História You've got to hide your love away - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Beatles
Personagens George Harrison, John Lennon, Paul McCartney, Personagens Originais, Ringo Starr
Tags Amor, Comedia, Cynthiapowell, Drama, Georgeharrison, Johnlennon, Músicas, Paulmccartney, Ringostarr, Thebeatles
Visualizações 26
Palavras 1.943
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amorzinhos, desculpem o atraso!! Tive aula hoje, e como estudo de noite chego tarde em casa. Prefiro sempre esperar e postar pelo notebook porque fica mais alinhado e mais bonitinho. Enfim, aí vai o capítulo de hoje, espero que gostem! Não esqueçam de comentar o que estão achando. Boa leitura <3

Capítulo 12 - Chapter XII


Fanfic / Fanfiction You've got to hide your love away - Capítulo 12 - Chapter XII

Acordei no dia seguinte e logo meu coração apertou. Apertou como se fossemos casados há anos e ele estivesse indo nos defender na guerra. Nunca havia sentido isso antes, nem mesmo quando deixara Adam, há seis meses atrás. Levantei tentando me manter animada e feliz pelos rapazes, o que não era mentira, mas tentando esquecer a parte ruim de tudo isso. Tomei um banho quente e vesti um vestido branco que John adorava, embaixo de um sobretudo preto. Desci lentamente para tomar um café.

- Bom dia – Falei baixo para meus pais que estavam tomando café na mesa da cozinha.

- Bom dia filha, você não está atrasada para aula? – Perguntou minha mãe servindo mais café na xicara de meu pai.

- Ela não vai hoje, Amy, irá se despedir de John – Papai olhou para ela com um olhar mais rígido, como se pedisse para que ela não brigasse comigo, ao menos não hoje. Ele me conhecia melhor que ela, e pode ver minha tristeza de longe.

- Ah... como pude esquecer – Mamãe ficou sem jeito e tentou contornar a história, o que me fez rir – Você é linda, inteligente, divertida, bem-humorada... John deixará seu coração aqui, e quando voltar tudo será como antes. – Disse ela, me dando um caloroso beijo na bochecha. Aquela atitude me surpreendeu, meu pai realmente deixava minha mãe mais alegre. Era ruim que ela dependesse tanto assim de alguém, mas ela estava feliz, e era isso que importava. Sorri gentilmente, e logo fui encontrar os meninos. Eles ficaram de se encontrar na casa de Ringo, que ficava bem próxima a minha. Na esquina de sua casa já podia ver a movimentação de todos eles, extremamente empolgados com a ideia de ficarem finalmente famosos. Haviam várias malas no lado de fora da calçada, e dessa vez eles estavam trazendo para fora os estojos com seus instrumentos dentro. Paul ria de alguma bobagem contada por George, Ringo empilhava as malas na calçada, tentando ter um pouco mais de espaço para o que ainda faltava e John estava lá dentro, fazendo alguma coisa. Pattie, Linda e Maureen estavam chorosas observando seus amados se organizarem para partir. Logo, me juntaria a elas. Respirei fundo umas quatro vezes, e fui em direção a sua casa.

- Olá – Cumprimentei a todos da forma mais animada que conseguia. Todos responderam, não me dando muita atenção e voltando aos seus afazeres.

-Lucy! – Exclamou Pattie com uma voz triste, tentando segurar o choro e logo me abraçando forte.

- Eu sei Pat, eu sei.... Apenas não vamos demonstrar isso a eles está bem? Espere eles partirem, consegue segurar? – Sussurrei próximo ao seu ouvido, engolindo seco, pois também queria chorar, e logo lhe dando um sorriso. Pattie concordou com a cabeça e voltou para as outras garotas. Cynthia chegou logo após, colocando sua mala próxima a dos garotos e logo foi ajuda-los com a “mudança”.

- MEU AMOR! – Gritou John de dentro da casa, me fazendo assustar. Ele veio correndo em minha direção, e me levantou pela cintura, me fazendo rir com tanta felicidade.

- Bom dia meu bem – Respondi rindo e logo lhe dando um beijo – Empolgado? – Perguntei tentando esconder minha tristeza por deixa-lo partir.

- Muito! – Ele respondeu exibindo um sorriso lindo, que me deixou sem palavras. – Você não pode mesmo ir junto? – Perguntou olhando em meus olhos e colocando meu cabelo atrás da orelha.

