso da minha alma e me deixa só com sentimentos bons. Eu sou uma versão melhor quando estou com Mike, e desde o início, desde anos atrás, eu já sentia isso. Até os inscritos sentem que os vídeos são melhores quando nós dois estamos juntos, presentes no mesmo espaço, cara à cara. E eu concordo totalmente.

Mike é a melhor pessoa que eu poderia ter para contar, e quando liguei falando de minha briga com Amanda, pensei que ele jogaria muita coisa na minha cara, tudo que ele já tinha me dito há muito tempo atrás e que eu teimoso e orgulhoso nunca ouvi, mas não, Mikhael me acolheu, provou que seria meu amigo mesmo não concordando com meus atos.

— Tudo bem, vou escovar os dentes e lavar o rosto. Já desço. — ele parece satisfeito com minha resposta, pois sorri de novo e murmura um “ok”, saindo do quarto de novo.

[;]

Chego em passos arrastados na cozinha, e percebo que Mikhael grava stories pro Instagram, ele filma e ri do Tayr servindo um prato, parecia estar enfeitando.

— Você como chefe de cozinha é um ótimo editor, Tayr. — Mike zomba e Wallace apenas gargalha mais.

— Oque estão fazendo? — pergunto e Mike vira o celular em minha direção.

— Olá, Péquitedabliu. — ele fala com uma voz ritmada — Eu estou mostrando pra galera a habilidade de Tayr em preparar pratos gourmet. Ele tá preparando o seu aqui.

— Uau, quero ver. — arqueio as sobrancelhas e me aproximo da bancada, sentindo o celular de Mike focado em meu rosto.

Tayr tinha feito um montinho quadrado de arroz, moldado com a colher, e posto uma salsinha bem no centro, rodeado de carne de gado assada, com feijão embaixo de tudo. Dou uma risada daquelas.

— Oque achou, boi? — Tayr pergunta e eu apenas assinto.

— Tá lindo demais. — falo risonho.

— Prova agora. — Mikhael pede rindo um pouco.

Tayr me alcança um garfo e uma faca.

— Vou destruir seu arroz perfeito, desculpa. — digo e Tayr concorda.

Com o garfo, pego um pouco do arroz e feijão, pegando um pedaço generoso de carne e coloco na boca antes que caia tudo do talher.

Mastigo, sentindo a mistura de sabores muito boa. O prato simples, claro, era apenas uma brincadeira, mas bem preparado.

Tayr parece estar fazendo expectativa pra galera do stories do Mikhael, e eu deixo todos ainda mais curiosos, fazendo caras e bocas, enquanto engulo bem devagar.

— E então, Pac? — Altair bate as mãos contra a bancada.

— Tá uma delícia, galera. — pego o prato e dou as costas — Agora se me derem licença, eu vou comer tudo porque to morto de fome.

Os dois riem e me sento à mesa, enquanto Mike parece dar tchau pra galera falando que vai almoçar também.

Minutos depois, os dois se sentam comigo na mesa, Tayr com uma garrafa de Coca-Cola e Mike com outra de Pepsi. Tayr serve Coca pra mim em um dos copos que trouxe da cozinha, me entregando, logo ele se serve e Mikhael serve-se com Pepsi, claro.

— Tá bom mesmo, Tayr. — Mike murmura com a boca cheia. Chuto sua canela de leve por baixo da mesa — Ai! — ele me olha.

— Não fala de boca cheia, olha os modos Mikhael! — falo sério, erguendo o dedo indicador.

Mike apenas ri e pede desculpas.

Seguimos o almoço conversando sobre planejamento dos próximos vídeos, amanhã eu e Mikhael vamos tentar gravar pelo menos uns seis pra termos um tempo de descanso nos próximos dias e não faltar vídeo pra galera do canal.

— E o Batista? — franzi o cenho, me xingando mentalmente por não ter notado que ele tinha sumido.

— O Batata saiu com a namorada dele. — Mike responde — Ele sempre sai almoçar com ela, ou jantar, se acostume.

— Hum. Ok. — digo rapidamente e enfio mais arroz na boca.

[;]

Estou quase cochilando no sofá, enquanto assistimos uma série nova do Netflix.