- Infelizmente não.... Mas prometo lhe escrever todo dia – Sorri docemente dando um beijo em seu fino nariz. Fomos interrompidos por papai, que chegava mais empolgado que todos eles juntos, começando a colocar as coisas para dentro da van.

- Despeçam-se de suas garotas, e vamos logo que estamos quase em cima da hora – Falou em um tom rígido, mas não agressivo.

E assim os garotos fizeram: Paul abraçava Linda fortemente e falava coisas em seu ouvido, Ringo beijava Maureen como se estivesse indo para guerra e George acariciava Pattie, que tentava ao máximo não chorar.

- Eu amo tanto você, Lucy – Disse John com a testa colada na minha, olhando fixamente em meus olhos. Aqueles olhos cor de mel de John me deixavam sem folego.

- Eu também te amo John, te amo muito. Vou te esperar o tempo que for necessário – Sussurrei colocando minha mão na sua.

- Vai estar tudo uma merda sem você lá – Ele acariciava meu rosto e com a outra mão envolvia minha cintura.

- Não diga bobagens, essa é a sua chance de brilhar, vai lá e mostre a eles quem é o John Lennon, eles vão o amar, tanto quanto eu – Tentei confortá-lo, beijando seu rosto e o abraçando mais forte que pude.

- Vamos, rapazes? – Papai terminara de descarregar as malas e ficou encostado na van olhando ansiosamente para seu relógio de pulso.

- Eu te amo muito Lucy, muito mesmo. Nunca esqueça disso ok? Vou te esperar e te escreverei todos dias – Concluiu John me beijando intensamente. O apertava contra mim o máximo que podia, foi o melhor beijo que já demos. Repousei brevemente meu rosto em seu pescoço inalando seu perfume o máximo que podia. John tinha um cheiro doce e suave de flores.

John me soltou lentamente e entrou na van, seguido dos outros rapazes, e de Cynthia que acenava de longe – aparentemente – sem maldade alguma no gesto. A van se afastou, e logo os perdemos de vista. Olhamos uma para a outra e logo nos debulhamos em lagrimas. Sentamos ali mesmo, na porta da casa de Ringo, e choramos como todo nosso coração, o que deixou a mãe de Ringo com pena de nós, e nos ofereceu água com açúcar, o que ajudou um pouco na hora. Fomos para casa de Maureen e ficamos lá imaginando como seria nossa vida se tudo desse certo em NY.

- Será que os rapazes vão ficar ricos? – Maureen perguntou deitando em sua cama e abraçando seu urso de pelúcia.

- Eu espero que não, quero Paul de volta – Disse Linda com seus olhos voltando a marejar, sentada no chão e encostada na parede do quarto.

- Não diga bobagens Linda, é o sonho deles, não podemos pensar negativo.... Nem que nos custe um ano separados – Tentei contornar a situação, que a fez chorar ainda mais.

- Por que George me pediu em namoro só agora? Aquele idiota – Chorava Pattie agarrada em um casaco que George deixara com seu cheiro para ela. Quem via de fora pensava que alguém tinha morrido, devido tantas lágrimas. Percebi que se ficasse mais um minuto ali iria enlouquecer com minhas amigas doidinhas. Resolvi sair para dar uma volta e depois ir para casa. Adam vinha em minha direção lentamente. Estava com uma dor de cabeça fudida devido a tantas lagrimas que resolvi nem me estressar com aquilo.

- Oi Lucy... – Disse Adam, agora andando ao meu lado.

- Olha Adam, eu não estou bem, não quero mais confusão ainda – Respondi sem paciência, e realmente cansada.

- Eu não quero confusão, Cyn me contou sobre a viagem, e percebo que estava chorando.... Você está bem? – Perguntou demonstrando preocupação.

- Estou.

- Eu conheço você, Lucy, ou já esqueceu tudo o que vivemos em Warrington?

- Como poderia, se você não me deixa esquecer? – Perguntei rispidamente, prevendo uma briga das feias.

- Me desculpe... Só... se precisar de alguma coisa... estou ficando em um hotel no centro da cidade, até encontrar algo que possa pagar... – Completou ele com uma voz doce.