— Pac… — Mike sussurra no meu ouvido e sinto meus pelos arrepiarem. Estranhando a situação, olho para ele — O Tayr dormiu, e você tá quase. — ele sorri — Sobe lá pra cima e descansa mais, que eu vou buscar um cobertor pra ele e vou organizar a cozinha que ainda tá uma bagunça.

— Quer que eu te ajude? — sussurro de volta, me sentando direito no sofá e vendo Tayr dormindo do outro lado.

— Não, pode deixar, você tá exausto, eu to de boa. Sobe lá. — ele acaricia meu ombro e assinto.

— Obrigado.

Digo e ele se levanta, subindo as escadas comigo. Lá em cima, eu sigo para o quarto dele e Mike segue para o do Tayr, indo pegar o dito cobertor para nosso editor. Lembro que deixei meu celular no bolso da minha calça jeans, e corro para o banheiro pegá-lo de lá. Não sei como esqueci ele aqui, isso nunca aconteceu antes, acho que o cansaço me venceu hoje.

Pego o aparelho e vou para a cama de Mike, me sentando. Desbloqueio a tela e vejo várias notificações no whatsapp. Abro o aplicativo, com uma mensagem de Amanda.

Ao abrir, me dou conta de que era uma mensagem longa, mas apesar da preguiça, preciso saber oque está acontecendo.

Amanda: Tarik, você foi embora pra São Paulo, sem mais nem menos? Eu vim aqui te ver e fiquei com maior cara de trouxa. A gente podia se consertar, eu vim pro seu apartamento pra isso, e você me deu as costas dessa maneira grosseira e infantil? Por quê? Eu amo você, e apesar de nossos desentendimentos, sei que você me ama também. Por favor, para de ser assim, e volta, vamos sentar e conversar como adultos, tudo bem? Não faça isso comigo, com a gente. Não joga tudo pro alto.

Eu fico pasmo com a forma que a Amanda acha que as coisas funcionam. Ela faz tudo oque fez comigo e espera que eu continue sempre lá pra ela. Eu não duvido que ela só tenha voltado porque algo deu errado pra ela e precisa ter alguém. Eu sinto que sou feito de trouxa por isso, é como se ela ficasse comigo só pra não estar sozinha, pela necessidade de ter um namorado.

Com o coração acelerado, respondo.

Amanda, acabou. Simplesmente cansei. Você não se deu conta do quão chato e tedioso é nosso relacionamento? Essa ida e volta? Eu não consigo mais. Siga a sua vida, por favor, porque eu já comecei minha caminhada sem você.”

Enviado isso, bloqueio seu contato no meu whatsapp, e me preocupo em bloquear ela em todas as redes sociais rapidamente, evitando mais conversa.

Abro o Twitter e a aba de novo tweet.

Galera, estou oficialmente morando em São Paulo, junto com o Mike, o Tayr e Batista! :)

Várias pessoas respondem rapidamente, e vejo muitas mentions com “mitw” e coisas assim. Dou um riso soprado.

“ @peqitw Vamos dormir juntinhos agora?” Mike responde fazendo fogo pra galera que shippa a gente.

“ @MikeLink1 Claro, Mikaé”. respondo.

A galera vai à loucura. Até @KessyPleini, uma inscrita presente nas nossas redes sociais, responde com algo que me faz gargalhar.

“ @peqitw @MikeLink1 aguardo imagens da gestação do Anastácio”.

Dou retweet e saio do aplicativo, bloqueando a tela do celular e colocando o mesmo embaixo do travesseiro, me deitando novamente.

Eu e Mikhael combinamos de não contar que estamos realmente dividindo cama, pra evitar comentários, mas nossa brincadeira no twitter vai render muitos rts e respostas, além de que até onde eles sabem, não estamos dividindo cama de verdade.

Sempre que tweetamos algo de mitw a galera adora, e a gente gosta de brincar com eles com isso. Eu dou muita risada lendo teorias e essas coisas. A internet é um lugar nada previsível.

Fecho os olhos, puxando o edredom sobre meu corpo cansado novamente, me deixando cair em um sono profundo.


Notas Finais


Comentem por favor não me deixem em dúvida se tá bom ou ruim


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...