- Tudo bem, me desculpe a grosseria. Realmente estou muito triste. – Completei acendendo um cigarro. Talvez um pouco de nicotina me fizesse bem naquele momento.

- Queria te pedir desculpa, por todo mal que lhe causei – Disse Adam mostrando um sincero arrependimento. Eu sabia que ele não era má pessoa, o conhecia muito bem. Apesar de tudo ficava feliz com seu pedido de desculpa, mas de qualquer forma, não abaixaria a guarda.

- Tudo bem, já foi. – Um silencio se formou por alguns instantes.

- Vou nessa – Respondi rispidamente. Estava falando como John, que droga.

- Se cuide – Disse ele vendo me afastar lentamente. Fiquei realmente contente que Adam voltara a ser ele mesmo, espero que agora ele fique – e me deixe – em paz. Ao chegar em casa ouvi duas vozes femininas vindas da cozinha e entrei lentamente para ver quem era.

- Michelle!!!! – Dei um grito muito alto pulando nos braços de minha melhor amiga. Conhecia Michelle há muitos anos, desde criança. Ela era do mesmo tamanho que eu, tinha cabelos loiros e olhos castanhos amendoados, tinha um sorriso lindo e uma simpatia de dar inveja a quem não a conhecesse.

- Você pediu e eu vim! – Disse ela retribuindo ao meu caloroso abraço. – Como você está? – Concluiu sentando-se a mesa novamente. Mamãe havia preparado um bolo de chocolate e um delicioso chá para recebe-la.

- Oh Michelle, tenho tantas coisas para te contar, nem sei por onde começar – Tanta coisa havia acontecido naqueles últimos seis meses que realmente parecia ter se passado anos!

- Então comece pelo começo, oras! – Disse rindo com a boca cheia de bolo, mal se entendia o que ela falava, o que me fez rir lembrando de quanto Michelle era comilona e ainda assim conseguia ser puro osso.

- Então, meu primeiro dia de aula foi um saco, como havia lhe contado na carta – Disse, a puxando pela mão em direção ao meu quarto. – Mas o que acontece é que eu estou saindo com aquele menino atrevido que lhe disse, e estamos muito apaixonados – Concluí me sentando na cama e soltando um belo suspiro. Faziam poucas horas que estava longe de John e já estava com saudades.

- Mas e o Adam? Ele veio para cá na intensão de voltar com você – Michelle sentava-se ao meu lado e cobria nos duas com meu cobertor que deixara anteriormente em cima da cama. Fazia muito frio aquele dia.

- O Adam me magoou muito sabe, você viu todo o drama que aconteceu no dia em que eu parti. Nem um adeus eu recebi, e agora ele veio para cá tentar consertar as coisas, mas só está piorando tudo. Discutimos incontáveis vezes e de forma tão intensa a quase nos agredirmos fisicamente, ele e o John já caíram no soco umas duas outras vezes, e agora ele está se aproximando de uma garota que John havia algo quando cheguei aqui – Contei deitando a cabeça em seu ombro. Como sentia falta dela.

- Nossa Lucy, essa historia está melhor que filme – Riu Michelle dando um beijo em minha testa.

- E como anda a vida em Warrington?

- A mesma bosta de sempre, mas agora sou uma pessoa formada. – Deu de ombros, realmente, nada de bom acontecia na nossa cidade.

- É muito bom ter você de volta, Mi – Completei dando um beijo em seu rosto. Ficamos por horas a fio conversando sobre qualquer tipo de bobagens que apareciam em nossa cabeça, comemos bastante e prometi que no dia seguinte iria mostrar a cidade para ela. Michelle dormiria na sala, no meu confortável – talvez não tanto – sofá-cama. Um pouco antes de dormir, me peguei pensando novamente em John, e resolvi escreve-lo uma carta, como havia lhe prometido.

 

“Querido John.

Faz pouco que você partiu e minha vida já está um saco. Sinto tanto sua falta que chega a doer.

A única coisa que me consola é que minha melhor amiga veio para cá me fazer companhia nesse

Tempo em que você está longe, e talvez depois. Como estão as coisas por aí? Estão bem acomodados?

Oh, John, sinto tanto sua falta... Daria tudo para ouvir suas pedrinhas batendo em minha janela durante

A noite novamente.... Por favor, volte logo. Amo você.

 

Com amor, sua Lucy”.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...